Pesquisar
Close this search box.
/
/
ESG e consciência ambiental: baixa no mercado e otimismo da sociedade

ESG e consciência ambiental: baixa no mercado e otimismo da sociedade

Estudos revelam o baixo desempenho do mercado de investimentos europeu sobre práticas ESG em contrapartida ao crescimento da consciência ambiental em diversos países

As preocupações com a mudança climática e o meio ambiente crescem diariamente e permeiam o dia a dia de cidadãos e lideranças empresariais das formas mais diversas. A agenda ESG (Environmental, Social and Governance), segundo especialistas, deverá ser o assunto deste ano. No entanto, dados recentes de um estudo realizado na Dinamarca evidenciam uma certa contradição no mercado Europeu, frente a consciência de cidadãos em outras partes do mundo como revela outro estudo global. Entenda a seguir.

Na Dinamarca, um dos países com mais pegada sustentável que se tem notícias, as preferências de investidores mulheres por empresas com compromissos ESG é maior do que a de homens. Um estudo apontou que as mulheres estão mais dispostas do que os homens a sacrificar retornos para defender a causa ambiental, social e de governança. A análise tem como base uma pesquisa da Danske Invest, marca de fundos mútuos administrados por empresas de gestão de fundos do banco dinamarquês Danske Bank.

Leia mais: Como a sustentabilidade tem influenciado o varejo de vestuário 

Natalia Setlak, estrategista sênior do Danske Bank, disse em nota à Bloomberg que “os homens são mais céticos quando se trata de investimentos sustentáveis”. Ela aponta que 23% dos homens pesquisados acham que o ESG tem um “efeito negativo nos retornos”. Para as mulheres pesquisadas apenas 10% tinham a mesma opinião.
Os dados mostraram que 59% dos homens ainda seguem interessados em investir em empresas que ignoram causas ambientais caso elas projetem maior retorno de investimentos (entre as mulheres pesquisadas, 41% defendem essa postura).

Para o mercado esses números devem balizar estratégias de gestores de ativos que deverão estar atentos às visões sobre ESG de investidores, já que regras da Diretiva dos Mercados de Instrumentos Financeiros da Europa, revisadas há pouco tempo, exigem que os consultores financeiros confrontem seus clientes e lhes perguntem sobre suas preferências de sustentabilidade.

ESG ainda em baixa

Mesmo com os fundos ESG mostrando desempenho abaixo do esperado na Europa, conforme dados compilados pela Bloomberg, (fundos europeus de ESG perderam uma média de 8,9% este ano), Natalia Setlak, acredita que “não há razão para supor que as empresas com um perfil forte em sustentabilidade terão um desempenho de negócios ruim no futuro”.

Para a estrategista sênior do Danske Bank, deveria ser o contrário, “se uma empresa age com responsabilidade em relação às questões ambientais e sociais, isso pode ser positivo para futuras oportunidades de negócios, já que muitos clientes estão cada vez mais exigentes e conscientes sobre os negócios com os quais eles interagem”, diz.

Brasileiro acredita que é possível reverter os impactos ambientais

Ainda sobre o tema da sustentabilidade, uma outra pesquisa realizada pela Pearson, denominada “Global Learner Survey”, aponta que 64% dos brasileiros acreditam que ainda é possível reverter os impactos das mudanças climáticas. O estudo, também realizado em outros países, mostra ainda que a maioria dos entrevistados no Brasil estão buscando informações sobre sustentabilidade.

esg
Imagem: canva.com

Latinos são otimistas

Brasil e México são os mais otimistas: dois terços dos entrevistados nesses países (ambos com 64%) acreditam que os efeitos das mudanças climáticas ainda podem ser evitados. Os brasileiros (71%) também lideram o grupo de entrevistados que atualmente estão tentando se informar sobre as questões climáticas. A China tem a menor proporção (48%).

Fontes de informação para consciência ambiental

A maioria dos entrevistados no estudo da Pearson (61%) está ativamente tentando se educar sobre as questões climáticas. As três principais fontes de informação que os respondentes estão usando atualmente são: imprensa (58%), redes sociais (43%) e filmes (42%). Curiosamente, apesar do acesso às redes sociais ser alto, essa fonte de informação está entre as menos confiáveis para os participantes (51%). As mais confiáveis são experiência pessoal (77%), livros (76%) e filmes (72%).

A pesquisa ainda mostra que 84% dos entrevistados dizem que, depois de aprender mais sobre as mudanças climáticas, eles agiram em suas próprias vidas para reduzir seu impacto. Nesse caminho, Juliano Costa, vice-presidente de Produtos Educacionais da Pearson Latam, destaca que a educação assume um papel fundamental para preparar as gerações atuais e futuras para viver em um mundo sustentável. “Para preservarmos o futuro do nosso planeta, temos a formidável ferramenta da educação, que sempre foi um motor poderoso para promover mudanças”, salienta.

Leia mais: Sustentabilidade: por que ainda é difícil ganhar escala no mercado? 

Outras descobertas do Global Learner Survey

  •  55% dos entrevistados afirmam que provavelmente procurarão emprego em uma área que tenha um impacto positivo sobre o meio ambiente. México 68%, Brasil 63% e China 62% lideram os índices.
  • 58% dos entrevistados não sentem que os tópicos relacionados ao meio ambiente foram ensinados de forma adequada quando eles estavam na escola. O Brasil está na contramão desse índice, com 44%.
  • Brasil e México são os dois países que preferem começar essa educação já na fase pré-escolar, com 48% e 51%, respectivamente.
  • Para brasileiros (53%) e mexicanos (54%) é muito importante que as suas carreiras tenham um impacto ambiental positivo, enquanto EUA (28%), Reino Unido (19%) e China (28%) tem índices mais baixos.

Análise

Se cabe aqui uma análise para um tema tão amplo e complexo, em resumo, poderíamos sugerir algumas provocações.

Consciência ambiental prevalece em países onde sua geografia e cultura influenciam naturalmente a consciência e opinião de seus cidadãos sobre sustentabilidade e defesa ao meio ambiente? As mulheres, conhecidas por tomar decisões financeiras com base no que é melhor para seus filhos e sua família e a pensar mais no futuro, são mais alinhadas com investimentos em empresas com senso de comunidade e planeta? Países com um histórico colonizador continuarão a rezar na cartilha de prioridades e resultados a curto prazo? Consciência ambiental e lucro não falam a mesma língua?

Enquanto encontrarmos o interesse em pesquisas, pautas governamentais, discussões e pluralidade de opiniões sobre a importância do meio ambiente e temas da agenda ESG, haverá esperança para uma reformulação dessas questões e um futuro sustentável e longevo para sociedade e, porque não, para os negócios também.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente


+ Notícias

Sustentabilidade: por que ainda é difícil ganhar escala no mercado? 

Reciclar por um mundo melhor 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]