Pesquisar
Close this search box.
/
/
Pagamentos por biometria caem no gosto do brasileiro

Pagamentos por biometria caem no gosto do brasileiro

Além dos pagamentos por biometria, criptomoedas e QR Codes surgem como formatos tecnológicos que podem desbancar dinheiro impresso

Tente se lembrar quantas vezes, durante a semana, você utiliza o dinheiro impresso para comprar um produto ou contratar algum serviço. Provavelmente sua resposta foi um número muito inferior se comparado a quantidade de vezes que você recorre aos cartões de crédito/débito, ao pix e até mesmo aos QR Codes, não é mesmo? Os meios de pagamento digitais têm ocupado cada vez mais espaço entre os consumidores e as marcas e fomentado projetos em torno de novos formatos tecnológicos, como os recentes pagamentos por biometria.

De acordo com um estudo desenvolvido pela Juniper Research, a expectativa é que até 2027, cerca de US$1,2 trilhão sejam movimentados por meio de pagamentos online autenticados biometricamente, indicando que tal formato tende a cair no gosto da população mundial por conta da agilidade, praticidade e segurança na realização das transações.

Conheça o Mundo do CX

Pagamento por biometria aumenta segurança e
reduz riscos de fraudes

Para Rafael Pires, especialista em Sistemas de Informação, com MBA em Gestão de Projetos pela BSP – Business School São Paulo, atuando há mais de 15 anos no mercado com tecnologia financeira, “a biometria é uma excelente ferramenta para segurança e prevenção à fraude, já que garante a autenticidade da transação, seja de cash in e de cash out, feitas pelo proprietário da conta, que é o dono definitivo dos dados”.

“Nesse sentido, quando o sistema de segurança inclui a biometria, são agregados traços físicos e biológicos, como a íris ou o formato do rosto, que criam padrões personalizados e dificultam a fraude”, complementa o expert em tecnologia financeira.

“O tipo de biometria que está sendo mais utilizada atualmente são as de reconhecimento facial, devido à sua precisão em mais de 95% dos casos, com opções de movimentos de cabeça e olhos, garantindo a autenticidade do usuário”, afirma Rafael Pires. Ainda com relação aos pagamentos por biometria, sabe-se que 90% dos brasileiros acreditam que este recurso tecnológico é uma solução viável para proteger seus bens, conforme indica a pesquisa Dentsu Data Labs (DDL), encomendada pela IDEMIA.

Individualidade e ausência de senha estão entre as principais razões para a popularização da biometria

Seguindo os resultados divulgados pelo relatório em questão, observa-se que 70% dos cidadãos do Brasil atribuem a individualidade como a vantagem mais relevante dos pagamentos biométricos, ao passo que 56% preferem o cartão com este tipo de tecnologia frente a 23%, que ainda opta pelo cartão regular. Para além, 82% dos brasileiros atestam que formatos de pagamento sem contato são melhores que os tradicionais e 1 a cada 2 entrevistados disseram que as plataformas que não exigem senha devem ser as mais aguardadas, por conta da dificuldade para lembrá-la.

Vale lembrar que a Dentsu Data Labs (DDL) também foi realizada em outros 13 países, que seguiram, por sua vez, comportamentos similares aos solos brasileiros, tendo em vista que 74% dos consumidores de todo o mundo foram simpatizantes a adesão da biometria nos processos de pagamento, enquanto que 92% preferiram a identificação por meio das digitais e 72% se mostraram interessados em realizar pagamentos sem contato direto.

40% dos entrevistados tem interesse
em investir em criptomoeda em 2023

Além da biometria, outros recursos digitais vêm sendo trabalhados ao redor do globo, como indica um estudo chamado Mastercard New Payments Index, que realizou entrevistas online com 15.569 consumidores em 18 países diferentes, a fim de compreender as inovações dos pagamentos digitais em 2021.

A criptomoeda, por exemplo, vem ganhando terreno nas compras diárias, já que 4 em cada 10 pessoas da América do Norte, América Latina e Caribe, Oriente Médio e África e Ásia-Pacífico afirmaram interesse neste meio em 2023.

Limpeza e conveniência configuram lista de benefícios atribuídos aos QR Codes como meios de pagamento

O QR Code também tem despontado como uma das grandes alternativas nos países em desenvolvimento, como os da América Latina, onde 76% dos habitantes disseram que este modelo é mais limpo que o dinheiro físico, ao passo que 71% atribuíram a conveniência como principal qualidade.

Em todos os casos, seja por meio da biometria, das criptomoedas ou dos QR Codes, a segurança e as formas de validação para acessar as contas são as principais preocupações quanto ao processo de viabilização dos pagamentos digitais.

Pagamento por biometria aumenta segurança
e reduz riscos de fraudes

“As empresas devem se preocupar em ter novos e diversos métodos de segurança para validação transacional. A principal preocupação que se deve ter é com a tecnologia utilizada, pois como sabemos, por melhor que seja, a tecnologia é sempre passível de falhas”, argumenta Rafael Pires, que acrescenta: “é necessário avaliar se aquela tecnologia já teve histórico de falhas – seja por meio de notícias ou em seu ecossistema – e se o seu provedor, além da instalação e suporte, também tem a expertise necessária para analisar a viabilidade de uma nova tecnologia de segurança de pagamentos, implantá-la e operá-la”.

“Por fim, é necessário realizar a avaliação do risco de fraude. O âmbito da fraude dentro de pagamentos é muitas vezes subestimado, visto apenas como um custo. Porém, dependendo do filtro que a área de fraude faz para ter novos clientes, a empresa deixa de ganhar mais dinheiro. Isso ocorre porque ela deixou de colocar um cliente bom, que tem possibilidade de ter crédito e pagar corretamente, pois a avaliação do seu score está sendo feita por uma métrica errada, não condizente com a atualidade. Para diminuir o risco da fraude é necessário realizar uma gestão de OKRs de fraude, como monitoração e gestão de regras, sempre orientado a diminuir o risco e aumentar o potencial de clientes”, finaliza o expert em tecnologia financeira.


+ Notícias

Conheça os melhores smartphones 5G à venda no Brasil

Este artigo foi escrito por uma Inteligência Artificial: O futuro do RH e de Vendas

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]