Pesquisar
Close this search box.
/
/
Open Banking promete competição acirrada entre instituições de serviços financeiros

Open Banking promete competição acirrada entre instituições de serviços financeiros

Criado em 2021, o Open Banking promove o compartilhamento de dados entre empresas do setor financeiro de forma transparente, segura e benéfica para todas as partes envolvidas

Você já ouviu falar em Open Banking? O termo, também conhecido como sistema financeiro aberto, diz respeito ao compartilhamento dos dados pertencentes aos clientes de produtos e serviços financeiros entre diferentes instituições autorizadas pelo Banco Central (BC).

Na prática, o Open Banking, ou OB, aumenta a competitividade do mercado atrelado à economia, já que as empresas passam a ter acesso aos dados dos usuários de suas concorrentes e tendem a fazer ofertas mais acessíveis a eles, garantindo tarifas mais baixas e condições de pagamento facilitadas.

“O Open Banking busca criar um ecossistema que permite transações mais rápidas e fáceis para os clientes. A partir do compartilhamento das informações, o cliente pode ter acesso a diferentes tipos de produtos financeiros, como empréstimos e investimentos, e escolher o mais vantajoso para a sua situação”, comenta Jhonatan Hoff, coordenador do Curso de Ciências Contábeis da faculdade FIPECAFI.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

As fases do Open Banking

De acordo com o professor, o Open Banking foi composto por quatro grandes fases desde o seu surgimento, em fevereiro de 2021: “a primeira fase iniciou pelas instituições financeiras, as quais tiveram que compartilhar os dados sobre seus produtos e serviços financeiros, como os tipos de produtos comercializados, as taxas praticadas e até mesmo a localização de suas agências”, inicia o acadêmico.

“Na segunda fase é onde inicia efetivamente o compartilhamento de dados dos clientes dos serviços financeiros entre as diferentes instituições, ou seja, o cliente pode autorizar o compartilhamento dos seus dados entre instituições a seu critério”, continua Jhonatan Hoff.

O professor complementa: “já na terceira fase o cliente pode realizar pagamentos fora do ambiente dos bancos tradicionais e também solicitar propostas de crédito de diferentes instituições ao mesmo tempo. Por último, na quarta fase, que também foi chamada de Open Finance, o escopo dos dados compartilhados de serviços financeiros foram ampliados e passaram a englobar informações como dados de investimento, seguros e previdência, entre outros”.

A primeira fase foi iniciada no Brasil em janeiro de 2021, enquanto que a segunda e a terceira foram implementadas nos meses de agosto e outubro, respectivamente. A última fase, Open Finance, surgiu em dezembro do mesmo ano, conforme evidencia o Banco Central na página referente ao OB.

Conheça o Mundo do CX

Sistema auxilia na educação financeira do brasileiro

Ainda segundo o coordenador do Curso de Ciências Contábeis da faculdade FIPECAFI, o Open Banking também permite a visualização das informações financeiras de diferentes bancos em uma única plataforma, o que garante uma experiência do cliente mais satisfatória e permite um controle financeiro ainda maior por parte do público.

Vale lembrar que somente as instituições financeiras autorizadas pelo Banco Central podem integrar o Open Banking. Apesar disso, outras empresas podem ingressar nesse ecossistema, se cumprirem com as diretrizes propostas na regulamentação. A lista com as entidades aprovadas para fazer parte desta experiência pode ser encontrada clicando aqui!

Ainda convém ressaltar que este novo modelo de negócio é totalmente seguro, já que é conduzido a partir do consentimento dos clientes, envolve apenas corporações aprovadas pelo BC e permite a revogação do compartilhamento de dados, caso o usuário assim desejar. Ademais, o sistema financeiro aberto já foi testado e aprovado por vários países, como o Reino Unido, pioneiro neste setor e a Austrália, situada na primeira fase do programa. As demais nações, como os Estados Unidos e o Canadá estão em processo de análise mas pretendem implementar a novidade em seus territórios.

O Open Banking sob a ótica dos próprios bancos

No último dia 9 de agosto, durante o evento de tecnologia bancária, Febraban Tech, o presidente do Banco do Brasil, Fausto Ribeiro, contou sobre suas perspectivas e experiências a respeito deste novo sistema financeiro.

Segundo ele, além de ser mais certeiro na apresentação de produtos específicos para os clientes, o Open Banking possibilita a criação de novas plataformas de negócio por meio da ajuda mútua: “parcerias trazem novas oportunidades de negócio. Temos hoje em nosso marketplace, 27 grandes varejistas. A plataforma gera receita entre 9% e 10% para o banco. É uma janela enorme de oportunidades e ainda para conhecer melhor os clientes, seus hábitos”, pontua o presidente do BB, que ressalta o ganho de R$ 430 milhões de receita com após a instalação deste novo modelo.

A título de curiosidade, a Febraban divulgou em seu portal que, ao longo do primeiro ano de implementação no Brasil, foram realizadas 231,1 milhões de chamadas entre os participantes para o compartilhamento de dados e não foram constatados problemas estruturais tampouco burocráticos em nenhuma das quatro fases.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente


+ Notícias

Banco Original quer ampliar ciclo de vida do cliente com omnicanalidade

Do Pix ao e-money: presidente do BC indica futuro do dinheiro no Brasil 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 284

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
YUCA | Estúdio Criativo

ILUSTRAÇÃO:
Midjorney


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

Fabiana Hanna
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head de Conteúdo e Comunicação
Verena Carneiro
[email protected]

Head de Conteúdo
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio
YUCA | Estúdio Criativo

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Líder de Marketing Integrado 
Suemary Fernandes 
[email protected]

Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 284

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
YUCA | Estúdio Criativo

ILUSTRAÇÃO:
Midjorney


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

Fabiana Hanna
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head de Conteúdo e Comunicação
Verena Carneiro
[email protected]

Head de Conteúdo
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio
YUCA | Estúdio Criativo

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Líder de Marketing Integrado 
Suemary Fernandes 
[email protected]

Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]