Pesquisar
Close this search box.
/
/
Reino Unido anuncia reabertura do comércio. Veja medidas

Reino Unido anuncia reabertura do comércio. Veja medidas

Governo britânico exige que os lojistas tomem uma série de cuidados antes da reabertura. Modelo é diferente do adotado pela Itália

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, anunciou nesta segunda-feira (25) que o Reino Unido vai permitir a reabertura do comércio a partir do dia 15 de junho, com exceção de restaurantes.

Nesta fase, todo tipo de loja poderá abrir as portas. Feiras e mercados ao ar livre vão voltar ainda antes, no dia 1 de junho, já que, segundo Johnson, não representam grande risco de propagação do novo coronavírus.

Porém, ainda não há previsão para o retorno dos salões de beleza, do setor hoteleiro e dos restaurantes. Estes estabelecimentos permanecem fechados sem qualquer perspectiva de retorno.

Medidas obrigatórias

Durante o anúncio, o líder britânico pediu que os cidadãos “se sintam confiantes para comprar com segurança e seguir as regras de distanciamento social”. Para isso, o governo local preparou uma cartilha (em inglês) com uma série de medidas a serem adotadas pelos lojistas.

A primeira diretriz para que os estabelecimentos funcionem é que calculem quantos consumidores podem entrar nas lojas mantendo uma distância mínima de dois metros entre si. A partir desse cálculo, os comerciantes devem limitar a entrada das pessoas nas lojas.

O atendimento ao consumidor deve sofrer grande impacto no país. A cartilha do governo diz aos varejistas que incentivem os clientes a comprarem sozinhos e limitar o atendimento pessoal. Quando for necessário que os vendedores ajudem o cliente a pegar um objeto pesado, por exemplo, é preciso que os lojistas designem colaboradores específicos para esta tarefa, evitando que muitos colaboradores toquem nos produtos.

Antes de reabrir as lojas ainda precisam checar seus sistemas de ventilação para identificar pontos de melhoria e gerar ambientes mais arejados. Em locais com sistemas de ar condicionado centralizados é necessário que o lojista procure os gestores do estabelecimento para ter certeza que os equipamentos estão com a manutenção em dia.

O documento do governo britânico ainda dispõe sobre quem deve ir trabalhar, equipamentos de proteção individual e gerenciamento dos colaboradores.

Queda na curva de contaminação

O anúncio da reabertura do comércio britânico vem depois da queda do número diário de contaminação COVID-19 contabilizados no país.

O número de mortes por coronavírus no Reino Unido em apenas um dia já chegou perto de 1.200 e se manteve acima de mil por oito dias.

Agora, depois de mais de dois meses de isolamento social, o país vê a curva de contaminação cair drasticamente. Nesta segunda-feira, 121 pessoas que testaram positivo para o vírus morreram no Reino Unido. Ao todo, 36.914 contaminadas pela COVID-19 já morreram no país.

Os mais afetados a reabrir na Europa

Reino Unido e Itália são os países europeus mais afetados pelo novo coronavírus a permitir a reabertura do comércio. A Espanha, segundo europeu com mais casos da doença, tem um modelo de desconfinamento gradual, divido por regiões.

Há uma série de diferenças entre os modelos italiano e britânico de reabertura.

Supermercado na província italiana de Monza e Brianza, da região da Lombardia / Foto: Shutterstock

No último dia 18 de março, a Itália, terceiro país europeu mais afetado pela COVID-19, já havia dado a autorização para que o varejo abrisse as portas. Diferente do Reino Unido, os restaurantes e salões de beleza italianos foram reabertos simultaneamente aos outros estabelecimentos.

Outra diferença entre os países é que a Itália adiantou a reabertura do comércio, enquanto o Reino precisou adiar. O plano inicial na Itália era abertura das lojas somente no dia 1 de junho. No Reino Unido, o plano de reabertura, divulgado no início de maio, previa reabertura total até o dia quatro de junho – a previsão incluía salões de beleza, restaurantes e até cinemas.

Os britânicos não adotaram uma medida tomada pela maioria dos países que deixaram o confinamento: o freio de emergência. Alemanha, Nova Zelândia e Itália estão voltando à normalidade dando a seus líderes a prerrogativa de revogar as medidas de relaxamento da quarentena caso a curva de contágio volte a crescer.

O primeiro-ministro italiano deu aos governadores liberdade para decidir sobre as medidas em suas regiões. Mas, se os casos de contágio voltarem a subir no país, Giuseppe Conte tem o direito de revogar as decisões das regiões. No plano britânico anunciado nesta segunda-feira não há menção a um dispositivo similar.

Como o comércio deve reabrir no Brasil, segundo entidades varejistas
Os efeitos do isolamento social nos números do Carrefour

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]