Pesquisar
Close this search box.
/
/
Como garantir um uso de telas saudável entre crianças e adolescentes?

Como garantir um uso de telas saudável entre crianças e adolescentes?

De acordo com estudo, 58% dos pais monitoram o que crianças e adolescentes têm acessado na internet

O Brasil está cada vez mais conectado ao mundo virtual. Em 2021, o número de domicílios com acesso à internet chegou a 90%, de acordo com um estudo da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). Em casa, os celulares são os principais dispositivos de acesso, utilizados por 99,5% dos lares com acesso à rede.

Com o aumento do acesso, cresce também o número de crianças que utilizam a internet no cotidiano, especialmente no cenário após a pandemia. Dados da TIC Kids Online Brasil, de 2022, mostram que 92% dos jovens entre 9 e 17 anos já acessaram a rede. O número se mantém próximo aos dados da mesma pesquisa feita em 2021, quando o percentual foi de 93%.

Assine nossa newsletter!
Fique atualizado sobre as principais novidades em experiência do cliente

Finalidade do uso da internet por crianças e adolescentes

Um dos hábitos frequentes dessas crianças e adolescentes que estão expostas ao mundo virtual é o acesso aos games. Dos que responderam à pesquisa da TIC Kids Online Brasil, 58% afirmaram participar diariamente de jogos conectados a outros jogadores. Em comparação com os dados de 2021, houve uma queda, pois, no ano anterior 66% dos que responderam ao estudo jogavam em companhia no mundo virtual.

Por outro lado, 80% disseram usar a internet para fazer trabalhos escolares. Houve um aumento em comparação com o ano anterior, uma vez que, em 2021, a internet era utilizada por 71% de jovens entre 9 e 17 anos para complementar seus estudos.

73% das crianças e adolescentes aproveitavam o uso da internet em 2022 para acessar as redes sociais, o que representa uma queda em comparação com a pesquisa de 2021. Os dados anteriores mostraram que, à época, 78% dos ouvidos estavam ativos nessas mídias.

Conheça o Mundo do CX

Monitoramento dos adultos

A pesquisa ouviu também os responsáveis para saber até que ponto as atividades online dos filhos são monitoradas. 58% dos entrevistados afirmam olhar o histórico de sites visitados. Questionados sobre a segurança do que tem sido visto pelos filhos que acessam à rede, 75% dos pais dizem que a internet é utilizada pelos filhos com segurança; a mesma porcentagem foi indicada também na pesquisa de 2021.

Leia mais: Letramento digital: como ajudar crianças a fazerem um uso seguro da internet?

O que dizem os especialistas?

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) criou um Manual de Orientação para promover a saúde e o bem-estar de crianças e adolescentes. O documento foi elaborado pelo Grupo de Trabalho Sobre Saúde na Era Digital da SBP e traz orientações sobre como lidar com o cenário em que os mais jovens estão expostos ao mundo virtual.

Quais os prejuízos?

De acordo com a SBP, as mídias preenchem vazios desde que o não ter o que fazer ao abandono afetivo, ou até mesmo pelo pouco tempo dos pais para dar atenção aos filhos. O Manual de Orientação alerta sobre a importância da supervisão dos adultos quanto as atividades online, uma vez que elas podem causar prejuízos aos filhos. Alguns problemas relatados são alterações no comportamento familiar e social, transtornos de aprendizado, e outras doenças. O brilho das telas ainda provoca o bloqueio da melatonina, que pode resultar em problemas do sono e, consequentemente, sonolência durante o dia. Sendo assim, o rendimento escolar é afetado e podem surgir sintomas dos transtornos do déficit de atenção e hiperatividade.

Como os adultos devem agir com relação ao uso da internet por crianças e adolescentes?

A Sociedade Brasileira de Pediatria indica as recomendações para evitar danos futuros causados pelo uso das redes por crianças e adolescentes. Os conselhos que estão no Manual de Orientação são:

  • Viver com mais saúde é do lado de cá, junto com as crianças e adolescentes, não do lado de lá das telas com robôs e algoritmos.
  • Evitar a exposição de crianças menores de 2 anos às telas, sem necessidade (nem passivamente!).
  • Crianças com idades entre 2 e 5 anos: limitar o tempo de telas ao máximo de 1 hora/dia, sempre com supervisão de pais/cuidadores/ responsáveis.
  • Crianças com idades entre 6 e 10 anos: limitar o tempo de telas ao máximo de 1-2 horas/dia, sempre com supervisão de pais/responsáveis.
  • Adolescentes com idades entre 11 e 18 anos: limitar o tempo de telas e jogos de videogames a 2-3 horas/dia, e nunca deixar “virar a noite” jogando.
  • Não permitir que as crianças e adolescentes fiquem isolados nos quartos com televisão, computador, tablet, celular, smartphones ou com uso de webcam; estimular o uso nos locais comuns da casa.
  • Para todas as idades: nada de telas durante as refeições e desconectar 1-2 horas antes de dormir.
  • Oferecer alternativas para atividades esportivas, exercícios ao ar livre ou em contato direto com a natureza, sempre com supervisão responsável.
  • Criar regras saudáveis para o uso de equipamentos e aplicativos digitais, além das regras de segurança, senhas e filtros apropriados para toda família, incluindo momentos de desconexão e mais convivência familiar.
  • Encontros com desconhecidos online ou off-line devem ser evitados, saber com quem e onde seu filho está, e o que está jogando ou sobre conteúdos de risco transmitidos (mensagens, vídeos ou webcam), é responsabilidade legal dos pais/cuidadores.
  • Estimular a mediação parental das famílias e a alfabetização digital nas escolas com regras éticas de convivência e respeito em todas as idades e situações culturais, para o uso seguro e saudável das tecnologias.


+ NOTÍCIAS
O impacto das redes sociais nas crianças vai a julgamento
As crianças estão ganhando smartphones muito cedo?

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]