Pesquisar
Close this search box.
/
/
Empreendedorismo feminino: 5 dicas para gerar uma liderança confiante

Empreendedorismo feminino: 5 dicas para gerar uma liderança confiante

Cientista cosmética e especialista traz dicas para começar o seu negócio com segurança

Se antes o sexismo determinava o gênero de quem poderia estar à frente dos negócios, cada vez mais, com a emancipação feminina, as mulheres conquistam espaço no mercado e mostram que não estão no jogo para brincar: o empreendedorismo feminino está estampado na capa de grandes jornais, ilustra matérias de televisão e tem transformado os números dos principais indicadores.

Justamente no Dia Internacional da Igualdade Feminina, comemorado em 26 de março em homenagem à conquista do sufrágio pelas mulheres em 1973, nos Estados Unidos, um dado se sobressai: de acordo com o Relatório Especial de Empreendedorismo Feminino, realizado pelo Sebrae, o Brasil já é o 7º país do mundo com mais mulheres empreendedoras.

No entanto, ainda que as brasileiras estejam mais que dispostas a exercer a liderança de seus negócios, há impeditivos que podem dificultar essa jornada. É um fato: a cultura dos negócios sempre foi incuntida no universo masculino, então alguns desafios são proporcionalmente mais árduos para as mulheres. Entre eles, vale destacar, há a estruturação de estratégias para garantir a perpetuidade do negócio, dificuldade para ter acesso ao crédito necessário, planejamento, risco e acompanhamento de indicadores.

Empreendedorismo feminino: como garantir um negócio mais promissor?

Para Jackeline Alecrim, cientista e empreendedora no segmento cosmético, existe todo um universo pensado para os negócios que, por si só, já é desafiador. E para sair na frente, é preciso ter um conhecimento prévio, bem como uma organização e planejamentos rigorosos.

“Quando uma mulher resolve empreender, ela enfrenta inúmeras adversidades, incluindo o desafio de conciliar suas características fisiológicas a um mercado machista, dominado por homens. Somente rompendo esses estigmas sociais conseguimos avançar na busca de nossos sonhos e projetos profissionais”, conta a especialista, que também é pioneira na criação do uso do extrato biotecnológico de café para tratar a queda no cabelo.

Para quem está começando, ela destaca cinco dicas para que as mulheres possam abrir seus negócios com mais confiança, além de fortalecerem o empreendedorismo feminino:

O planejamento é o começo de todo negócio

“Um plano de negócios deve apontar, no mínimo, todos os custos da empresa, a margem de lucro, uma lista de estratégias para a captação de clientes e uma definição de expectativas versus custos para o crescimento do negócio”, explica a cientista.

O principal, dessa forma, é recorrer à organização para planejar tudo o que é possível antes de colocar a “mão na massa”. E há algo importante nessa trajetória: ainda que haja um plano de ação, é comum que algumas coisas saiam desse controle — e está tudo bem. Nem tudo corre da forma como planejamos, o importante é ter ponta firme para manter o empreendimento em pé.

Custos e preços precisam condizer com a realidade

Há uma infinidade de erros que podem ocorrer no processo de abrir o próprio negócio, que normalmente ficam por detrás das cortinas. Quando o erro tange o consumidor, no entanto, os reparos são mais difíceis.

Para Alecrim, um dos erros mais frequentes tem relação direta com a precificação. “Muitas vezes, a empreendedora não considera todos os custos envolvidos na produção ou na entrega de um serviço e acaba precificando o produto ou o serviço de maneira incorreta, prejudicando o lucro ou criando a ideia de uma margem ilusória”, destaca.

Aqui vale destacar que muitas vezes o valor anunciado também deixa de fora o trabalho da empreendedora para concorrer com o mercado. É importante sempre valorizar todas as etapas do processo e incluí-las no preço final.

Sem vontade, nada vai para frente

Abrir um negócio só porque está em busca de remuneração instantânea pode ser uma má ideia. Primeiro porque, para conquistar uma boa remuneração, é preciso paciência, investimento e tempo.

“Quando trabalhamos com algo que amamos, o sucesso do negócio se torna uma consequência, se houver foco e planejamento”, salienta Alecrim.

A motivação é uma das partes menos comentadas sobre o início de qualquer negócio e tê-la sempre presente é justamente o que faz a roda girar. Sem ela, é inevitável: uma hora ou outra, o negócio tende a estagnar.

Conhecimento é poder

Sobretudo por uma questão cultural, algumas das principais informações sobre os negócios são muitas vezes privadas das mulheres: são elas as que menos tem conhecimento sobre finanças, gerenciamento, entre outros.

Dessa forma, a melhor maneira de se sentir segura e preparada para empreender é aprendendo: “Agora que você vai ser uma empreendedora, vai precisar entender sobre tributos, vendas, marketing, gestão de pessoas e tudo que está relacionado ao mercado do seu ramo de atuação”, explica Alecrim.

E ainda que haja uma barreira financeira, hoje já existe uma série de materiais disponíveis em plataformas gratuitas da internet. É claro que a formação é essencial para um bom desempenho nos negócios, mas qualquer um tem a oportunidade de começar com o que tem em mãos — e todo esse esforço é mais que válido.

A experiência vale ouro

Começar do zero e sozinha pode ser um tanto quanto desafiador. No entanto, por mais que pareça, nem todo empreendimento precisa começar assim. Conhecer outras mulheres empreendedoras nessa jornada pode ser muito agregador, tanto para trocar experiências e mentorias quanto para criar uma rede de apoio.

“Além de auxiliar as mulheres em suas dúvidas cotidianas, os grupos de empreendedoras criam uma rede de apoio e, ainda, funcionam como um meio de fortalecer o networking de todas”, explica Alecrim.

Esses grupos de empreendedorismo feminino hoje já estão disponíveis em inúmeras plataformas, especialmente nas redes sociais, como Facebook, Instagram, Twitter e WhatsApp.


+ Notícias

O jeito Stone de fomentar o empreendedorismo

Conheça o Projeto Cozinheira & Brasileira, que incentiva mulheres empreendedoras no ramo gastronômico

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]