Pesquisar
Close this search box.
/
/
A deficiência está no serviço

A deficiência está no serviço

É preciso ressignificar nossas próprias concepções sobre o que é deficiência e entender que para qualquer serviço haverá perfis extremos

Muitas oportunidades nascem de dores identificadas ao longo do caminho de uso de um produto, serviço ou experiências. E para mapear essas dores é preciso ir além de desenvolver um alto poder de escuta. É necessário entender o serviço do ponto de vista de múltiplos outros, com necessidades, comportamentos e limitações específicos.

Nunca me esqueço de um workshop que dei para um grupo de profissionais com deficiência auditiva. Ao pedir ideias que melhorasse a experiência de determinados momentos de uma viagem, presenciei foco, motivação e vontade que não tinha visto antes. Aquele grupo tinha uma dor real, e solucioná-la era uma prioridade para melhorar a qualidade das suas vidas.

É nessas horas em que você entende o verdadeiro significado da palavra empatia, de não somente se colocar no lugar do outro, mas de sentir o que o outro sente. A expressão do grupo ao apresentar a ideia refletia a urgência daquela solução para amenizar a deficiência própria do serviço. Ao contemplar necessidades latentes de um grupo específico (que geralmente chamamos de perfil extremo), o serviço se torna mais bem preparado para atender a todos de uma forma geral. No caso, a ideia apresentada era uma solução para resolver a comunicação nos aeroportos.

A sinalização dos voos é feita por painéis visuais, que nem sempre acompanha o aviso sonoro. Ou seja, um deficiente auditivo obrigatoriamente vai se orientar por sua visão. Caso o aviso sonoro de mudança de portão aconteça de última hora (o que ocorre com frequência), as pessoas com limitações auditivas terão que correr pelos corredores. Esse foi o relato de quem passa por isso por mais vezes do que gostaria. Um serviço que ofereça diversas formas de aviso, devidamente coordenadas no tempo, facilitará a vida não apenas dos deficientes auditivos, mas de outras deficiências, limitações temporárias (pessoas que sofreram algum tipo de cirurgia), idosos com uma visão comprometida, e até estimular crianças em fase de alfabetização a partir de representações visuais mais simbólicas, coloridas e didáticas.

É preciso ressignificar nossas próprias concepções sobre o que é deficiência e entender que para qualquer serviço haverá perfis extremos, fundamentais para testar a sua abrangência e pertinência, ampliando sua relevância para o público em geral. É atender a uma maioria ao resolver as particularidades de múltiplas e diferentes minorias.

Felizmente vejo o crescimento de exemplos de soluções nascidas para resolver a deficiência do sistema a nossa volta. Cito alguns dos mais destacados criados recentemente.

Ikea ThisAbles que atende a uma necessidade latente de pessoas com alguma limitação física. Como os móveis para deficientes físicos costumam ser mais caros, a Ikea de Israel estendeu o propósito da empresa de fazer design acessível, adequando seus próprios móveis para essas necessidades (criando e prototipando os móveis com a ajuda desses próprios usuários). Treze produtos novos foram criados e estão disponíveis no site www.thisables.com para que possam fazer o download e imprimir em 3D.

Go Back To Africa: esse trabalho ajudou a reenquadrar a maneira como as pessoas pensam sobre a Africa ao criar uma plataforma que discorre sobre o ódio em torno do insulto racial.

The E.V.A. Initiative, da Volvo Cars, by Forsman & Bodefors, Gothenburg (Creative Strategy). A campanha visa melhorar a igualdade de gênero na segurança dos carros, a partir de pesquisas, ajudando outras montadoras a produzir carros mais seguros.

See Sound, um produto que pode revolucionar a vida de pessoas com deficiência auditiva. O aparelho é conectado à internet e colocado em tomadas pela casa e, assim, capta qualquer som diferente ao redor. A partir de uma análise sonora via inteligência artificial, busca referências e envia uma mensagem de texto para o celular da pessoa, como “som de uma criança chorando”, “som de alarme de incêndio”, “som de janela batendo”, etc. O interessante é que o fundador deste projeto, Greyson Watkins, é o próprio usuário com deficiência auditiva, um exemplo do comentado no início deste texto, sobre a motivação de resolver um problema, a partir de quem o sente no dia a dia.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

*Por Graziela Di Giorgi, CGO e diretora Brasil da SCOPEN.


+ Artigos

A definição de lealdade mudou

A reinvenção da Volvo: de montadora a provedora de energia

 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]