Pesquisar
Close this search box.
/
/
Os limites do CRM

Os limites do CRM

Em tempos de LGPD, serão necessárias que as interações digitais estejam cada vez mais devidamente autorizadas

O lindo longa-metragem sobre a história da ONG Doutores da Alegria, produzido em 2005 pela Mara Mourão, ensina a nós profissionais de comunicação duas lições.

A primeira: o palhaço antes de entrar no quarto da criança bate na porta e pede permissão para entrar e, a partir do momento em que ela o autoriza, é aí que se inicia a interação. A segunda é o feedback dado pela criança ao longo ou após a interação, que se dá por meio de um simples sorriso.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Nos últimos tempos, tenho me deparado com um fenômeno que tem ocorrido não apenas comigo, mas, conversando com alguns colegas percebi que também sofrem o mesmo.

Nas nossas caixas de e-mails, inbox do LinkedIn e até no WhatsApp, há uma enxurrada de mensagens de pessoas desconhecidas oferecendo oportunidades de negócios ou soluções que prometem resolver todos os problemas de nossas empresas.

Você tem sofrido com este fenômeno também?

Em tempos de LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) é muito intrigante como empresas têm conseguido os nossos contatos. Será que tudo está baseado na utilização das técnicas de Growth Hacking? É correto então monitorarem se abrimos, se lemos as mensagens enviadas ou não? Mas quem foi que lhes deu essa autorização para nos monitorar?

Além da forma como os dados são buscados (e adquiridos), outra coisa curiosa tem sido a forma de abordagem dessas mensagens.

São textos mal redigidos e, em muitos casos, com um tom mal-educado, como “olha, já que você não tem tido tempo para responder meu e-mail” ou ainda “não estou chateado por não ter recebido uma resposta sua porque imagino não ser o momento ideal para você”.

A cereja do bolo é a abordagem demonstrar um completo desconhecimento do que a empresa ou o profissional fez ou faz. O remetente não dedicou nem um tempo mínimo para estudar o prospect.

Confesso que algumas dessas mensagens nem chego a olhar direito porque elas caem justamente na caixa de spam, logo, é óbvio que dificilmente vou deixar a pessoa chateada.

Bem, voltando algumas casinhas, que tal você profissional de marketing e comunicação dedicar um tempinho para assistir ao filme dos Doutores da Alegria?

Digo isso porque antes de entrarmos nas caixas de mensagens das pessoas é preciso – em primeiro lugar – garantir que tudo será feito dentro das regras e da legalidade.

Em tempos de LGPD, serão necessárias que as interações digitais estejam cada vez mais devidamente autorizadas. Os Doutores não invadem os hospitais com os seus “besteirólogos” sem a devida autorização.

Em segundo lugar, o mínimo que se deve esperar é o pedido de autorização para entrar em nossas vidas.

Logo, uma premissa básica é uma boa preparação sobre quem é a empresa, uma análise prévia se o interlocutor é a pessoa correta para a interação e só aí então iniciar uma boa conversa tentando verificar se o que você está oferecendo é uma dor prioritária para o negócio.

E mais, se a sua empresa possui de fato qualidades e capacidades para atender a demanda que você mesmo está buscando.

É preciso tomar cuidado com a prática atual vigente nessas prospecções e interações. As discussões atuais na Anatel são outro exemplo, colocando pressão sobre as operadoras de telefonia móvel em relação às inúmeras ligações que temos recebido das empresas de call center.

E o mesmo poderá ocorrer no mundo das abordagens por e-mails e mensagens instantâneas, quando passarmos a ter novas regulamentações. Infelizmente, pelo mau uso de algumas, são as empresas que trabalham corretamente com o uso das ferramentas digitais que acabam sendo prejudicadas.

*Por Luís Fernando Guggenberger é executivo de Marketing, Inovação e Sustentabilidade da Vedacit.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente


+ Artigos

Líderes ESG são os líderes dos negócios

O CRM 2.0 no Bradesco representa uma aposta na liberdade de escolha do cliente

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]