Pesquisar
Close this search box.
/
/
Grandes varejistas abandonam intermediários e apostam em vendas diretas ao consumidor

Grandes varejistas abandonam intermediários e apostam em vendas diretas ao consumidor

Marcas consolidadas buscam reforçar relacionamento com compradores para evitar intermediários nas vendas

Enquanto algumas marcas e categorias de produtos, como bens de consumo diário, estão se tornando cada vez mais dependentes da Amazon e outros marketplaces como canal de vendas online, outras marcas buscam reforçar sua independência ampliando relacionamentos diretos com o consumidor e evitando o uso de um intermediário para as vendas.

É o caso da Nike que, após um piloto de dois anos, anunciou que não venderá mais seus produtos através da gigante varejista de Jeff Bezos.

A empresa de roupas esportivas informou que irá concentrar seus esforços nas vendas diretas ao consumidor por meio de canais proprietários – uma tendência que já é percebida entre grandes varejistas.

“Como parte do foco da Nike em melhorar a experiência dos consumidores por meio de relacionamentos pessoais mais diretos, tomamos a decisão de concluir nosso atual piloto com a Amazon”, informou a empresa em comunicado.

Outra gigante do varejo, a Ikea, também encerrou acordo semelhante com a Amazon na mesma semana em que o fim da parceria com a Nike foi divulgada.

A empresa sueca de móveis vendia itens de pequeno porte, como luminárias e utensílios de cozinha, no mercado americano, ainda em caráter experimental.

“A decisão mostra que marcas fortes já perceberam que o tráfego dos sites proprietários (por exemplo, NIKE.com) é autossustentável, mais rentável e realmente reforça a marca, enquanto o tráfego e a receita incremental da Amazon.com são menos lucrativos, e não reforçam a marca”, explica o analista da consultoria Jefferies, Randy Konik, em entrevista à CNBC.


Marcas que já nascem DtC 

A democratização da internet, a proliferação das redes sociais e a consolidação do e-commerce propiciaram o surgimento de marcas “direct-to-consumer”.

Também conhecidas como DTC, essas marcas fabricam e enviam seus produtos diretamente para os compradores, sem depender de lojas tradicionais ou de outros intermediários, como a Amazon.

A Warby Parker, por exemplo, é uma marca de óculos que já nasceu DTC. A empresa começou como uma startup em 2010 para vender óculos de grau a baixo custo pela internet. Após uma série de rodadas de investimentos, a Warby Parker lançou lojas físicas nos Estados Unidos e, em 2018, seu valor de mercado atingiu US$ 1,7 bilhão.

No mundo dos cosméticos, a Glossier é um caso de sucesso de empresa que surgiu focada nas vendas diretas ao consumidor em um mercado em que o posicionamento em lojas de departamentos, perfumarias e grandes farmácias é extremamente relevante.

Com foco direto na consumidora, a Glossier conseguiu criar uma comunidade em torno de sua marca para realizar as vendas por canais digitais sem intermediários.

Inspirados por casos como o da Warby Parker e Glossier, e pressionados pelas quedas nas vendas em lojas físicas de shoppings nos EUA, algumas varejistas consolidadas estão seguindo a tendência de marcas que surgiram online com vendas diretas ao consumidor.

A GAP lançou em 2018 a marca de vestuário masculino Hill City, em que só é possível comprar roupas da marca diretamente pelo site, sem intermediários.

Seguindo a mesma linha, a Express, que fatura US$ 2,2 bilhões por ano com sua rede de lojas nos EUA, lançou neste mês a UpWest, uma nova marca roupas e lifestyle nativa digital, com vendas diretas ao consumidor.

Foto de divulgação da Hill City

Em entrevista à Forbes, o consultor Paul Munford, fundador do Lean Luxe, acredita que o peso de ser associada a uma varejista já consolidada pode influenciar negativamente a percepção sobre essas marcas, que talvez não sejam vistas como independentes.

“No entanto, a execução será a chave aqui. As marcas ‘spinoff’  precisam ter sua própria entidade, em oposição a uma submarca do varejista legado”, explicou.


LEIA MAIS

Brechós de luxo crescem e atraem novos clientes, Millennials e Geração Z são os maiores consumidores
GPTW premia as melhores empresas para trabalhar no varejo em 2019

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]