Pesquisar
Close this search box.
/
/
O sucesso das Health Techs: tecnologia no cuidado com a saúde

O sucesso das Health Techs: tecnologia no cuidado com a saúde

Conhecidas por oferecerem soluções que trazem avanços tecnológicos, melhorar a experiência do paciente e funcionar de maneira remota, essas empresas já vinham em alta no mundo todo antes mesmo da pandemia de Covid-19

Consultas, diagnósticos, prescrição de medicamentos: muita gente ainda não sabe, mas é possível fazer todas essas coisas dentro da sua própria casa, usando apenas uma plataforma conectada à internet. As Heath Techs vêm ganhando força no planeta: em alguns países são a escolha da vez dos investidores que buscam empresas unicórnios.

De acordo com dados do Distrito Health Tech Report, relatório mundial dedicado à área, desde 2014, quando muitas empresas de tecnologia entraram na corrida pelo mercado da saúde, os investimentos já chegaram na casa dos US$ 14,6 bilhões, segundo o report.

Desnecessário dizer que, com a pandemia do novo coronavírus, essa situação ficou ainda mais favorável essas techs. Até porque, pisar em um hospital sem medo de se contaminar com Sars-Cov-2 é algo que não há previsão de acontecer em nenhum lugar. Além, claro, de ser o ambiente onde se trata a doença, é também um pólo de aglomerações muito grande. E quem tem consciência do perigo quer passar longe desses lugares.

No Brasil pré-Covid-19, a velocidade das mudanças no mercado de saúde era a de uma marcha contínua, sem grande aceleração. A população ainda se divide entre pagar planos de saúde ou consultas e exames de forma particular, ou usar o SUS, o Sistema Único de Saúde, que é quem está aguentando o tranco dos casos da doença no país.

Entre um lado e outro, porém, começam a surgir alternativas que primam pelo atendimento remoto e por novas formas de cobrança e relação com os pacientes. A mais famosa delas, a rede Dr. Consulta, surgiu em 2011, e atende no Rio de Janeiro, em São Paulo, e em Minas Gerais.

O boom de Health Techs brasileiras foi mapeado: de 160 empresa, em 2014, para 386 em 2019, um aumento de 141% segundo o report da Distrito. Afinal, somos o 8° maior mercado de saúde do mundo. Há muito o que se trabalhar por aqui.

Como está esse mercado atualmente?

Para entender melhor o que pretendem empresas como essas, conversamos com dois fundadores de Heath Techs brasileiras – de áreas diferentes – sobre como eles vêem o mercado agora, em um ano no qual o cuidado com a saúde se tornou a grande preocupação.

Alexandre Gallo, CEO da Pop Saúde, comanda uma empresa que foca em facilitar o acesso das pessoas a consultas, exames e remédios – tudo de forma online. Já Milene Rosenthal, co-fundadora da Televita, está entre as primeiras do mercado de atendimento psicológico, algo que internacionalmente já é mais comum, principalmente nos Estados Unidos e no Canadá.  Acompanhe as conversas abaixo:

CONSUMIDOR MODERNO: De onde veio a ideia de criar a plataforma Pop Saúde?

ALEXANDRE GALLO: A maneira que o sistema público de saúde se apresenta hoje não é sustentável, os valores dos planos privados não são viáveis para 70% da população e muita gente ainda procura por diagnósticos no Google. Criamos, então, um sistema de assinatura de saúde para, de uma maneira simples e descomplicada, viabilizar acesso a rede privada, sem as longas filas de espera do sistema de saúde atual e com preços mais atraentes a muitos bolsos.

CM: Com a quarentena aumentou ou diminuiu a procura?

AG: A procura por alternativas de acesso à saúde durante o Covid 19 tem gerado um aumento constante em nossos canais de vendas e atendimento, nossa base cresce diariamente. Nossa meta é chegar a 1 milhão de assinaturas até o final de 2021.

CM: Por que as Health Techs podem ser uma alternativa ao plano de saúde convencional?

AG: As medidas de isolamento social potencializaram a urgência de grandes necessidades da nossa população, principalmente no acesso à serviços de saúde sem precisar se deslocar. Com o cenário atual da economia, as pessoas têm também procurado por alternativas simples, inteligentes, sustentáveis, e que caibam no orçamento familiar mesmo em momento de crise. Nosso modelo atende inclusive MEI e PME, pois finalmente podem proporcionar benefícios aos seus colaboradores sem comprometer o caixa.

Já no âmbito da chamada Telepsicologia, plataformas conectam profissionais com pacientes pelo mundo todo. É possível encontrar até mesmo aplicativos de celular que fazem essa ponte, por exemplo, em inglês e espanhol, muito facilmente. No Brasil, porém, o atendimento remoto para sessões de terapia só bombou mesmo com o impacto do Covid-19. Mesmo assim, Milene Rosenthal, psicóloga e co-fundadora da Telavita, plataforma de psicoterapia online, já vêm tocando negócios do gênero desde 2010.

CM: De onde veio a ideia de criar a plataforma?

MILENE ROSENTHAL: Em uma conversa com uma amiga, ela me questionou o porquê do psicólogo não atender pela internet, uma vez que ela viajava muito e não conseguia realizar consultas presenciais com frequência. A partir daí, imaginei que muitas pessoas também poderiam ter a mesma necessidade e passei a pesquisar mais a fundo o tema e vi que países como Canadá e Estados Unidos estavam bem mais avançados na Telepsicologia.

Foi assim, em 2010, que surgiu a ideia de lançar a startup de atendimento online, pois entendi que ajudaria a democratizar e ampliar o acesso à psicologia no Brasil, seja por falta de profissionais na região ou, até mesmo, pela impossibilidade do paciente se deslocar até o consultório. Essa empresa foi a primeira do país no gênero. Em seguida, em 2016, saí dessa minha primeira startup e conheci os empreendedores Andy Bookas e Lucas Arthur, que já atuavam com um projeto de bem-estar, e decidimos unir esforços para lançar a Telavita.

CM: Como funciona? Quantas pessoas a plataforma já atendeu?

MS: É uma plataforma de consultas online que tem por objetivo conectar profissionais de saúde a pacientes de todo país. Por meio de uma tecnologia robusta, ágil e segura, todo o processo de escolha, agendamento e atendimento de sessão é realizado em ambiente digital, com as devidas autorizações do Conselho Federal de Psicologia. Desde o início da pandemia e do distanciamento social, as demandas por atendimentos na plataforma cresceram exponencialmente, atingindo a margem dos 400% no último trimestre. No comparativo entre maio e junho, a Telavita registrou um aumento de 100% em suas consultas.

CM: Com a quarentena, o atendimento psicológico à distância se tornou rapidamente uma realidade. Vc acha que ele veio para ficar? Quais são os benefícios?

MS: A quarentena e o medo da iminente superlotação de hospitais trouxe uma visibilidade muito grande para essas iniciativas que aliam tecnologia à segurança da população. Elas cresceram exponencialmente nos últimos meses. Creio que, justamente por conta dessa readequação de valores e necessidades, as demandas por essas alternativas tecnológicas devem se manter estáveis a curto e médio prazo. Isso porque os benefícios são vários, desde a praticidade, comodismo e até mesmo ao custo benefício.


Melhoria nos serviços da saúde: integração de dados é a solução

Como a pandemia alterou o cotidiano das empresas de saúde?

4 perguntas sobre o uso de planos de saúde no tratamento da Covid-19

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]