Pesquisar
Close this search box.
/
/
Qual é o seu número?

Qual é o seu número?

Um bom número representa algo que funcionou bem nesse ano em que a crise mostrou a sua cara feia

Final de ano é tempo de comparar e projetar. Comparar os números realizados com o prognosticado 12 meses atrás. Checar indicadores atingidos, ultrapassados e não alcançados. É provável que essa análise seja frustrante para muitas empresas neste momento. Principalmente se projetar um 2016 ainda mais decepcionante.

Na economia brasileira em geral, os números de 2015 são quase uma sequência de terror ?B?, em que ao invés de sangue, jorram prejuízos e decepções: queda na renda, lojas fechadas, inflação em alta, recessão, desemprego, déficit público indecente, vendas menores, lucros minguantes, fluxo de caixa apertado, torniquete no crédito. Dentro de cada empresa, o departamento financeiro exorta pela redução de custos, o que, não por acaso, representou uma quase paralisia das contratações de temporários para o período de Natal. E como se não bastasse a hemorragia, ainda há a sombra de um processo de impeachment no horizonte.

NA ECONOMIA BRASILEIRA, OS NÚMEROS DE 2015
SÃO QUASE UMA SEQUÊNCIA DE TERROR “B”, EM QUE AO INVÉS 
DE SANGUE, JORRAM PREJUÍZOS E DECEPÇÕES

Ainda assim, gostaria de pedir aos leitores varejistas e empreendedores que fizessem um exercício disciplinado e metódico e olhassem novamente os números disponíveis. Um exercício paciente que vai além do lucro (ou do prejuízo) e das dificuldades de fluxo de caixa. É inevitável que cada empresa tenha um número robusto, consistente, sólido para exibir. Pode ser um acerto de produto ? um hit de vendas ? pode ser a queda no turnover dos funcionários (um senhor alívio nos custos ? considerando seleção, treinamento, indenizações), ou ainda a melhoria da produtividade na reposição de estoques. Eventualmente, uma renegociação das taxas cobradas pelos adquirentes ou pelos bancos. Quem sabe até um azeitado processo de expansão de lojas, metodicamente pensado que propiciou mais vendas a custos menores. Não importa. O que vale é identificar um número que aponte um caminho para a sua empresa seguir. Um número no qual ela possa vislumbrar um caminho estratégico, um diferencial competitivo.

Não falo aqui de cultivar falsas esperanças ou de exercitar o autoengano. Falo de se debruçar sobre cada detalhe do negócio, partindo do princípio de que tudo pode ser mensurado, medido, comparado, analisado, entendido e projetado. Mais do que nunca, indicadores sólidos podem ajudar empresas a criar estatísticas melhores ? dar novas visões e novas respostas para problemas que se avolumam e para superar momentos adversos como o atual.

IDENTIFICAR O NÚMERO QUE REPRESENTA 
UM PADRÃO DESEJÁVEL, UM VALOR INTRÍNSECO POR SI SÓ, 
É UM AFIRMAÇÃO DE COMPETÊNCIA E DE INDEPENDÊNCIA 

Um bom número representa algo que funcionou bem nesse ano em que a crise mostrou a sua cara feia. E o que funcionou bem pode muito bem ser estudado e fornecer ideias que, por sua vez, permitam estabelecer novos padrões de performance. Melhor do que isso: identificar o número que representa um padrão desejável, um valor intrínseco por si só, é uma afirmação de competência e de independência. Muitas empresas, ao analisar os números na superfície, correm para contratar consultorias esperando soluções mirabolantes, um ?olhar externo? que ajude a remodelar a operação.

Má notícia: consultorias são excelentes para aprimorar justamente (e somente) o que a empresa faz bem. Elas são craques em desenhar soluções voltadas nas melhores práticas existentes. O mais do mesmo benfeito. Para isso, são especialistas em identificar o número que funciona. Mas não espere delas o insight brilhante, a inovação inesperada, a criatividade capaz de mudar negócios, a partir do que pode ser feito que ainda inexiste.

Por incrível que pareça, a fonte de soluções, boas ideias e até mesmo de inovação mais qualificada da maior parte das empresas está dentro de casa. Basta identificar o número fora da curva, escondido, talvez solitário, despercebido em meio à profusão de indicadores tingidos de vermelho gritante, quiçá apenas os do mercado e não os do seu balanço.

Recomendo este exercício para este final de ano. Descubra qual é o seu (grande) número e veja o que ele pode mudar na sua empresa.

Para o mal e para o bem, os números não mentem.

*Jacques Meir é diretor de Conhecimento e Plataformas de Conteúdo 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]