Pesquisar
Close this search box.
/
/
Taxa Selic: o que é e qual a sua importância para o consumo

Taxa Selic: o que é e qual a sua importância para o consumo

Como as altas e baixas da taxa de juros influenciam desde inflação, comportamento de consumo e investimentos

Se a sua impressão é que os tentáculos da taxa Selic alcançam a tudo e todos, você está certo. Taxa básica de juros da economia brasileira, ela é usada como referência para diversas operações financeiras, como empréstimos, financiamentos, investimentos em renda fixa e cálculo de vários índices econômicos. Ela é a base de tudo, taxa a partir da qual todas as demais são calculadas.

Além de ser um instrumento de controle da inflação, a taxa Selic influencia diversos comportamentos econômicos e determina o patamar que o governo deseja pagar de juros para quem empresta dinheiro a ele.

“Consideramos que o governo é o agente econômico mais seguro para emprestar dinheiro, por isso ela é tão importante como referência”, fala o professor de economia da Faculdade de Tecnologia do Estado de São Paulo (FATEC), Paulo André de Oliveira.

Aqui, você tira dúvidas sobre ela e compreende seus funcionamentos e os impactos que traz a diversos âmbitos da economia.

Como funciona a taxa Selic

Selic vem de Sistema Especial de Liquidação e Custódia, que é o sistema usado para registro e liquidação das operações do mercado financeiro no Brasil, administrado pelo Banco Central do Brasil.

Quem determina a taxa Selic é o Comitê de Política Monetária (COPOM) do próprio Banco Central, que tem como um de seus grandes objetivos estabelecer as diretrizes da política monetária do país. São nove diretores, incluindo o presidente da instituição, que decidem o quanto será a taxa Selic em reuniões que ocorrem geralmente a cada 45. O valor definido vale até a próxima reunião.

Para tomar a decisão, o COPOM leva em consideração diversos indicadores econômicos, como a inflação, o crescimento econômico, o comportamento do mercado financeiro e informações do mercado, entre outros, para decidir se a taxa de juros deve ser mantida, reduzida ou aumentada.

O que influencia no aumento e na redução da taxa Selic

Dentre os diversos indicadores econômicos utilizados pelo COPOM, o mais significativo é a inflação e a expectativa de inflação, uma vez que uma das metas da taxa Selic é buscar o equilíbrio entre o controle inflacionário e o estímulo ao crescimento econômico.

Então, se a inflação e a perspectiva de inflação estão altas, há um aumento na taxa Selic; se a inflação está sob controle, baixa ou em queda, a taxa Selic pode ser reduzida também.

“É importante tentar baixar a taxa Selic até um ponto que chamamos de ponto neutro, ou taxa neutra. Não é vantajoso ter os juros extremamente baixos, pois assim as pessoas deixam de aplicar dinheiro, ou seja, emprestar dinheiro para o governo, que passa a não conseguir se financiar”, explica o professor de economia, Paulo André.

Relação Selic e IPCA

Quando se fala da influência da inflação nas decisões sobre a taxa Selic, estamos falando do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, o IPCA, que é calculado pelo IBGE considerando famílias que estão na faixa de renda de um a 40 salários mínimos.

O IPCA serve como referência para o acompanhamento da variação de preços dos produtos e serviços consumidos pelas famílias e abrange uma cesta que representa gastos com alimentação, moradia, saúde, transporte, educação, entre outros itens.

Segundo o professor Paulo André de Oliveira, é este o índice utilizado pelo COPOM, pois reflete a “inflação do varejo, das gôndolas do supermercado e do dia a dia de consumo da população”. Diferentemente de outros índices com objetivos distintos, como o IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado), calculado pela Fundação Getúlio Vargas e que verifica os preços nas fábricas, atacados, construção civil, etc.

Taxa Selic e seus impactos

Como já mencionado, a taxa Selic, como taxa básica de juros do país, influencia os mais diversos âmbitos econômicos. Aqui estão alguns especialmente impactados:

No consumo

Taxas de juros mais altas inibem o consumo, uma vez que as prestações a prazo dos produtos ficam mais altas também. Além disso, o cenário com Selic elevada não incentiva os produtores a aumentarem os preços, uma vez que não está havendo vendas significativas.

O professor Paulo André ainda explica que não é somente sobre itens de alto valor, que exigem financiamento, que a Selic tem influência.

“Taxas altas podem gerar desemprego ou perda de renda. Então a influência tem uma amplitude maior, já que no geral as compras menores da família, do supermercado, por exemplo, também precisam ser reduzidas”, diz.

No crédito

Quando a taxa Selic aumenta, há um efeito cascata e as taxas de juros de todo o crédito da economia aumentam também, desde a taxa básica a do cheque especial, do crédito ao consumidor e até de empréstimo imobiliário. Afinal, os agentes financeiros acompanham a Selic.

Nos investimentos

“Aqui, podemos falar tanto de investimento financeiro quanto de investimento produtivo: quando a taxa de juros está elevada, há um incentivo à investimentos no mercado financeiro para receber juros, ao mesmo tempo que as decisões de compra podem acabar postergadas”, comenta o professor de economia da FATEC.

Já quando se fala de investimento produtivo – por exemplo, construir uma fábrica ou loja, aumentar um estoque, etc. – há um incentivo em tempos de Selic mais baixa. “Na alta dos juros, por que um empresário irá aumentar sua fábrica se ganha mais investindo no mercado financeiro? Essa é a lógica”, completa.

Já um terceiro ponto a se considerar é o câmbio. O professor Paulo André explica que muito do dólar vem do exterior ao Brasil devido aos altos juros do país. Assim, a taxa Selic controla também o câmbio, o valor do dólar e o controle da inflação relacionada a ele.

Como agir diante de cada cenário da taxa Selic

Quem tem experiência no mercado financeiro já tem um comportamento anticíclico que considera os valores da taxa básica de juros. Com Selic alta, há uma diminuição do consumo para se aplicar em investimentos; com Selic baixa, volta-se a consumir, seja com financiamento e contração de empréstimos ou não.

“Porém vemos isso mais para pessoas com experiência, não necessariamente no geral da população. E são diversas opções para além do mercado financeiro, pois é possível guardar dinheiro em um momento de Selic alta nem que seja para dar uma entrada melhor depois. O bom senso diz isso: com juros altos, não compre e invista; com juros baixos, compre coisas reais”, finaliza. 

Credit and Collection Experience (CCX)

No dia 6 de agosto, o Credit and Collection Experience (CCX) reunirá especialistas, lideranças e empresários para debater e propor soluções para os desafios da jornada dos consumidores brasileiros no acesso ao crédito e na resolução de dívidas.

Diante de transformações no setor, motivadas por tecnologias recentes como a Inteligência Artificial generativa, Big Data e Machine Learning, chega o momento de aprofundar conhecimentos para construir a sustentabilidade financeira e econômica do país.

Venha transformar o crédito e cobrança no CCX!

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 284

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
YUCA | Estúdio Criativo

ILUSTRAÇÃO:
Midjorney


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

Fabiana Hanna
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head de Conteúdo e Comunicação
Verena Carneiro
[email protected]

Head de Conteúdo
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio
YUCA | Estúdio Criativo

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Líder de Marketing Integrado 
Suemary Fernandes 
[email protected]

Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 284

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
YUCA | Estúdio Criativo

ILUSTRAÇÃO:
Midjorney


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

Fabiana Hanna
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head de Conteúdo e Comunicação
Verena Carneiro
[email protected]

Head de Conteúdo
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio
YUCA | Estúdio Criativo

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Líder de Marketing Integrado 
Suemary Fernandes 
[email protected]

Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]