Pesquisar
Close this search box.
/
/
Educação para um mundo dominado por IAs

Educação para um mundo dominado por IAs

Por que a França lidera essa corrida e o que podemos aprender? O VivaTech trouxe uma reflexão importante sobre esse assunto

As avaliações elevadas da França em matemática servem como explicação para o desempenho do país no desenvolvimento de sua educação. Recentemente, o sistema educacional passou a utilizar ferramentas de IA com resultados notáveis. Em pouco tempo, o país tornou-se líder nessa concepção inovadora de ensino. Claro que há outros fatores, mas há motivos para preocupação, já que a competição global desafia a posição francesa no uso bem-sucedido da tecnologia para formação de novos talentos.

O que podemos aprender com a experiência do país nessa área promissora? O Brasil discute há décadas formas de incrementar a qualidade da educação e perde tempo procurando soluções “tropicais” e pasteurizando o ensino, sem obter resultados consistentes.

Yves Poilane, Diretor da ParisTech, fez uma apresentação sobre o uso e a experiência francesa no uso de IA na formação de quadros para o mercado e para sociedade. Ele vê o uso dessa tecnologia como uma vantagem competitiva e que seu nível de desenvolvimento atual traz muitos benefícios para o aprendizado. Foi-se o tempo em que ela podia nos assustar, depois da famosa derrota de Garry Kasparov para o Deep Blue, em um torneio de xadrez há mais de 20 anos.

Em busca do protagonismo

A ParisTech é uma rede francesa de dez Escolas de Graduação de Engenharia e Ciência que trabalham em conjunto para o desenvolvimento de projetos comuns em educação, pesquisa e inovação na área de ciência, tecnologia e gestão.

A complementaridade nas áreas de excelência das Escolas ParisTech proporciona aos estudantes, pesquisadores e a todos os parceiros (institucionais e empresas) uma oferta interdisciplinar diferenciada e poderosa de treinamento e pesquisa. A ParisTech também tem diversos acordos de cooperação e parcerias internacionais em educação e pesquisa.

Yves diz que hoje a França disputa com a China o protagonismo no uso educativo da IA, particularmente na formação de grandes cérebros especializados em matemática, engenharia e informática, carreiras de ponta na era digital. Efetivamente, a formação dos engenheiros e matemáticos franceses ganhou impulso e qualidade superior pela aplicação de sistemas e algoritmos no entendimento e preparação de conteúdos voltados para IoT, preservação de energia e uso racional de recursos naturais. Outras carreiras beneficiadas pelo investimento francês nos sistemas digitais foram a engenharia eletrônica e a medicina. Ao mesmo tempo, as IAs trouxeram conhecimento de amplo espectro para os jovens estudantes, permitindo compartilhar dados que ressaltam benefícios sociais nas atividades e na atuação profissional.

IAs

Dinheiro, sempre o gargalo

O executivo é hoje o responsável pelo sistema de financiamento da Paristech para estimular a criação de startups e também de scale ups de grande impacto social e tecnológico, inclusive em nível global. E que a posição da Franca no cenário global depende, de modo vital, na atualização dos currículos e da qualidade dos profissionais formados nas universidades.

Comparando esse posicionamento do país europeu com a medíocre discussão e conceitos de educação que temos hoje no Brasil, estamos diante de um quadro assustador. Simplesmente, nossa visão de educação está completamente descolada da realidade global e nem de longe nos traz qualquer vantagem competitiva. Estamos formando jovens sem qualificação, desperdiçando talentos. Somente o acaso explica os profissionais de bom nível que temos hoje nas nossas empresas.

Mas como o país pode manter essa vantagem em relação a outros mercados de alta qualificação em nível global e mais, fazer com que esses novos talentos possam contribuir para a dinamização da economia francesa? O grande gargalo hoje, tal como no Brasil, é a falta de maiores recursos para financiar a melhoria de um ensino que já mostrou resultados. Yves citou o caso de Steve Schwarzman, CEO da Qualcomm que doou US$ 30 milhões para o Massachusetts Institute of Technology – MIT – e Jesper Ho, CEO da Lidl Supermarkets, da Alemanha, que doou US$ 100 milhões para uma Universidade local. O curioso é que as verbas para educação estão estagnadas há anos. O governo não tem dinheiro, não há muito investimento de fundos, nem motivação para atividade filantrópica ou investimentos de empresas que se beneficiam da mão de obra de alta qualidade do país. E isso em uma economia que permite descontar até 67% do recurso investido em educação do imposto de renda.

IAs

Reféns do obscuro

O jogo da relevância no mercado global é bruto, pesado e exige recursos e gente qualificada. Se a França, com uma educação de bom nível e bons quadros vê seu protagonismo em risco, que dirá nosso Brasil, onde a educação é vítima de corporações, conceitos antigos, visões equivocadas e negação da realidade? O Brasil precisa desesperadamente de profissionais capazes de repensar a nossa realidade, de oferecer soluções que modernizem o país e tragam benefícios sociais evidentes, além de contribuição para o fomento de mercados fortemente competitivos em nível global. Passeatas nas cidades infelizmente só ajudam nossa educação a permanecer na obscuridade.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]