Pesquisar
Close this search box.
/
/
Governança corporativa é essencial para o futuro das empresas

Governança corporativa é essencial para o futuro das empresas

Se executado com assertividade, este sistema garante uma ótima gestão estratégica do negócio

Em um cenário onde mudanças rápidas são praticamente rotineiras, é necessário se adaptar. E quem investe em governança corporativa sabe que este é um princípio que está cada vez mais em ascensão e que gera valor a longo prazo.

Pensar nisso se tornou primordial para quem quer ter uma instituição sólida daqui para frente, pois de acordo com estudo da Right Management, colaboradores motivados e engajados são até 50% mais produtivos. E com este sistema, não só os funcionários são beneficiados, mas toda a estrutura organizacional.

O que é governança corporativa?

Em meados do século XX, período de efervescência cultural, social e financeira, muitas empresas estreitaram suas relações com o comércio internacional, abriram o seu capital e passaram a ter uma grande cartela de investidores e sócios.

Concomitantemente, a globalização proporcionou que as transações e negócios se acelerassem em ritmos nunca antes vistos. Esse contexto, por mais que trouxe avanços cujos resultados são notados até hoje, carregou consigo algumas problemáticas. Uma delas é o fato das lideranças terem se dispersado, gerando o sentimento de perda de controle nos executivos. Por isso, pagar a mais para investir em ações sustentáveis era um modo de retomar as rédeas e investir na longevidade da empresa.

E foi neste momento que surgiu o conceito de governança corporativa: sistema pelo qual as organizações são dirigidas e incentivadas, envolvendo os relacionamentos entre sócios, conselho de administração, diretoria, órgãos de fiscalização e demais partes interessadas, segundo o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC).

Para Olavo Rodrigues e João Castro, sócios da BR Rating – primeira agência de classificação de risco no Brasil, esse conceito também se baseia em uma matriz institucional que monitora os objetivos da empresa e que possui diversos benefícios, entre eles:

  • Mitigar conflitos de agência;
  • Estabelecer políticas;
  • Melhor gerenciamento de riscos e sistema de compliance;
  • Analisar os ambientes micro e macro;
  • Visualizar oportunidades;
  • Aumentar o valor da organização.

Priorizar uma gestão transparente, segundo os profissionais, traz pontos positivos para todos os envolvidos. Acionistas, clientes, fornecedores, colaboradores, comunidade e órgãos de governo criam laços com a empresa e passam a ter mais confiança.

“Se existe um bom sistema de governança, a organização está sendo direcionada e monitorada de forma efetiva e toma as correções de rumo necessárias. Além disso, se divulga seus resultados de forma tempestiva, isso contribui para um maior engajamento e satisfação dos colaboradores”, consideram Rodrigues e Castro.

Portanto, há uma mudança na visão que se tem do negócio de maneira positiva e se cria um círculo virtuoso que traz um melhor alinhamento para estratégias e resultados desejados. No jogo da governança corporativa, todos ganham.

Diretrizes básicas da governança corporativa

O IBGC, ao analisar o Código das Melhores Práticas de Governança Corporativa, lista os princípios norteadores deste tipo de gestão, que são:

  • Transparência: disponibilize informações que sejam de interesse dos demais e não apenas aquelas impostas por disposições de leis ou regulamentos.
  • Equidade: trate todos de forma justa e isonômica sem se esquecer de seus deveres, necessidades e expectativas.
  • Prestação de contas (accountability): os agentes de governança devem prestar contas de sua atuação de modo claro, conciso e compreensível, assumindo integralmente as consequências de seus atos.
  • Responsabilidade corporativa: zele pela viabilidade econômico-financeira das organizações, reduza as externalidades negativas dos negócios e suas operações e aumente as positivas, levando em consideração, no seu modelo de negócios, os diversos capitais (financeiro, manufaturado, intelectual, humano, social, ambiental, reputacional, etc.) no curto, médio e longo prazos.

Além do financeiro: as vantagens em conhecer seu papel na sociedade

Atualmente, investidores dão importância não só aos números, mas também às ações. E foi pensando nisso que a Organização das Nações (ONU), em seu relatório “Who Cares Wins” (2005), cunhou o termo “Environmental, social and governance” (ESG).

A sigla, que em português significa “ambiental, social e governança” elenca os três pilares com os quais as empresas devem apoiar e dar atenção especial a fim de demostrar que está atenta à necessidade de ser sustentável de diversas formas.

Uma amostra dos reflexos da ESG já foi identificada por estudo da consultoria BCG. A pesquisa revelou que empresas que adotaram melhores práticas nesses ramos notaram impactos positivos, como maior lucratividade e melhora em seu valor de mercado ao longo do tempo. Ou seja, estes ideais são muito mais do que apenas palavras.

“O aumento significativo de investimentos com políticas ESG torna a governança corporativa um aspecto ainda mais crucial, pois o sistema desempenha um papel transversal. Ela integra esses três elos de forma consistente e equilibrada para atender as expectativas dos stakeholders, bem como as demandas da sociedade por maior responsabilidade corporativa e socioambiental”, afirmam Olavo Rodrigues e João Castro.

Acompanhar as transformações para melhor liderar

Considerando as constantes atualizações que ocorrem no mercado financeiro, as boas práticas calcadas nesse tipo de governança independente e responsável são essenciais para quem quer ser lembrado perante uma concorrência cada vez mais competitiva. Tendo em vista tudo isso, basta criar protocolos de controle e realizar constante manutenção, como indica Olavo Rodrigues e João Castro, sócios da BR Rating.

“Com sistema de governança implantado, a gestão de riscos fica mais robusta, incluindo a mensuração de impacto ao negócio e probabilidade de ocorrência. Essa matriz deve ser atualizada com visão prospectiva. A empresa formula e executa iniciativas a serem revisadas e aprovadas trimestralmente (idealmente) pelo conselho de administração. Esse processo deve trazer à tona os principais riscos do negócio (bottom-up), quais devem ser evidenciados no topo da estrutura de governança para alinhamento de medidas corretivas (top-down) e mitigação de riscos de reputação da empresa como um topo”, explicam os sócios.

Empresa sólida no futuro

A governança corporativa pode ser aplicada em várias organizações, como as não empresariais, cooperativas e não governamentais. Cabe aos gestores analisarem como implantar com base em suas características e necessidades. De qualquer forma, o sistema já mostrou para o que veio.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]