Pesquisar
Close this search box.
/
/
Como as plataformas de streaming estão impactando o comportamento de consumo

Como as plataformas de streaming estão impactando o comportamento de consumo

Brasileiros estão cada vez mais adeptos ao modelo de entretinimento que tem criado tendências de consumo

Mesmo que você não assine plataformas de streaming ou jogue xadrez, é bem possível que já tenha ouvido nos últimos meses sobre um tipo de abertura do jogo que utiliza o peão, o gambito da rainha. A culpa é da série de mesmo nome que estreou no final de outubro na Netflix e se tornou a produção mais assistida da plataforma em todo o mundo, com 62 milhões de expectadores em apenas 28 dias, segundo a própria empresa.

E a audiência não se movimentou apenas para maratonar a série ambientada durante a Guerra Fria e protagonizada por uma jovem prodígio no xadrez. As buscas no Google por termos relacionados ao jogo mais que dobraram em novembro. E o comércio sentiu a febre. A Ri Happy, maior varejista de brinquedos do país, viu as vendas de itens de xadrez crescerem 200% em relação a novembro de 2019.

A J’adoube, especializada no jogo, teve um crescimento de 114% no número de pedidos e 103% nas receitas depois do lançamento da série. Nos Estados Unidos, o livro no qual se baseia a produção entrou na lista dos best-sellers do The New York Times, quase 40 anos após o seu lançamento.

O sucesso de O Gambito da Rainha não é o primeiro e, com certeza, não será o último a impactar o comportamento dos consumidores. As plataformas de streaming de vídeo estão cientes disso e o mercado precisa ficar atento para poder aproveitar o movimento assim que ele surge.

Plataformas de streaming cresceram durante a pandemia

O consumo de conteúdo via streaming, que era crescente no Brasil antes da pandemia, depois do isolamento provocado pelo coronavírus aumentou.

Atualmente, de acordo com uma pesquisa da Nielsen Brasil em parceria com a Toluna, 42,8% dos brasileiros assistem a conteúdos de streaming diariamente, enquanto outros 43,9% adotam a prática pelo menos uma vez por semana.

A Netflix, líder global no número de assinantes, viu sua hegemonia cair no Brasil durante a pandemia. De acordo com uma pesquisa da NZN Intelligence, 30% dos brasileiros agora assinam a Amazon Prime Video, contra 24% da gigante mundial. Completam o top 5, a Globoplay com 7% dos assinantes, Telecine e HBO Go, com 4% cada.

A chegada da Disney Plus ao país, em meados de novembro, deve alterar os números nos próximos meses. E outras plataformas de streaming, como o Hulu, devem chegar ao Brasil em 2021, consolidando o modelo de comercialização de entretenimento que já é o favorito dos brasileiros.

Pelo levantamento da Nielsen, 73,5% dos entrevistados afirmaram preferir as plataformas, enquanto 63,8% disseram usar serviços como o YouTube e Vimeo, 61,5% a TV aberta e 54,9% TV a cabo.

A ficção influenciando a vida real

Assim como aconteceu com o cinema e as produções de televisão durante o século XX, atualmente as séries – bem como os games – mexem diretamente com o imaginário da audiência no mundo todo. E isso, não raramente, se traduz em consumo.

Não existe um padrão. Grandes sucessos recentes como Breaking Bad ou Game of Thrones levaram hordas de fãs a comprar tudo o que podia fazer referência às séries: livros, pôsteres, camisetas, canecas, bonecos colecionáveis e até fantasias.

Mas outras vezes a moda é diretamente impactada. O êxito da espanhola A Casa de Papel, lançada em 2017 pela Netflix, transformou o vermelho (cor dos macacões usados pelos principais personagens da série) em tendência no vestuário e no look feminino. O corte de cabelo da personagem Tokio, vivida por Úrsula Corberó, foi outra influência da série que, literalmente, fez a cabeça de mulheres no mundo todo.

O universo masculino viu algo parecido com a inglesa Peaky Blinders, lançada em 2014 pela Netflix e ainda em exibição. A série sobre gangsters da década de 1920 influenciou cortes de cabelo e o gosto por boinas, ternos e casacos escuros bem cortados.

Influência das séries não é uma coincidência

Você pode não notar, mas muitas produções adotam estratégias diretamente ligadas ao consumo. A mais utilizada é o chamado product placement (algo como posicionamento do produto, em português). Trata-se da inserção de uma marca dentro da história através do uso natural dos personagens.

O irish whiskey Jameson bebido por Don Draper na já clássica Mad Men, a cerveja Estrella Galicia, favorita dos ladrões da já citada A Casa de Papel ou os agasalhos Adidas de vários estudantes da série adolescente Thirteen Reasons Why, da Netflix, são exemplos.

O consumo de algo que aproxima as pessoas da obra admirada é um comportamento comum e as oportunidades para o mercado vão além do óbvio, por isso é preciso prestar atenção para poder surfar a onda.

Voltando ao exemplo de O Gambito da Rainha. Não era possível prever que uma série de época sobre uma garota que joga xadrez fosse fazer tanto sucesso. Mas aconteceu e empresas e profissionais que atuam em diferentes segmentos – mesmo aqueles que não possuem nenhuma relação com o jogo – podem aproveitar o momento.

É possível dialogar com a série através de objetos de decoração, peças de vestuário e produtos beleza, entre outros. É preciso usar a criatividade e usar elementos da história para despertar uma conexão emocional com o consumidor.

Outros sucessos virão, é preciso ficar atento

Como o aumento do número de plataformas de streaming no mercado e o gosto do brasileiro cada vez mais voltado para esse modelo de entretenimento, oportunidades não devem faltar. As próprias plataformas apostam mais em algumas produções do que em outras e é possível perceber isso pela movimentação no ambiente digital.

Por isso na hora da maratona do final de semana é bom manter um bloco de anotações por perto e não deixar de conferir as redes sociais, principalmente as mais “rápidas” como o Twitter, TikTok e Instagram. Elas costumam apontar tendências que podem se transformar em ótimos negócios.


+ Notícias 

Podcasts podem virar séries de streaming e até filmes; entenda

Zac Efron viaja o mundo para mostrar cases de sustentabilidade em documentário 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]