Pesquisar
Close this search box.
/
/
Caso Gol: por que uma empresa brasileira pede recuperação judicial nos EUA?

Caso Gol: por que uma empresa brasileira pede recuperação judicial nos EUA?

A Gol Linhas Aéreas, com dívidas de R$ 20 bilhões, entrou com um pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos

A Gol Linhas Aéreas deu entrada com um pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos. O objetivo é garantir a continuidade de seus serviços durante o processo. A companhia anunciou a medida no dia 25 de janeiro. A data foi um dia depois do governo federal comunicar o preparo de um fundo de financiamento entre R$ 4 e 6 bilhões para socorrer companhias aéreas brasileiras. O ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, deu a informação e disse que o governo anunciaria oficialmente até 3 de fevereiro [em até 10 dias].

Silvio Costa Filho não informou qual será a origem dos recursos.

Coincidência ou estratégia?

“Desde 2023, o Brasil passou a exigir visto de visita para a entrada de cidadãos norte-americanos, canadenses e australianos. Não calculamos o impacto disso, mas haverá um custo significativo. O fato pode dissuadir pessoas interessadas em visitar o país. E isso, por sua vez, reduz a demanda por viagens aéreas”, comenta Fernando Canutto, especialista em Direito Empresarial e Societário.

O CEO da GOL Linhas Aéreas, Celso Ferrer, acredita que as medidas em discussão pelo governo, em parceria com o BNDES, contribuirão para acelerar a reestruturação da companhia.

O pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos é conhecido como Chapter 11 – Capítulo 11. O mesmo processo foi adotado pela Latam entre 2020 e 2022. Na época, o propósito da concorrente era obter financiamento para viabilizar as operações empresariais, reestruturar o passivo e renegociar o endividamento com os credores.

A dívida da Gol Linhas Aéreas totaliza hoje cerca de R$ 20 bilhões. Devido a esse valor, já se esperava que a empresa buscasse um processo de recuperação judicial para lidar com seus problemas financeiros.

Recuperação judicial nos EUA

Uma empresa prioriza entrar com um pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos por causa do acesso a financiamentos com tarifas mais atraentes.

O mercado brasileiro é menos desenvolvido do que estadunidense, quando o assunto é crédito, e, por lá, é possível concluir o processo com maior celeridade.

Segundo Cinthia de Lamare, sócia da área de Reestruturação e Insolvência do escritório Cescon Barrieu, “a decisão de entrar com um pedido de recuperação judicial no Brasil ou nos Estados Unidos depende de diversos fatores. Destaca-se o financiamento e a localização dos credores a serem reestruturados. Outros pontos são a legislação que rege as obrigações financeiras e a presença de contratos e ativos no exterior, como leasing de aeronaves, por exemplo”.

Em nota, a Gol Linhas Aéreas disse que assegurou US$ 950 milhões em financiamento para apoiar as operações em andamento. Os clientes não serão afetados. A companhia continuará oferecendo serviços de transporte aéreo seguro e confiável, sem interrupções.

Chapter 11

A estrutura legal do Chapter 11 proporcionará à Gol a oportunidade de levantar capital, fortalecer suas operações comerciais a longo prazo e reestruturar suas finanças. “Com o suporte do processo supervisionado pelo Tribunal de Falências dos Estados Unidos e recursos adicionais provenientes do financiamento DIP (debtor-in-possession, em português, contraído por um devedor em recuperação judicial), todas as operações da Gol seguirão normalmente. Isso inclui voos de passageiros, voos de carga e o programa de fidelidade Smiles”, afirmou a empresa.

A expectativa é que a Gol saia do processo de recuperação judicial com um investimento significativo de capital, o que a posicionará para expandir sua posição como companhia aérea líder na América Latina.

Números

Apesar da menor disponibilidade de aeronaves e dos desafios em sua estrutura de capital, o desempenho operacional da Gol permanece forte. No terceiro trimestre de 2023, a companhia obteve um desempenho operacional destacado em comparação com outras aéreas da América Latina, alcançando o quarto trimestre consecutivo com margens elevadas e consistentes.

A receita líquida da empresa alcançou um valor recorde de R$ 4,7 bilhões, refletindo um crescimento de 16,4% em comparação ao período homólogo. O substancial aumento das receitas provenientes do Programa de Fidelidade Smiles e das operações de carga Gollog impulsionaram esse avanço, registrando conjuntamente um crescimento de 65,1% no terceiro trimestre de 2023 em comparação ao mesmo intervalo de 2022, totalizando R$ 412,6 milhões.

Consumidores

O processo judicial

O Chapter 11 é um processo judicial nos Estados Unidos bem estabelecido para a reestruturação de empresas com operações em múltiplas jurisdições. Este processo, sujeito à supervisão e aprovação do sistema judicial dos Estados Unidos, permite que os negócios fortaleçam sua posição financeira, continuando a operar normalmente.



Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]