Pesquisar
Close this search box.
/
/
Mulheres avançam no setor de tecnologia e se tornam mão de obra qualificada

Mulheres avançam no setor de tecnologia e se tornam mão de obra qualificada

De acordo com os dados do IBGE, apenas 20% dos profissionais no segmento pertencem ao gênero feminino

Ainda que a força de trabalho das mulheres tenha crescido de forma considerável ao longo dos anos, há uma lacuna em determinadas profissões que ainda não é preenchida por essas profissionais, um reflexo muito cultural e que segue na previsão de mudar. Entre eles, um dos mais importantes — e também, veja que ironia, com maior falta de mão de obra qualificada — é o setor de tecnologia.

E essa falta de qualificação, vale destacar, não é exatamente preenchida com profissionais diversos. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), somente 20% da força de trabalho em tecnologia é provinda de mulheres, mas essa porcentagem, que corresponde a uma amostragem de 2019, deve mudar em breve.

Leia mais: Mulheres na liderança: o longo caminho do gênero mais eficiente em startups

Para se ter ideia, nos últimos cinco anos, a atuação feminina no setor saiu de 27,9 mil para 44,5 mil em 2019, um crescimento de 60%, como mostram os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). E, ainda assim, a quantidade não é páreo para suprir a quantidade de vagas abertas no mercado.

Uma lacuna que as mulheres têm preenchido aos poucos

tecnologia
Fonte: Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged)

Embora haja uma crescente qualificação, é importante destacar que o próprio esforço do mercado também tem o objetivo de trazer mais mulheres ao segmento, além de preencher o espaço deixado pela fuga de cérebros no Brasil — que ocorre quando profissionais de tecnologia optam por vagas no exterior e, consequentemente, deixam uma falta de mão de obra qualificada no País.

Uma das empresas que tem qualificado uma série de trabalhadoras é a Digital Innovationm One (DIO), que já capacitou mais de 210 mil mulheres e pretende, até o final de 2022, dar oportunidade a outras 280 mil profissionais.
“As oportunidades para mulheres na tecnologia são muitas. Trabalhamos para que a inclusão delas no mercado tech seja democrática e aconteça mais rápido do que o esperado”, afirma o CEO da DIO, Iglá Generoso.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente 

Essa qualificação acaba sendo fundamental já que a quantidade de vagas abertas para a área de Tecnologia da Informação (TI) é imensa. Como mostra a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), até 2024, estima-se uma lacuna de 270 mil profissionais de TI, que culminarão em uma perda de receita que gira em torno dos R$ 167 bilhões.

“A área de TI e Tecnologia em geral se destaca entre as que as mulheres vêm conquistando cada vez mais espaço, junto com o Marketing Digital, em funções como Gestão de Tráfego e Design. Mas, sem dúvida, ainda é preciso abrir muito mais oportunidades para elas, por isso, qualificar as mulheres é fundamental”, explica Gisele Miranda, mentora em Carreira & Liderança Feminina.

Onde elas estão na tecnologia?

Fonte: IBGE

Outro ponto de destaque, explicado por Miranda, é o local de atuação que as mulheres entram dentro do setor de tecnologia. Surpreendentemente, e em especial para cargos de gestão, ela aponta a Indústria e a Automobilística, segmentos tradicionalmente preenchidos por homem.

“São segmentos mais conservadores, em que as mudanças ocorrem de forma mais lenta. Mas o principal é que as empresas e outros players promovam iniciativas voltadas para o público feminino, para que as disparidades gradativamente diminuam”, acrescenta Gisele.

Leia mais: 2022 deve ser ano revolucionário para as mulheres no empreendedorismo

Para os próximos anos, é bem provável que esse incentivo a qualificação feminina fique ainda maior, com áreas dentro das próprias empresas para proporcionar mais estudo e profissionalização. Além disso, com o avanço da luta pela equidade de gênero, é ainda mais provável que novas mulheres se interessem pelo segmento.


+ Notícias

Por que temos poucas CEO mulheres em tecnologia?

O que está por trás das melhores empresas para as mulheres trabalharem? 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]