Pesquisar
Close this search box.
/
/
Cidades estão começando a proibir carros pelo mundo

Cidades estão começando a proibir carros pelo mundo

Enquanto o hyperloop tenta quebrar as barreiras do som, cidades de economia fortalecida banem carros visando um futuro sustentável

Conheça as 7 regras para o uso de patinete elétrico na cidade de São PauloCarros voadores, veículos autônomos e hyperloop – por um lado, a tecnologia evolui para que os meios de transporte se modernizem e se tornem cada vez mais high tech, por outro, algumas cidades estão apostando em um futuro totalmente livre de carros.
E não à toa. O setor de transportes é a maior fonte de emissões de gases de efeito estufa. O Acordo de Paris, assinado por 195 países, tem como objetivo reduzir a emissão de poluentes e limitar o aumento da temperatura global a até 2°.
Alguns países já estão engajados no projeto estabelecendo zonas ou cidades inteiras onde a circulação de veículos motorizados é proibida, e recursos alternativos de mobilidade são oferecidos, como ciclofaixas, patinetes ou passes de trens gratuitos.

A cidade das bicicletas

Amsterdã já é uma cidade muito conhecida pelas bicicletas, tendo uma “população” de bikes superior a de habitantes. Apesar do altíssimo engajamento da população com este meio transporte, o governo holandês ainda não se deu por satisfeito: o planejamento urbano da cidade visa proibir todos os veículos movidos a diesel e a gasolina até 2030.
Para atingir este marco, estão sendo implementadas mudanças na infraestrutura local, como o estreitamento de ruas, liberação de metrô em horários noturnos, passes livres nos finais de semana e eliminação de estacionamentos.

carros
Foto Unsplash

Noruega: transformação econômica

Oslo, a capital norueguesa, foi uma das cidades mais recentes a executar uma política livre de carros em sua zona central.
De acordo com a BBC, muitos motoristas e empresários do país foram contra esta implementação, e se mostraram céticos em relação à funcionalidade da mudança. Porém, foram obrigados a voltar atrás no argumento, uma vez que a economia local melhorou em diversas áreas.
Muitos locais da cidade, antes vazios, passaram a receber pedestres, passeando e consumindo em estabelecimentos. As lojas estão mais cheias, o trânsito está livre, o ar está mais limpo e os espaços estão sendo mais bem utilizados – os estacionamentos deram lugar para ciclofaixas e outras soluções urbanas.

Turismo e comércio em alta

Outras cidades pelo mundo que já adotaram uma política “car-free” para seus centros urbanos foram Madri, na Espanha, Fez, no Marrocos e Fazilka, na Índia.
Em Paris, o primeiro domingo de cada mês é livre de carros. Nova Iorque possui limitações em certas regiões, como o Central Park e a Times Square. Em São Paulo, a Avenida Paulista é fechada para carros aos domingos e aberta para passeios a pé, práticas de esportes, feiras e shows.
Outros locais apostam em cidades sem trânsito para fomentar o turismo, como Veneza, na Itália, e Giethoorn, na Holanda, onde o transporte é feito totalmente a pé ou a barco.
Muitas cidades turísticas europeias seguem este padrão, forçando as pessoas a caminharem ao ar livre e conhecerem melhor os arredores, tendo a oportunidade de vivenciar a cidade.

Foto Unsplash

Forças contrárias

Uma preocupação recorrente na adoção de políticas públicas livres de carros é o desemprego, uma vez que muitas pessoas dependem de dirigir para sobreviver.
Segundo a BBC, contudo, outras duas tendências correm paralelas ao decréscimo dos carros nessas cidades: o aumento dos trabalhos homeoffice e o retorno dos subúrbios para os centros das cidades.
De fato, estas mudanças precisam andar acompanhadas com alternativas que sustentem as lacunas deixadas por estas transformações – caso contrário, a economia despencaria.
Ao mesmo tempo em que os carros somem de vista, os negócios que envolvem patinetes, bicicletas e carros elétricos ganham cada vez mais força, trazendo outras oportunidades para profissionais.
Da mesma forma, ambulâncias, carros de bombeiros e veículos policiais continuam trafegando normalmente em cidades livres de carros. Neste caso, as estradas são substituídas por faixas de tráfego exclusivas e desenhadas em trechos estratégicos de circulação.

JÁ SEGUE A CONSUMIDOR MODERNO NO INSTAGRAM?

 

Ver essa foto no Instagram

 

Alguns países já estão engajados no projeto estabelecendo zonas ou cidades inteiras onde a circulação de veículos motorizados é proibida, e recursos alternativos de mobilidade são oferecidos, como ciclofaixas, patinetes ou passes de trens gratuitos. Amsterdã já é uma cidade muito conhecida pelas bicicletas, tendo uma “população” de bikes superior a de habitantes. Apesar do altíssimo engajamento da população com este meio transporte, o governo holandês ainda não se deu por satisfeito: o planejamento urbano da cidade visa proibir todos os veículos movidos a diesel e a gasolina até 2030 Veja mais em consumidormoderno.com.br #bicicletas #mobilidade #sustentabilidade #carros #futuro #leis #inovacao

Uma publicação compartilhada por Consumidor Moderno (@consumidormoderno) em


+ NOTÍCIAS

Conheça as 7 regras para o uso de patinete elétrico na cidade de São Paulo
Berlim é líder mundial em ranking de mobilidade urbana
Os novos caminhos da mobilidade: um design para o futuro


 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]