Pesquisar
Close this search box.
/
/
Os pontos de atenção para o varejo de hoje e de amanhã

Os pontos de atenção para o varejo de hoje e de amanhã

Executivos de grandes redes mostraram no painel de encerramento do primeiro dia do BR Week 2016 os pontos de atenção para o varejo crescer agora

O varejo, veloz por natureza, necessita de uma arquitetura estratégica diferente de outras empresas. “É uma combinação de dois fatores: capacidade de definir posicionamento e proposta de valor, a identificação do cliente alvo e dos atributos que vão fazer com que essa marca crie uma distinção; e a capacidade de entregar essa promessa consistentemente”, disse Alberto Serrentino, fundador da Varese Retail e um dos maiores especialistas do setor, durante o painel de encerramento do primeiro dia do BR Week, maior congresso de varejo do País. “Conseguir balancear a estratégia correta com execução consistente é o principal desafio de qualquer empresa”, considerou.
Serrentino mediou um painel com um time de executivos de primeira linha para debater como o setor constrói estratégias de crescimento consistentes no varejo. E essa construção se dá em um cenário cada vez mais complexo e difícil. “Um negócio como o varejo tem característica típica de fator humano. Quando há muita gente, há muita complexidade, mas as coisas só acontecem quando elas são simples”, afirmou o especialista.

De olho nos resultados, o Lojão do Brás não abre mão de algumas ações para engajar o fator humano, tão essencial na operação. A varejista popular, com 18 lojas em São Paulo, movimenta um alto número de transações. Somente em dezembro, a empresa recebeu cerca de 1,5 milhão de pessoas. Para dar conta de todo esse fluxo, a varejista aposta no engajamento. “Esse é o diferencial do Lojão”, afirma Andreia Bessa, diretora de marketing e visual merchandising da varejista. “A gente acredita que o engajamento não decorre apenas do treinamento da mão de obra, mas da forma como tratamos nosso colaborador”, diz. As lojas são inauguradas com uma cozinha industrial, cozinheiro profissional e uma nutricionista, para fornecer refeição para o funcionário.

Além disso, 20% da mão de obra da empresa é alocada perto da loja, principalmente os gerentes. “A gente acredita que o ganho de qualidade de vida que ele tem é insubstituível. E esse é nosso diferencial, é a forma de tratar bem os funcionários”, completa a executiva.

Fornecedores crescem na cola do varejo
“A motivação move montanhas”, afirma Candido Pinheiro Junior, vice-presidente comercial e de relacionamento da Hapvida. “Nossa empresa nasce e renasce de pura motivação. Temos muita vontade de fazer e estamos nos preparando. A empresa, que oferece serviços de saúde para o varejo, está presente em 11 Estados do Norte e Nordeste – ela detém 30% do mercado de saúde e odontologia desses estados, e tem aproveitado a expansão do varejo para crescer também.

O setor bancário é outro que tem aproveitado a sede dos brasileiros por empreender e consegue crescer. “O Brasil é um País empreendedor. A comunicação passa a ser um desafio de todas as horas. Continuar encorajando esses empreendedores é nosso grande desafio”, afirma Eugênio Velasques, diretor da Bradesco Seguros.

Em tempos de crise, o varejo aposta em eficiência e para isso utiliza, cada vez mais, ferramentas tecnológicas. A Linx é uma das empresas que têm crescido na cola dessa preocupação. Ao todo, em torno de 120 mil lojas no Brasil utiliza uma tecnologia da companhia. “A gente entende quantos varejos existem. Assim como o varejo, a gente surfou uma onda de crescimento importante nos últimos anos e agora temos de crescer por competência e ter clareza de foco”, afirma Jean Klaumann, vice-presidente de Operações da empresa. “Mais importante do que ter muitos insights é ter capacidade de execução”, diz.

Olhar o mercado
Para Serrentino, negócios grandes têm em si maior complexidade. Embora positivo, o ganho de escala nem sempre traz ganhos tangíveis. “Em varejo, a cultura é importante para tornar mais fácil o processo de comunicação e engajamento, que deve ser executado de forma consistente. O problema não é inovar e prometer, é conseguir entregar”, afirma. E é nessa entrega que os grandes executivos têm focado, principalmente diante de mudanças bruscas, como o componente digital. “O grande ponto neste momento é como um líder consegue conciliar uma agenda de curto prazo, que é de sobrevivência, sem tirar o olho do futuro”, disse.

O franchising, um dos segmentos que tem conseguido crescer mesmo diante da crise, tem conseguido olhar para frente e para o futuro. “O franchising consegue atingir seu objetivo porque o tempo inteiro está amolando o machado, porque essa relação de franqueador e franqueado não é cômoda, é de desassossego”, afirmou Cristina Franco, presidente da Associação Brasileira de Franchising. A aposta do setor, diz, é em indicadores de gestão e um controle extremo de dados, do processo logístico, de economia de custo e custo de ocupação. “Isso faz com que a gente viva no presente, pensando no futuro, de maneira que o cliente saia satisfeito”, completa. “A gente busca a preparação. Um dos segredos do franchising é qualificar o tempo todo para que a gente possa ter um negócio de ponta. Não existe um negócio sem qualificação”, afirma.

A Panvel, do setor de farmácias com 360 lojas, investiu, por sua vez, em marcas próprias para conseguir crescer e se manter competitiva. A cada cinco produtos vendidos, um é da marca própria da rede. “Não estamos no varejo para oferecer preço, então precisamos criar outra coisa”, afirma Julio Mottin Neto, presidente-executivo Panvel Farmácias. “A segunda coisa é economia de tempo e a terceira coisa é o desenvolvimento de pessoas: a gente precisa de gente no varejo para desenvolver o negócio todo”, afirma.

Reestruturar a operação
Outra estratégia que tem ajudado o varejo a ganhar fôlego é adaptar os modelos de negócio. É o que está fazendo com maestria o Grupo Pão de Açúcar. Nos últimos anos, a companhia tem investido forte em modelos de vizinhança. Segundo Marcos Samaha, diretor de operações do Multivarejo do GPA, a estratégia veio, justamente, para responder a complexidade, cada vez maior, do mercado. “Se a gente olha o ranking do varejo brasileiro, conseguimos dividir em duas realidades bem distintas: do quinto maior varejista brasileiro ao vigésimo é uma história. Os top quatro varejistas é outra história”, afirma.

“Estamos falando de empresas multiformatos, empresas que estão presentes em mais estados brasileiros e que têm muitos acionistas e muitos debates estratégicos quanto ao futuro e pressionadas pela competitividade”, avalia Samaha. “A questão da expansão e crescimento acelerado, com crescimento saudável, é extremamente difícil e desafiador”, completa. Frente a uma crise forte, o GPA tem projeção de investir R$ 1,5 bilhão somente neste ano em expansão. “Crescer com responsabilidade de trazer retorno e gerando empregos é o grande desafio”, avalia.

Para Julio Mottin Neto, crescer rápido demais não é saudável. “O varejo regional tem um certo limite e uma certa fraqueza. Você não pode ter uma operação apenas em um estado no Brasil. Estamos com R$ 3,6 bilhões de faturamento e estava na hora de romper fronteiras”, afirma, sobre a entrada da Panvel em São Paulo ainda neste ano. Para ele, mais do que expandir, o varejo em tempos de crise precisa manter uma estratégia consistente. “A crise vai acabar e eu entendo que o cria a musculatura da empresa não é velocidade, mas a consistência. Precisa encontrar o seu ritmo de crescimento e saber trabalhar as pressões. Sejam de acionistas e ou de funcionários. E ter a convicção da estratégia, não mudar a estratégia toda hora”, afirma.

“Temos uma crença no Brasil de longo prazo, na capacidade de fazer as coisas acontecerem e olhar para frente, pensando no que vem depois e não no imediatismo”, avalia Serrentino.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]