Pesquisar
Close this search box.
/
/
Maturidade das retailtechs de pagamentos promete resolver gargalo nos processamentos das transações

Maturidade das retailtechs de pagamentos promete resolver gargalo nos processamentos das transações

Startups voltadas a soluções de pagamentos no varejo também são fonte de recursos para fidelização do consumidor

Startups voltadas a soluções no varejo também se dispõem a resolver problemas de pagamentos. Uma espécie de fusão entre retailtechs e techfins (e fintechs), elas proliferam no ecossistema dos marketplaces e setor varejista como um todo com a proposta de dinamizar os negócios, tornando-se aos negócios uma promissora solução de fidelização do consumidor. São as retailtechs de pagamentos.

O mais interessante dessas empresas nascentes é o protagonismo que elas ganharam no complexo ambiente que é o varejo on e offline no contexto do Open Banking. Elas são a promessa de resolução do gargalo nos processamentos das transações, além de serem importantes via para a fidelização. É o que mostra o Inside Retailtech Report do Distrito, que no mês de junho traz um foco especial nas nascentes que solucionam pagamentos entre suas quase 800 startaps de varejo mapeadas.

De acordo com o relatório, as retailtechs de pagamento têm maturidade superior à média em relação às de outras categorias no setor. Isso acontece porque o ambiente de pagamentos é complexo, e no Brasil já conta com uma estrutura de nível global ao mesmo tempo que a população se digitaliza. A concorrência e a qualidade dos serviços são elevadas, sob o desafio de operar dinheiro, cartões, WhatsApp Pay, tecnologias sem contato, QR Code, PIX e links de pagamentos.

Para o Distrito, a maturidade das startups do nicho se justifica também pela quantidade de funcionários. No caso das retailtechs de pagamentos, mais de 20% delas têm mais de 100 empregados. Enquanto cerca de 40% são micro, quase 25% são grandes. isso se dá, em parte, pelo fato da maioria dos modelos de negócios ter sido fundada entre 2011 e 2015, observa o estudo.

Benefícios ao varejo

Os benefícios do desenvolvimento de retailtechs de pagamentos no Brasil são enormes aos varejistas. Os custos diminuem, a eficiência aumenta e o consumidor fica mais satisfeito com a pluralidade de métodos. E é na satisfação que a fidelidade pode se consolidar. Como lembra o relatório, são as soluções de pagamento que trazem tecnologias possíveis para incentivos como o cashback mediante fornecimento (e segurança) de dados.

Desafios das restailtechs de pagamentos

Enquanto os anos passados de consolidação e maturação das empresas de solução ao varejo exigiam um profundo entendimento do mercado e a cultura do varejo local por parte das equipes de desenvolvimento, o presente é de conhecimento sobre o consumidor. Em seus comentários no relatório, a líder comercial e de parcerias da Adyen, Adriana Mesquita, pontua o quão dinâmico e cheio de possibilidades o mercado se tornou diante de um consumidor de perfil mais early adopter.

“O consumidor brasileiro é vanguardista na adoção de novas tecnologias e o Banco Central tem uma agenda forte de inovação. Nosso desafio hoje é acelerar ainda mais essa transformação e munir os varejistas com a tecnologia necessária para oferecer a experiência do varejo do futuro”, diz a executiva.

Grupos de soluções

Diante da sede de aprimoramento dos métodos de pagamento, busca de fidelização e obtenção de dados, as retailtechs de pagamentos se subdividem em três grupos maiores: soluções de PdV (ponto de venda) para varejo físico (incluindo soluções de biometria facial), processamento das transações e pagamentos por celular. Também há, claro, subgrupos de atuação menores como antifraude, contas digitais, pré-pagos, etc.

Nestes grupos maiores, os principais maiores players resolvem dores com processamento de transações financeiras com foco no e-commerce. Conforme lembra o relatório, essa questão é nefrálgica para o mercado como um todo, já que soluções um dia criadas por players como Alipay (Alibaba) e Mercado Pago (Mercado Livre) para resolver seus próprios ecossistemas hoje transcendem e atual de forma independente, ao ponto de transformar concorrentes em clientes.

Vias de crescimento

De acordo com o relatório, dentro do universo de retailtechs, o problema de processamento de transações é o grande gargalo. Por isso, não é de se espantar que seja nessa categoria que a maior parte das startups de pagamento esteja. Grandes marketplaces e varejistas buscam solidificar suas estratégias em serviços financeiros, tanto da ponta B2B para os sellers e parceiros quanto para B2C no intuito de gerar mais recorrência. A partir disso, segundo o relatório, eles desenvolvem soluções internas ou vão às compras dessas startups. Ao mesmo tempo, outros players de tecnologia financeira buscam expandir seus modelos de negócios para as plataformas e ecossistemas iniciando um marketplace.

“Vemos um mercado de pagamentos para o varejo tech em constante transformação e, apesar de já estar em um patamar relevante de maturidade, o crescimento e a expansão desses novos modelos de negócios ainda têm muito a nos mostrar”, aponta o estudo.

As promissoras da promessa

Atualmente, o ecossistema de retailtechs supera com folga o volume investido em 2020, batendo os US$ 888 milhões até o momento, e hoje emprega mais de 55 mil pessoas.

Entre as startups de solução de pagamento, os maiores aportes estão concentrados nos maiores players concentram, como cloudwalk e conductor. Pelas métricas do estudo do Distrito, que pondera crescimento no número de funcionários, número de funcionários, total de aportes e seguidores no LinkedIn, o Top 10 das promissoras é: PicPay, Clearsale, Conductor, Ebanx, Zoop, Asaas, Iugu, Vindi, Acqio e Cloudwalk.

retailtechs
Fonte: Distrito

 


+Notícias

Programas de fidelidade premium chamam a atenção de varejistas

Retailtechs de fidelidade estão em ponto de ebulição no e-commerce

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]