Pesquisar
Close this search box.
/
/
Carros elétricos em xeque: os desafios para o setor

Carros elétricos em xeque: os desafios para o setor

Preços altos, pouco conhecimento e extração de materiais de baterias são lombadas na autoestrada dos veículos elétricos.

A BYD – fabricante chinesa de carros elétricos e híbridos – superou as vendas globais da Tesla, que por sua vez apenas produz carros elétricos. Em 2023, a organização de Elon Musk vendeu 1,8 milhão de unidades, número que representa um avanço de 38% em relação ao ano interior. Já a BYD vendeu 1,57 milhões e veículos elétricos e 1,44 milhão de carros híbridos, mostrando que a marca está pronta para competir pela liderança de um mercado que cresce em número de players.

Por outro lado, a Ford anunciou o adiamento do investimento de US$ 12 bilhões na produção de veículos elétricos. Já a General Motors (GM) deixou de lado o objetivo de produzir 400 mil carros elétricos em meados de 2024. Por fim, a Volkswagen cancelou a construção de uma fábrica de veículos movidos a bateria na Alemanha, a um valor de US$ 2 bilhões.

Ritmo mais lento para veículos elétricos

No Brasil, por exemplo, o Governo Federal definiu um imposto de importação entre 10% e 12% para veículos a bateria e híbridos plug-in, com aumento escalonado até atingir 35% em julho de 2026. Já nos Estados Unidos, há uma taxa de importação de 27,5% para veículos chineses. Na Europa, a tarifa é de 10%, apesar de oferecer benefícios de tributação para carros elétricos e híbridos. Além disso, o preço da gasolina – que foi um forte motivador para consumidores adquirirem um carro movido a uma fonte de energia mais barata – diminuiu em todo o mundo.

Agora que o hemisfério norte passa pela temporada de inverno, diversos donos de veículos elétricos reportaram menor eficiência das baterias dos carros, que estão durando menos do que em outras estações do ano. Segundo a American Automobile Association (AAA), quando as temperaturas atingem abaixo de 20 °F – aproximadamente menos 6 °C – e o ar-condicionado está funcionando, as baterias de lítio dos carros elétricos perdem uma média de 41% de sua capacidade.

Há também uma rede de recarga elétrica ainda insuficiente para a demanda esperada. No Brasil, o mês de maio de 2023 fechou com 3.200 pontos de recarga. Segundo a Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL), a previsão é que o país amplie essa rede para 80 mil pontos até 2030.

O dilema da sustentabilidade

Por mais que o ritmo das vendas de carros elétricos tenha diminuído em todo o mundo, organizações e governos ainda dão sinais de que pretendem investir na tecnologia e alavancar o consumo. A ABVE prevê que, somente em 2024, 150 mil unidades de veículos elétricos serão emplacados no Brasil. Já o governo de Joe Biden, nos Estados Unidos, colocou como meta que, até 2030, metade de todas as novas vendas de veículos em todo o país seja elétrica. A iniciativa faz parte do esforço para diminuir as emissões de gases de efeito estufa, que tem boa parte de sua origem no setor de transportes.

Estradas para os carros elétricos

A boa notícia é que algumas soluções podem ser tomadas para mitigar os impactos sobre as condições de trabalho nas minas em todo o mundo, assim como sobre a pegada de carbono: a reciclagem.

Ainda segundo o estudo da McKinsey, a pegada de carbono dos materiais reciclados de bateria é, em média, quatro vezes menor do que o uso primário. A Apple anunciou em abril de 2023 que, até 2025, usará apenas cobalto 100% reciclado nas baterias de seus dispositivos como iPhone, Macbook e iPad. Não só isso como os imãs de aparelhos e placas de circuito impresso serão também fabricados a partir de minérios totalmente reutilizados.

Ainda há desafios para os veículos elétricos triunfarem – não só entre os consumidores, mas também em relação à diminuição da pegada de carbono gerada pela fabricação. As mudanças não acontecerão da noite para o dia, mas o caminho já está traçado para as organizações levarem seus produtos muito adiante.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]