Pesquisar
Close this search box.
/
/
Como pensar o futuro do sales analytics para melhorar os resultados

Como pensar o futuro do sales analytics para melhorar os resultados

Saber analisar os dados das vendas é essencial para promover um melhor desempenho nas empresas

Acompanhar e gerenciar todas as métricas da empresa é uma habilidade primordial para bons gestores. Por meio delas, pode-se prever resultados, monitorar desempenhos e otimizar processos. No departamento comercial, a prática é vital para a organização, por isso o sales analytics é uma técnica indispensável.

O conceito é baseado na extração de insights através da análise dos dados de vendas. O olhar sobre resultados, tendências e métricas geradas pelo acompanhamento das atividades da equipe comercial, ajuda o surgimento de ideias que permitem estabelecer objetivos e projetar a execução de vendas futuras.

Uma forma de colocar em prática a análise das vendas é estabelecer objetivos e métricas a serem alcançadas pelos funcionários. Por exemplo, definir uma quantidade de contratos a serem fechados, um valor a ser faturado ou uma quantidade de leads novos a serem convertidos em vendas.

Os dados obtidos devem ser usados para o desenvolvimento de estratégias de growth (crescimento). A partir dos resultados coletados é possível saber se as metas estão sendo batidas ou não e, assim, criar ações para a melhoria dos processos tanto no curto quanto no longo prazo.

A importância do sales analytics

Os resultados proporcionados pela utilização correta do sales analytics são inúmeros e devem ser analisados por todos os indivíduos envolvidos no processo de venda, inclusive, os próprios vendedores.

A democratização da informação traz vantagens como:

  • Decisões mais assertivas: os programas de análise de dados ajudam as equipes de venda a tomarem melhores decisões. Pois todos os dados podem ser obtidos em tempo real, sem a necessidade de esperar os relatórios mensais. Essa ação garante com que o processo de venda possa ser feito mais rápido e com menos riscos.
  • Projeções de desempenho: importante para a projeção dos resultados da empresa, o sales analytics também pode ser usado pelos gestores, por exemplo, para determinar uma previsão de quanto tempo levará para chegar a um objetivo. A partir dos dados de vendas também é possível definir o desempenho da equipe responsável pelos acordos comerciais, sendo possível calcular, em média, quanto tempo os funcionários levariam para fechar uma venda.
  • Melhora nos processos: ao analisar os dados de vendas frequentemente, é possível identificar os pontos que podem ser melhorados dentro do processo de negociação. Por meio dessa ação, pode-se economizar tempo, dinheiro e direcionar as estratégias de venda para outras frentes que gerem maior crescimento.
  • Otimização dos investimentos: por meio dos dados, o gestor tem acesso a diversas informações úteis: tempo médio de venda, etapas até a conversão e, até mesmo, os leads em potencial. Com a utilização dessas informações, a equipe de venda pode otimizar os recursos empregados em seus processos, a fim de vender mais, gastando menos.

Como o recurso é usado nas empresas

Apesar da eficácia do método no ambiente empresarial, sua má utilização, ou então, a falta de qualidade na coleta das informações pode acabar prejudicando o bom desenvolvimento do negócio. Segundo o estudo The Future of Sales Analytics, da Gartner, empresa de pesquisa e consultoria, 53% das organizações pesquisadas consideram que os dados de vendas coletados nas empresas podem ser imprecisos ou incompletos.

A pesquisa ainda aponta que apenas 51% das empresas possuem um grupo de governança de dados formalizado. A falta de gestão de dados dificulta o processo de melhora das operações de vendas, já que a qualidade das informações coletadas impacta diretamente a construção de confiança para os insights analíticos.

Ainda de acordo com o estudo, as funções atuais dos líderes de operações de vendas são:

  • Analisar e interpretar os dados obtidos por meio das vendas corretamente. Essa análise irá colaborar com uma projeção clara e que auxiliará a todos os integrantes das equipes comerciais;
  • Instituir dentro da empresa uma equipe responsável pela gestão de dados, com o objetivo de monitorar e promover a qualidade das informações coletadas. Essa equipe poderá supervisionar projetos analíticos, além de colaborar com os interesses de todas as partes que podem se beneficiar com o sales analytics;
  • Dar início a um programa multifuncional de alfabetização de dados para garantir que todos os funcionários que tenham acesso às análises de vendas consigam compreender o valor daqueles dados e façam uma interpretação consistente dos mesmos;
  • Desenvolver um roteiro de análise de vendas que contemple a identificação e priorização de casos em que o uso de tecnologias avançadas oferece maior potencial de ganhos financeiros.

 

Mesmo com as funções bem definidas, o estudo aponta que diversos líderes de vendas responsáveis pelas análises enfrentam uma lacuna cada vez maior entre a análise de dados ideal e o que existe hoje em analytics nas empresas.

Vários são os fatores que estão contribuindo para esse desafio crescente. A pesquisa usa como exemplo o fato de os líderes de operações de vendas citarem a complexidade do negócio e de sua base de dados como o principal obstáculo para o sales analytics. O que poderá se tornar ainda mais complicado à medida que novos sistemas e fontes de dados forem adicionados à pilha de tecnologia empregadas na companhia.

O futuro do sales analytics

A pesquisa realizada pela Gartner também traz uma projeção a respeito do futuro dos dados de vendas. Segundo o documento, o “X analytics” será responsável por desbloquear uma série de novas entradas de dados nos bancos das empresas.

A consultoria cunhou o termo “X analytics” para designar uma classe emergente de tecnologias que podem capturar grande parte do processo de negócios não estruturados, ou seja, informações que resistiram à medição no passado.

O X utilizado na expressão se refere a uma abreviatura para os muitos tipos de entrada de dados que este modelo pode acomodar, como “análise de texto”, “análise de vídeo” ou “análise de áudio”.

Alguns exemplos de análises X em vendas já podem ser vistos em companhias de streams de comunicação de áudio e vídeo, que fornecem insights sobre negócios, inteligência competitiva e recomendações de preços. Além do mais, algumas empresas também já estão incorporando até mesmo dados de conversas telefônicas para fornecer informações sobre treinamento de vendas.

Para a pesquisa, o status atual da análise de vendas só irá mudar a partir da implantação de um plano de migração. Para superar as lacunas entre o estado atual e futuro da análise de vendas e para perceber os benefícios desse estado futuro, os gestores devem se concentrar em alcançar um conjunto de objetivos estratégicos:

  • Alinhar todas as partes interessadas da empresa em um objetivo em comum;
  • Estabelecer uma equipe de governança de dados para permitir coletas de alta qualidade;
  • Elevar os níveis de alfabetização em dados em toda a organização;
  • Priorizar tecnologias analíticas para casos que possuam um impacto potencial nos negócios.

Por meio desses fatores é possível observar o papel essencial do sales analytics dentro de uma organização. Podendo influenciar desde o desempenho de diversos setores da empresa, até mesmo, o tempo médio da realização de uma venda.


+ Notícias 

Como usar dados para aprimorar as estratégias logísticas 

Comando por voz pode transformar o e-commerce 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]