Pesquisar
Close this search box.
/
/
A “hitlerização” das marcas

A “hitlerização” das marcas

Movimento ocorrido na 2ª Guerra Mundial ressurge, com empresas russas nascendo, outras se fortalecendo e algumas sendo criadas para ocupar o espaço deixado por marcas que saíram do país

A Segunda Guerra Mundial sem dúvida alguma é uma das passagens mais horríveis da história em todos os tempos. Os livros, filmes e documentários por si só retratam inúmeras passagens horripilantes desse período tenebroso.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Um fator que contribuiu para o avanço alemão ao longo de toda a batalha foi o engajamento das empresas do país. Dominadas pelo poder dos discursos nacionalistas do Führer, colaboraram com inúmeros recursos para suportar as tropas e terrivelmente em contrapartida realizar experimentos nos campos de concentração com os judeus. Podemos ter uma ideia desta crueldade praticada por empresas no livro “O Farmacêutico de Auschwitz”, de Patricia Posner.

Outras empresas na Alemanha nazista acabaram sendo forçadas a se engajar na guerra, sob o risco de sofrer retaliação com o fechamento de suas portas. Um exemplo de história a respeito disto pode ser encontrado em “A Invasão de Campo”, de Barbara Smit, que relata o fato ocorrido com uma grande marca de material esportivo.

Ao analisarmos esses movimentos ocorridos na Alemanha e ao observarmos o que está ocorrendo no conflito envolvendo Rússia e Ucrânia, começamos a ver ressurgir um movimento similar e perigoso de engajamento das marcas com o discurso nacionalista hipnótico.

Leia mais: A guerra é híbrida, uma análise sobre os ciberataques à Ucrânia

Desde o início da guerra, os líderes de algumas das principais empresas do mundo anteciparam-se a cobrança da opinião pública e anunciaram a retirada de suas operações no mercado russo. Aliás, muitas tomaram esta atitude porque despertaram sua consciência sobre a importância de se manter a prática alinhada ao discurso na agenda ESG (governança ambiental, social e corporativa), sob o argumento de não poder operar em países cujos governos ameaçam a democracia e liberdade dos povos. Obviamente, este tipo de atitude deveria ser vista também em países como os do Oriente Médio, mas isso fica para uma segunda discussão.

Ocorre que ainda assim, outras marcas demoraram a se posicionar frente ao cenário da guerra e à saída da Rússia e, ainda assim, só o fizeram porque a opinião pública questionou-as. Marcas estas que dizem ter a Sustentabilidade como pilar estratégico de seus negócios e eis que essa crença foi colocada a prova pelos consumidores.

Com isso, o movimento ocorrido na 2ª Guerra Mundial ressurge, com empresas russas nascendo, outras se fortalecendo e algumas sendo criadas para ocupar o espaço deixado pelas empresas que saíram do país, vide o caso da “дядя Ваня” (pronuncia-se “dyadya vânya”), ou “Uncle Vanya’s”, que se tornou polêmica ao tomar o lugar da rede de fast food McDonald´s, cujo logotipo se assemelha aos “arcos dourados”.

Marcas
Os “arcos dourados” dp “дядя Ваня” (pronuncia-se “dyadya vânya”), ou “Uncle Vanya’s | Reprodução

Eis aqui um exemplo perigoso do que chamei de “hitlerização das marcas” no título deste artigo, que acabam se engajando nas guerras, ludibriadas pelo discurso nacionalista de líderes políticos. Precisamos estar vigilantes cada vez mais, pois a história está gravada e não poderemos nos esquecer das inúmeras vidas que foram tiradas graças a esse tipo de engajamento de empresas que deveriam servir à sociedade de outra maneira.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

*Por Luís Fernando Guggenberger, executivo de Marketing, Inovação e Sustentabilidade da Vedacit.


+ Artigos

A ética concorrencial e o propósito das empresas

ESG e a nova agenda de inovação e sustentabilidade

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]