Pesquisar
Close this search box.
/
/
A importância da educação financeira para mulheres

A importância da educação financeira para mulheres

Veja como o conhecimento pode transformar questões culturais e estruturais e empoderar esse público

O Brasil é um país que tem o desafio de promover a inclusão financeira da população. Não à toa, nos últimos anos o Banco Central vem adotando uma política para inclusão de novos players no mercado financeiro que está causando uma verdadeira revolução bancária que promete mudar o que conhecemos hoje, cenário que você pode entender melhor clicando aqui. Para além disso, outro desafio é a educação financeira das pessoas, especialmente das mulheres.

Em 2012, a jornalista Carol Sandler estava jantando com duas amigas economistas, quando começaram a conversar sobre a “explosão das blogueiras”. Conforme a conversa evoluiu, as três se deram conta de como, na época, o conteúdo online para mulheres se resumia a moda, beleza, casamento e maternidade. Veio, então, uma ideia: por que não falar de economia e finanças para o público feminino?

Universo pouco explorado

Após uma intensa pesquisa de mercado, elas perceberam que não havia qualquer iniciativa nesse sentido no Brasil, e que no exterior, principalmente nos Estados Unidos, já existiam grandes negócios de educação financeira para mulheres. As amigas de Carol resolveram seguir em suas carreiras, mas a jornalista, que já era especializada na cobertura econômica, decidiu investir no negócio, e fundou o blog Finanças Femininas.

“Eu me apaixonei! Vi que eu tinha uma oportunidade de juntar as minhas habilidades com um propósito maior. Percebi que a educação financeira para as mulheres não é uma iniciativa só de educação, é uma iniciativa de impacto, porque quando você ensina uma mulher a cuidar melhor do seu dinheiro, ela consegue tomar e bancar melhor as suas decisões”, diz Carol.

Após a educação financeira, muitas mulheres abriram o próprio negócio. Foto ilustrativa: Pexels.

Ela conta que, ao longo desses oito anos, já viu mulheres que conseguiram sair de casamentos infelizes com a ajuda da educação financeira, criar coragem para pedir um aumento, ou que saíram dos seus trabalhos e montaram seus negócios. “A educação financeira é uma ferramenta de transformação para a vida das mulheres, que saem de uma posição de dependência e vulnerabilidade e se tornam donas das suas próprias escolhas”, destaca.

Segundo Carol, existem barreiras históricas – estruturais e culturais – que fazem com que a relação da mulher com o dinheiro seja diferente. Além disso, um estudo feito pela OCDE revelou que, para uma iniciativa de educação financeira dar certo, ela precisa ser segmentada. Por isso, a educação financeira para mulheres é tão importante. “As mulheres são multiplicadoras. Quando uma mulher aprende a cuidar melhor do seu dinheiro, ela leva esse conhecimento para sua família, para suas amigas, para a sua rede. Então essa característica faz com que uma iniciativa de educação financeira focada em mulheres tenha um impacto social muito mais amplo do que a gente pode imaginar”, diz Carol.

Mulheres e finanças? Deu match!

Empoderar as mulheres com conhecimento sobre finanças pode ser interessante, inclusive, para o mercado como um todo. Isso porque, além das barreiras culturais, existe um desafio prático: a mulher tem menos renda disponível do que o homem. A diferença salarial no Brasil é enorme, e aumenta conforme o grau de escolaridade, chegando a 50% quando comparamos mulheres negras e homens brancos.

Além de ganharem menos, as mulheres sofrem uma pressão social pelo gasto muito maior – basta comparar os mercados de consumo feminino e masculino. A boa notícia é que, cada vez mais, as mulheres estão atentas à necessidade de saber como administrar suas finanças pessoais de maneira eficiente.

Há alguns meses, a XP Inc., maior corretora de investimentos do Brasil, divulgou sua meta de equidade de gênero até 2025, dentro de uma política mais ampla que pretende trazer para a linha de frente das discussões internas a necessidade de oferecer um ambiente de trabalho, de fato, inclusivo. Para ampliar a entrada de mulheres, a empresa tem feito mudanças não só na atração de talentos, mas também na seleção, com treinamentos internos para eliminar vieses inconscientes de recrutadores e lideranças.  Internamente, foi criado o MLHR3, coletivo feminino para debater temas relativos à equidade.

Agora, em parceria com a Xpeed e o projeto “Mulheres Positivas”, o MLHR3 está lançando a  Jornada de Educação Financeira para Mulheres, um pacote de cursos com especialistas do mercado financeiro voltado exclusivamente para elas. “Buscamos justamente a aproximação, a contribuição para a independência feminina dentro de um ambiente em que as mulheres sejam ouvidas e se sintam acolhidas por pessoas que têm empatia por suas dores e dificuldades”, explica Izabella Mattar, CEO da Xpeed.

Ponto de partida

Para as mulheres que estão começando a se interessar por educação financeira, Izabella dá algumas dicas:

  • O interesse é a palavra-chave e indica que elas já estão no caminho certo. E para evoluir nessa jornada é fundamental alimentar esse interesse cada vez mais através de proatividade. Faça cursos, leia e conecte-se com pessoas que gostam do tema, poupadoras, investidoras e especialistas.
  • Comece a organização das finanças pessoais. Faça uma planilha básica, pois saber quanto se gasta e o que se ganha é base para melhorar esse número em benefício próprio. Defina uma meta em percentual de quanto, em relação ao total recebido, vai para os investimentos. E todo mês, antes de gastar, poupe. A meta em percentual é boa pois, assim, conforme a renda aumenta, as economias para investir crescem na mesma proporção.
  • Comece a investir. Mesmo estudando e conhecendo o tema mais a fundo, busque o apoio de especialistas para estar bem apoiada e orientada sobre as melhores opções. Faça o teste de perfil de investidor antes de começar e respeite o resultado para adequar a escolha dos investimentos. Por fim, mantenha a disciplina recorrente de poupar e investir todo mês, e pratique o consumo consciente, especialmente se está na fase de acumulação de capital. Eleger prioridades e fazer escolhas é essencial.

+ Notícias 

Pix: nova tecnologia vai acabar de vez com o dinheiro físico?

Como a pandemia de Covid-19 mudou o futuro das grandes cidades

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]