Pesquisar
Close this search box.
/
/
O respeito ao cliente na ótica da vida digital

O respeito ao cliente na ótica da vida digital

Esqueça o sorriso calculado, o plano de fidelidade e o presentinho fácil. Na Era Digital, Respeito pede agilidade, personalização e experiência

Foi por esses dias que o pacato Shopping Vila Olímpia, situado em uma região de escritórios de empresas como consultorias e fintechs, e que sofreu com a perda de clientes para o Home Office, viu uma multidão furiosa e ansiosa para aproveitar as ofertas de uma loja pop up, temporária, da Shein.

Leia mais: Algumas pistas para compreender o fenômeno Shein

Foi um desses momentos em que repensamos a ideia de respeito ao cliente, e entre clientes, nessa era digital. No primeiro dia da curtíssima temporada (5 dias) da Shein no ambiente físico, mais de 7 mil pessoas disputaram cada palmo de espaço para tentar acessar a loja da bargain store chinesa.

O que explica uma loja temporária de uma varejista online de moda chinesa, que ganhou evidência há pouco tempo criar tamanho alvoroço e ansiedade, em plena Era Digital?

A Shein se enquadra em um grupo de empresas alinhada às expectativas da Geração Z, pois vende moda instagramável por meio de um app descolado, inteligente, com traços de gamificação e uma logística absurdamente azeitada. Faz bonito na comunicação em redes sociais e em portais, com direcionamento preciso, esmero no uso de dados e o melhor: preços irrealmente baixos.

Já comentei em outro artigo se a Shein não seria a versão digital da Forever 21, que também provocou frisson quando chegou ao Brasil e hoje está descansando em paz no cemitério corporativo.

O tempo vai dizer, mas agora vale a pena entender o fenômeno na ótica do Respeito ao Cliente customizado para a Era Digital. E customizado aqui é ideia central.

Afinal, a Shein, como disse, usa dados de forma precisa e consegue endereçar moda com apelo irresistível para seus clientes da Geração Z.

Quando falamos nessa geração, devemos considerar que se trata de consumidores caçadores de ofertas, que buscam conveniência e se importam menos com o status e mais com a praticidade e o sentido.

O consumo para eles passa uma mensagem de autoexpressão e frugalidade. Já mostramos que esse cliente “Z” tem senso de comunidade, usa o TikTok como mecanismo de pesquisa, gosta de conteúdos rápidos e tem poder de consumo global da ordem de US$ 4,5 trilhões. Mais importante, é um cliente influente, que domina a narrativa e cria ondas de informação de grande força e amplitude.

A Shein está plenamente alinhada com as características da Vida Digital que está se formando e já experimentando mutações em série.

Em pouco mais de cinco anos, quando olhamos a paisagem do varejo, vimos a operação phygital, Voice Commerce, Social Commerce, Conversational Commerce e Live Commerce. Expressões de conceitos e tentativas de emplacar formatos de venda que façam sentido para consumidores que estão experimentando novas ideias e modelos de consumo.

O Respeito ao Cliente, nessa ótica, se estrutura sobre a capacidade de uma empresa ser veloz, resolutiva, com foco na hiper-personalização e na própria experiência omnicanal. Claro ainda temos lojas “convencionais”, onde um dono abnegado e uma variedade esperta destinada ao público da vizinhança ainda têm relativo espaço. Mas mesmo esse pequeno comércio ensaia sua jornada digital, via WhatsApp ou adesão a um marketplace. Porque ela sente que ganha mais competitividade se tiver alguma extensão digital. Eventualmente, a lojinha arrisca até um canal legal no Instagram ou no TikTok.

Leia mais: Hiper-personalização, o que desejam os superconsumidores?

A consequência dessa migração de lógica é que os parâmetros de serviço “premium” estão sendo atualizados e dispensando recursos antigos como programas de pontuação (cashback é muito melhor!), o sorriso calculado da pessoa em busca de comissão (autosserviço é mais rápido e não me obriga a ficar recebendo dicas que não quero) e o presentinho repetido (que os clientes mais endinheirados já receberam uma dúzia de vezes).

Por isso, Empresa que Respeita o Cliente será cada vez mais aquela disponível no canal e na hora que o cliente quiser, com expertise em ciência de dados para oferecer a oferta certa no momento certo e que realmente conhece esse cliente.

KitKat, por exemplo, foi citado de modo entusiasmado pela Geração Z no Estudo “Empresas que mais Respeitam o Consumidor 2022”, iniciativa desta plataforma Consumidor Moderno, coordenada pela CX Brain e Opinion Box.

Basta ver as unidades “Chocolatory” espalhadas nos shoppings e a incrível variedade e diversidade de sabores do simpático chocolate da centenária Nestlé. Não há propaganda aqui, apenas vocação para o diálogo, diversidade, força inovadora incremental e capacidade de personalização para oferecer um KitKat ideal para cada consumidor.

KitKat entrou na sintonia da Shein ao trazer para o mundo físico um conjunto de significados presentes em meios virtuais ou intangíveis. Ambas as marcas exploraram territórios de informação que as conectem com os donos da narrativa para ganhar relevância.

É difícil, muito difícil, acompanhar mudanças tão bruscas de padrão e compreensão do que faz sentido para clientes em sua Vida Digital. Por mais que o Brasil apresente evidentes lacunas no acesso digital dos cidadãos, inclusive com deficiências de letramento e formação, a linguagem dos bits e o caráter exponencializador do digital se tornam onipresentes. Estão aí o PIX e os cartões de acesso aos programas de benefício dos governos para comprovar essa tese.

Alguns mais nostálgicos poderão olhar com desgosto para empresas que removeram de sua estratégia o “estilo VIP” associado ao consumo de alto padrão. O fato é que essa “frugalização” do consumo veio para ficar e ganhar terreno, sendo incorporada como elemento de Respeito de uma empresa pelo seu cliente. O acordo tácito deixou de ser “qualidade superior” e “atendimento bajulador” para ser “rápido e compensador”. Se você pensou nos tênis com aparência surrada da Golden Goose e nas extravagâncias da Balenciaga com seu estilo “trash”, acertou.

Leia mais: Paris Sneakers, a jogada de marketing da Balenciaga que deu errado (ou não)

O que vimos da Shein no Shopping Vila Olímpia foi a transposição de uma rede orquestrada comum no ambiente digital para os corredores estreitos de um centro comercial. Um modelo de negócio que salta do digital para provocar um tsunami no mundo real.

E não vai ficar por aí. Logo mais veremos histórias semelhantes não só nos shoppings e ruas da vida real, mas também nos metaversos e negócios que vão nascer com a Web3. Respeitar o cliente agora é ter muito respeito pelo poder avassalador da linguagem digital.


+ Notícias

A difícil arte (e a menosprezada ciência) de respeitar o cliente 

O que significa respeito no atendimento para a geração Z?

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]