Pesquisar
Close this search box.
/
/
No SXSW 2023, metaverso e cinema estão juntos, misturados e insanos

No SXSW 2023, metaverso e cinema estão juntos, misturados e insanos

SXSW 2023 mostra as possibilidades de imersão em realidades imateriais: ou seja, você dentro do seu filme do coração

Em fins de 2021, o mundo foi tomado de assalto por uma onda chamada metaverso. O tsunami acerca das possibilidades dessa inovação foi incontrolável. Até o Facebook de Mark Zuckerberg mudou de nome para “Meta”. Mas logo a busca do metaverso refluiu e ganhou um espaço no rodapé das grandes ideias sem utilidade. Ou não? Será que o metaverso obedece às leis da exponencialização e vive a fase do desencanto?

O fato é que o metaverso é muito mais que a evolução natural da internet: ele representa a desmaterialização do mundo, onde os indivíduos podem se envolver em tempo real com ambientes ilimitados. Isso porque queremos liberar dopamina vivendo histórias como avatares e personagens de outras histórias que nos envolvem. Agora, imagine combinar o metaverso com o cinema?

No SXSW 2023, pudemos assistir à essa tendência se materializando. Os cineastas também terão novas ferramentas que lhes permitirão interagir com o público de novas maneiras – já vemos isso na produção virtual, na recente explosão da IA e na influência dos jogos. Mas logo todas essas tecnologias irão convergir. Mas como abraçamos essas mudanças, ao mesmo tempo em que celebramos o cinema que conhecemos e amamos?

Conheça o Mundo do CX

Uma nova linguagem em formação, com novas ferramentas, capazes de permitir a coexistência entre histórias criadas em ambientes diferentes e combinadas de forma única 

A fusão cinema e metaverso

Daniela Eistner, Diretora-executiva da Unifrance, Brian Newman, Fundador da Sub-genre Media e Diana Williams, CEO e Co-fundadora da Kinetic Energy Entertainment conversaram sobre essa fusão que promete ser revolucionária.

A Unifrance é uma espécie de precursora das experiências com filmes digitais. A empresa criou um festival de filmes digital há 13 anos, com grande pioneirismo. Sob o comando de Daniela, a Unifrance vende mais de 800 filmes em catálogo para diferentes mercados globais com grande reconhecimento de crítica e presença ativas nos festivais de cinema pelo mundo.

Já Diana foi desenvolvedora criativa e produtora da franquia Star Wars na LucasFilm e fundou um laboratório de entretenimento imersivo e realidades combinadas. Suas experiências incluem atividades no Minecraft, um jogo, que pela sua natureza, está constantemente em construção (um dos jogos mais populares no Brasil).

Essas experiências visam levar o cinema para o ambiente do game, procurando criar a tecnologia que permita transmitir um filme dentro do ambiente do Minecraft. Por enquanto, isso significa que os gamers deveriam assistir ao filme dentro do ambiente do jogo, utilizando seus avatares e, posteriormente, conversar e interagir com os atores e diretores da obra.

A premissa é que não há muita distância entre a linguagem do cinema e a dos games. Mas como será a experiência imersiva das pessoas em assistirem filmes no metaverso? Estamos falando da Web3, como uma nova linguagem em formação, com novas ferramentas, capazes de permitir a coexistência entre histórias criadas em ambientes diferentes e combinadas de forma única.

Utilizar o poder do game para criar uma familiaridade com a linguagem do cinema, a partir de exercícios cinematográficos curtos, sintéticos e compactos, parece fazer sentido para as novas gerações 

Segundo Diana Williams, a combinação do cinema com o metaverso pode abrir uma frente de conversação e interação entre audiências e criadores de conteúdo, com os próprios conteúdos na verdade. No centro dessa estratégia reside a necessidade de atingir e engajar as gerações mais jovens, com formatos mais interativos e diversificados. Novamente, a Unifrance vem avançando nesses testes, a partir de uma plataforma que permite a interação em mais de 10 línguas.

O metaverso representa uma maneira de explorar novas fronteiras de linguagem, novas histórias mais atrativas e, porque não, mais educativas. Utilizar o poder do game para criar uma familiaridade com a linguagem do cinema, a partir de exercícios cinematográficos curtos, sintéticos e compactos parece fazer sentido para as novas gerações.

Mas assim como no game ou na produção hollywoodiana, o primeiro passo é contar com uma boa história. A história é a base de tudo. Ainda é a melhor maneira de explorar novas ferramentas para impactar audiência e diferentes comunidades.

Explorando as Realidades Aumentada e Virtual

A exploração do metaverso pressupõe a imersão em experiências baseadas em Realidade Virtual. Imaginem participar de um filme da Marvel, como Dr. Estranho nos multímetros da loucura e realmente vivenciar aqueles cenários, aquelas dinâmicas e viagens interdimensionais?

Isso é possível combinando e transcendendo a narrativa do cinema para o metaverso. Agora, combine essa imersão com coleções de NFTs, que podem ser adquiriras durante a imersão, e tudo isso proporcionará uma experiência ainda mais enriquecedora.

Hoje, quando um estúdio compra um roteio, uma ideia ou uma história, ele compra todo o pacote envolvendo licenças, games e personagens, afirma Diana Williams: “A propriedade é muito importante como parte da missão Kinetic, em educar os criadores para entender o que você pode fazer para tentar reforçar sua propriedade, se você simplesmente chega em um estúdio dizendo: Sim, você pode ter filme, mas não pode jogar. Você pode fazer um jogo?”

A convergência, filme, jogo e NFT, imersão no filme, que será exibido no cinema, e que terá uma versão para o metaverso, traz especificidades, mas, sobretudo, novas formas de explorar uma boa história – e é fundamental pensar que a boa história vai vencer. A história precisa responder às perguntas: por que você iria ao cinema ver o filme? Por que você jogaria o game? Por que você gostaria de comprar os personagens deste filme em versões digital ou física? É possível atrair pessoas para o jogo e para o filme, ou existem públicos diferentes para ambos os formatos? E como a audiência vai receber a combinação desses formatos?

Na visão de Daniela Eistner, a história é apenas “um conteúdo que podemos gostar e espalhar da mesma forma em todos os lugares”. “Eu acho que é uma espécie de experimentação. Isso nos leva a parar de pensar em caixas nas quais vivemos, em nossas zonas de conforto e, então, temos que pensar diferente. Eu acho que para isso também precisamos desse tipo de experimentação, de explorar novos formatos”, avalia Daniela.

Finalmente, como financiar ou criar linhas de financiamento para produção dessas “metaproduções”? Uma coisa é utilizar plataformas prontas, como o próprio Minecraft e o Roblox ou o Fortnite. Outra é criar um ambiente do zero para o cinema, que pode elevar os custos de produção a níveis estratosféricos, talvez, inviáveis diante da expectativa de público.

No caso da Unifrance, há subsídio do governo para viabilizar as produções, mas em outros países provavelmente será necessário criar essas fontes robustas de financiamento. A premissa para viabilizar essas produções também passa pela análise de dados, de tal maneira que se possa entender o que terá atratividade para fãs de games e cinema de forma independente e combinada. Logo, quem sabe podemos aguardar: “Em breve, nos cinemas, PCs, Tótens e Consoles de Jogos, “Dr. Estranho no Metaverso”, ou ainda, “Avatar, no caminho do Metaverso”… Quem sabe?


+ Notícias

Com a palavra, o idealizador do ChatGPT, direto do SXSW 2023 

SXSW 2023 e o futuro do trabalho: o que vai acontecer com o seu emprego? 

 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 284

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
YUCA | Estúdio Criativo

ILUSTRAÇÃO:
Midjorney


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

Fabiana Hanna
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head de Conteúdo e Comunicação
Verena Carneiro
[email protected]

Head de Conteúdo
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio
YUCA | Estúdio Criativo

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Líder de Marketing Integrado 
Suemary Fernandes 
[email protected]

Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 284

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
YUCA | Estúdio Criativo

ILUSTRAÇÃO:
Midjorney


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

Fabiana Hanna
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head de Conteúdo e Comunicação
Verena Carneiro
[email protected]

Head de Conteúdo
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio
YUCA | Estúdio Criativo

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Líder de Marketing Integrado 
Suemary Fernandes 
[email protected]

Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]