Pesquisar
Close this search box.
/
/
Qual é o efeito das big techs na área de atendimento em saúde?

Qual é o efeito das big techs na área de atendimento em saúde?

A disputa das empresas de tecnologia pelo mercado trilionário já traz mudanças e novos serviços aos consumidores

Se depender das big techs, o atendimento médico, os serviços da área de saúde e a atenção ao próprio bem-estar de cada pessoa não serão mais os mesmos. Amazon, Google, Microsoft, Apple e Oracle são as grandes companhias de tecnologia que hoje disputam um mercado que pode valer cerca de US$ 11 trilhões e, com isso, trazem transformações que cada vez mais chegam à vida dos consumidores.

“É um mercado gigante, com trilhões de dólares em jogo. E as big techs de que falamos são as maiores companhias do mundo, com uma base de usuários enorme. O que elas veem aí é essencialmente um sistema fragmentado que pode se beneficiar de automação, inteligência artificial e sistemas que elas podem fornecer”, comenta o analista-chefe Alex Lennox-Miller, que estuda como tecnologias emergentes têm impactado as organizações de saúde.

A análise foi feita em um painel da CB Insights, empresa com banco de dados global que fornece inteligência de mercado sobre companhias privadas e atividades de investidores. O evento online dissecou as estratégias mais recentes das cinco big techs no mercado de saúde e como isto vem impactando no atendimento ao cliente.

No cenário, entram em cena não só a caça por oportunidades na área trilionária por parte das gigantes de tecnologia, mas também as expectativas crescentes dos consumidores e pacientes sobre como suas experiências devem ser.

Leia mais:
Novos rumos de privacidade no metaverso e no uso do blockchain

Apple

Os investimentos mais visíveis da Apple na área de atendimento em saúde focam em ferramentas que ajudam os pacientes a monitorarem suas condições físicas e de bem-estar. Um exemplo recente são os avanços no projeto que propõe o monitoramento não-invasivo (sem perfuração) dos níveis de glicose de pacientes diabéticos por meio do Apple Watch.

Em desenvolvimento há doze anos, o mais novo passo do projeto busca fazer a medição com uma tecnologia de chip, por meio de um processo chamado espectroscopia de absorção óptica.

“São cerca de 40 milhões de americanos com diabetes, mas apenas em torno de 4 milhões usam monitores contínuos de glicose, então o mercado disponível é bastante óbvio para a nova ferramenta”, avalia o analista-chefe da CB Insights.

No entanto, a novidade não foi o primeiro movimento da big tech neste sentido, uma vez que diversas funcionalidades voltadas à área de saúde já foram introduzidas no Apple Watch, como monitoramento cardíaco e do sono, alertas sobre disfunções neurológicas e emergências com pais idosos e assistência a usuários que necessitam de acessibilidade.

Outro dispositivo que pode caminhar para ser um aliado a pacientes são os AirPods, fones de ouvidos da marca. A Apple tem registrado diversas patentes relacionadas a eles, como sensores biométricos capazes de medir parâmetros como frequência cardiorrespiratória e oxigenação do sangue.

Microsoft

Em contraste às ações da Apple que são sentidas diretamente pelo usuário final, a Microsoft tem focado seus esforços em aprimorar a infraestrutura que pode servir de base para uma atuação na área do atendimento médico e em saúde. Ou seja, tem assumido para si um papel auxiliar.

São exemplos sua plataforma em nuvem Azure, que tem funcionalidades voltadas a soluções clínicas e tecnológicas – ela foi adotada por 32 novas clínicas do Walmart, que promete ser um dos maiores players na atenção primária em saúde nos EUA nos próximos anos – e a Nuance, empresa adquirida pela big tech em 2021 que trabalha com inteligência artificial voltada a resultados em todos os setores, inclusive da saúde.

A Nuance e a Microsoft, por sinal, anunciaram recentemente o novo aplicativo Dragon Ambient eXperience (DAX) Express, que combinando inteligência artificial com o GPT-4, da OpenAI, fornece possibilidades para documentação clínica automatizada e integrada ao fluxo de trabalho.

Amazon

“A grande lição da Amazon nos últimos tempos é que ela percebeu que tecnologia voltada a fornecer infraestrutura para atendimento médico é difícil de construir. Por isso compraram uma”, fala o analista-chefe da CB Insights, Alex Lennox-Miller.

De fato, a aquisição pela Amazon da One Medical, cadeia de clínicas de saúde primária americana, por US$ 3,9 bilhões foi concluída este ano e marca a entrada definitiva da big tech no mercado de saúde.

Os serviços já prestados pela empresa, que englobam atendimentos presenciais e virtuais, além de exames laboratoriais, a princípio não foram alterados, mas a Amazon já chegou a afirmar que o plano é fazer uma reinvenção dos cuidados de saúde com a compra.

Dessa forma, a One Medical se une a um ecossistema bastante completo que a big tech de Jeff Bezos vem apresentando nos últimos anos, que inclui a Amazon Pharmacy, aplicativos de saúde e funcionalidades personalizadas na Alexa para assistência médica.

Conheça o Mundo do CX

Google

Embora não tenha um foco único, quando se fala em soluções tecnológicas para a área médica o Google está em todos os lugares, desde oferecendo serviços de nuvem que abrigam ferramentas a aplicativos que utilizam IA e outros funcionalidades para facilitar a vida tanto dos profissionais da saúde, como o MedPalm, quanto de próprios desenvolvedores, como o Open Health Stack.

Além disso, o Google é presença constante na vida dos consumidores e pacientes. “Assim como reservavam uma mesa para jantar, os usuários hoje procuram o Google para reservar consultas médicas, colocar agendamentos no calendário e procurar recomendações de profissionais e provedores em saúde”, explica o analista-chefe da CB Insights.

Oracle

Surpresa na lista das big techs a disputarem o mercado de “healthcare”, a Oracle pode até ser o mais novo dos grandes players do setor, mas já chegou apostando alto: com a aquisição de US$ 28 bilhões da empresa de registros médicos eletrônicos e gestão hospitalar Cerner. A maior compra da década feita pela companhia é uma tentativa de peso de fortalecer sua presença neste mercado.

Contudo, enquanto as divulgações da Oracle focam nos números positivos, como o crescimento de seu serviço de nuvem e de novos contratos, suas ações caíram na bolsa, o que mostra que o mercado ainda está um tanto quanto cético em relação à gigante de tecnologia.

“Ao que tudo indica, as outras big techs ainda estão no aguardo para ver se a Oracle vai conseguir alavancar este projeto. Temos que esperar para ver enquanto ela continua trabalhando para integrar a Cerner ao restante do seu ecossistema”, completa Alex Lennox-Miller.



+ NOTÍCIAS
Por que especialistas em IA de Big Techs e universidades querem dar um tempo na Inteligência Artificial
Fintechização? Magalu amplia os recursos de sua vertical financeira

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]