Pesquisar
Close this search box.
/
/
Transformação digital só é possível com CEOs na linha de frente

Transformação digital só é possível com CEOs na linha de frente

Líderes de empresas referência no processo de transformação digital falam sobre protagonismo necessário para mudança chegar em todas as áreas

O processo de transformação digital passa diretamente pelo posicionamento dos CEOs das empresas. É o que pensam os líderes do Banco Carrefour, da Sky, da Porto Seguro e da Pernambucanas, que participaram nesta quarta-feira de um painel no CONAREC 2022. Os executivos destacaram os desafios dessa transformação desde a identificação dos benefícios que ela vai trazer para a própria empresa e para os clientes, até a dificuldade de mudar a mentalidade de gestão baseada na cadeia de comando e controle.

Acompanhe a cobertura completa do CONAREC 2022

Para Carlos Mauad, CEO do Banco Carrefour, o grande aprendizado da transformação digital é que cada empresa terá o seu próprio processo. Não há uma receita única, infalível, apesar de terem fundamentos importantes de serem seguidos. Carlos reforça que incorporar todas essas mudanças não é uma tarefa simples e que por isso, o CEO precisa puxar para ele a responsabilidade de fazer acontecer.

“É um processo muito duro com as pessoas, se a liderança não tiver coragem de empurrar isso para frente com energia, o resultado não chega na outra ponta. De início, o CEO já tem que assumir o papel de inverter a cadeia de comando e controle. Precisa deixar o lugar de ser servido e passar a servir a companhia”, enfatizou Mauad.

Roberto Santos, CEO da Porto Seguro, incorporou esse papel. “Eu trouxe para mim como CEO da holding a responsabilidade de encabeçar o processo de transformação digital. Criar um um setor de digitalização para isso, é criar um inimigo para as outras equipes”, contou. Roberto defende que só o próprio CEO é capaz de evangelizar, disseminar a cultura da transformação digital dando a autonomia necessária para que os times executem as missões.

Nessa mesma linha, Sérgio Borriello, CEO da Pernambucanas, defendeu que o CEO precisa ser o exemplo, aquele que gera a crença: “Nada produz resultado de imediato, a inovação não é lucrativa, ela se torna lucrativa. Por isso, somos nós que temos que ter a obstinação de investir e acreditar no novo”.

Raphael Denadai, presidente da Sky, foi além. Para ele, fora de servir e puxar para si a responsabilidade pelo processo, o CEO precisa saber comunicar, criar um fluxo de comunicação contínuo e simples que chegue em todas as pontas.

“É fundamental ter a consciência de que dentro de uma área administrativa você pode inovar. Cada área da companhia faz parte de um todo. O CEO precisa levar essa mensagem para a equipe para melhorar a entrega. A gente dentro da SKY está conseguindo avançar nisso a partir da escuta, da interação com os nossos colaboradores”, explicou Denadai.

O presidente da Sky completou afirmando que o papel do CEO no processo de digitalização é servir, em primeiro lugar, prover as condições necessárias de trabalho para os times, saber comunicar e direcionar a equipe para que a transformação aconteça.

Alocação de recursos

Líderes sempre trabalham com a lógica de reduzir custos. Diante disso, a recomendação dos debatedores em relação à alocação de recursos foi separar aquilo que deverá ser investido em transformação digital. Raphael Denadai explicou que trabalhar com recursos reduzidos ajuda não só a dar mais lucro, mas principalmente a realocar recursos para novos produtos e serviços para melhor atender os clientes.

Na Porto Seguro foi criada uma estrutura para fazer uma governança vertical da empresa, com um olhar geral sobre a companhia capaz de identificar o que existe de interessante em uma área e poder aplicar em outras.

Para o CEO da holding, Roberto Santos, ao contrário do que pode parecer inicialmente, a transformação digital é sinônimo de eficiência operacional e ajuda na redução de custos. Roberto deu o exemplo do atendimento por Whatsapp: “Tivemos o desafio de entender como digitalizar o nosso atendimento que sempre foi feito com muito cuidado e carinho por telefone. Mas hoje, 40% de todas as nossas interações acontecem via Whatsapp e já vemos resultados positivos. Estamos oferecendo um serviço melhor a um custo reduzido”.

Mudança de mentalidade e cultura

Outro tópico tratado no debate foi a dificuldade de promover a mudança de mentalidade e cultura dentro da empresa. Carlos Muad, CEO do Banco Carrefour, acredita que o tópico “pessoas” é mais difícil de ser administrado.

Segundo ele, a transformação digital faz com que o líder deixe de ser reconhecido pela quantidade de pessoas que estão “embaixo do seu guarda-chuva” e passe a ser recompensado pela capacidade de acabar com impedimentos para que os times possam avançar. Mas, o processo para que todos na empresa embarquem nessa nova cultura é desafiador.

“Existem aqueles que precisam da ajuda da companhia porque não conseguem fazer essa mudança de mentalidade de maneira orgânica, apesar de tentarem, e aquelas pessoas que contaminam o processo. Estas últimas precisam ser tiradas para que não virem âncoras, impedindo que a transformação aconteça”, descreveu o CEO.

Para conseguir efetivar esse processo de mudança de mentalidade a Sky apostou em reduzir a hierarquização, disseminando a mentalidade de que quando um vence, o time vence e quando o time vence, vence a empresa.

“Dar voz às pessoas, escutar, manter um fluxo de informação constante, isso tudo gera alinhamento estratégico e resultados positivos para a empresa. Na medida em que todos estão cientes das decisões tomadas, mesmo das mais duras, o ruído diminui, você acaba com esse grupo de pessoas que funcionam como âncoras e todos passam a trabalhar na mesma direção”, afirmou Raphael Denadai.

Importância da inclusão

Sérgio Borriello contou que recentemente um funcionário da Pernambucanas comemorou 60 anos de empresa e fez com que ele refletisse sobre a importância dos líderes não esquecerem que as empresas são construídas por pessoas, que devem ser consideradas em todos os processos de transformação.

“Transformar significa evoluir a cultura e não necessariamente fazer uma revolução. É importante valorizar quem está ali, no dia a dia, do mais novo funcionário, ao mais experiente. Todos vão ter um papel importante nesse processo. E digo mais, a inclusão de todas as idades, raças, gêneros gera cada vez mais oportunidades de transformar”, analisou o CEO da Pernambucanas, que lembrou que a empresa tem 114 anos.

O que vem pela frente?

Perguntados sobre o futuro, sobre o Metaverso por exempl, os líderes do Banco Carrefour, da Sky, da Porto Seguro e da Pernambucanas foram unânimes em dizer que não se assustam. Carlos Mauad foi categórico e resumiu:

“A beleza do processo de transformação é que ele entrega para a companhia a capacidade de evoluir e estar sempre posicionada na fronteira de crescimento. O grande legado que a gente como CEO pode deixar para o futuro da empresa é esse grau de liberdade para que ela consiga se movimentar com o mercado e vá evoluindo conforme for sendo atravessada pela tecnologia”.


+ Notícias

Confiança em seminovos está diretamente associada ao SAC

E-commerce ou Marketplace? Afinal, qual é o bom negócio em digital?

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]