Pesquisar
Close this search box.
/
/
O mundo digital está preparado para incluir idosos?

O mundo digital está preparado para incluir idosos?

Sensação de insegurança e falta de rede de apoio são situações citadas como fatores que afastam idosos do mundo digital

Com o aumento da esperança de vida no Brasil, cresce também o número da população idosa. O IBGE apontou que, no país, há 31,2 milhões de pessoas idosas, o que aponta para o alargamento do topo da pirâmide etária. Os números colocam o país como entre os mais rápidos no envelhecimento. O aumento aconteceu também na quantidade de idosos que aderiram ao mundo digital, de acordo o IBGE. Os dados mostram um salto de 44,8% para 57,5%, entre 2019 e 2021, no percentual de usuários da internet com 60 anos ou mais.

No mesmo panorama de crescimento está o cenário das novas tecnologias no país, adotadas inclusive pelos bancos. Porém, enquanto as instituições bancárias incentivam a resolução de questões diárias pelo celular, parte da população idosa do Brasil não está preparada para lidar com as mudanças.

Assine nossa newsletter!
Fique atualizado sobre as principais novidades em experiência do cliente

O avanço do mundo digital caminha ao lado da dificuldade dos idosos

Ao mesmo tempo que os idosos passaram a acessar a internet com mais frequência, algumas dificuldades são sentidas pelos mais velhos ao usar essa tecnologia para utilizar serviços bancários. A observação foi feita na pela Febraban, a Federação Brasileira de Bancos.

O estudo feito pela representante do setor bancário no país entrevistou, e intitulado “A Inclusão Digital dos Idosos”, ouviu três mil pessoas entre agosto e setembro de 2022. O objetivo foi entender a distância entre os mais velhos e mais jovens nesse cenário de desenvolvimento digital.

Leia mais: Bancos em caminho sustentável

A cada 10 entrevistados, sete afirmaram que as novas ferramentas são importantes para ambos os públicos. Porém, as pessoas com mais de 60 anos relataram medo e insegurança ao lidar com as novidades tecnológicas. Mesmo com a presença crescente dos mais velhos no ambiente online, para a maioria dos entrevistados os sentimentos com os recursos são mais negativos (51%) que positivos (44%).

Falta de familiaridade, dificuldades de usabilidade, sensação de insegurança e ausência de uma rede de apoio são os itens mais citados como fatores que contribuem para afastar os idosos do mundo digital. Entre eles próprios, a falta de familiaridade e o medo de ser vítima de golpes e fraudes vêm no topo do ranking, com 30% e 28% das menções, respectivamente.

Diante desse cenário, algumas empresas têm se moldado para atender o público prateado – nome dado a essa população em alusão aos cabelos grisalhos, comum na faixa etária.

Conheça o Mundo do CX

Empresas que se moldaram ao público prateado

Com a projeção do IBGE de que, em 2050, o Brasil será o 6° país mais velho do mundo, se adaptar a essa realidade já tem se tornado plausível dentro de algumas instituições financeiras. É o caso do Banco Mercantil do Brasil. Em 2022, 75% dos seus clientes faziam parte da população prateada. Isso colocou a entidade na 5ª posição no ranking de pagamentos de benefícios do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), com 1.580.956 beneficiários ativos. Diante desse cenário, a empresa reformulou seu aplicativo para oferecer facilidades de acesso e segurança durante as movimentações bancárias, que chegam a 40% das transações dentro da ferramenta.

No sentido do processo de aceleração digital, o Agibank criou uma consultoria virtual. O objetivo era focar em um atendimento humanizado e menos engessado, como forma de acolher seu público-alvo: aposentados, pensionistas do INSS, servidores públicos e assalariados privados. A atendente virtual, chamada “Gi”, atende os clientes do banco via WhatsApp para esclarecer dúvidas, resolver problemas e atuar como facilitadora de transação no ambiente digital.

Leia mais: O equilíbrio entre segurança digital e usabilidade para gerar experiência

Qual o caminho a ser seguido pelas empresas e SAC?

O Decreto Nº 11.034, de 5 de abril de 2022, chamado de “Decreto do SAC”, trouxe algumas alterações quanto ao Serviço de Atendimento ao Consumidor. Antes, o atendimento telefônico era obrigatório, e continua sendo. Porém, hoje as empresas podem oferecer outras formas de ajudar seus clientes, sendo que uma delas deve funcionar 24 horas por dia, e sete dias por semana. Além disso, um telefone deve estar disponível para o consumidor durante oito horas diárias.

“Na questão do idoso, o Código de Defesa do Consumidor e o Estatuto do Idoso garantem que ele tenha desde o cuidado, a orientação. A tecnologia é um desafio para os mais velhos, pessoas não incluídas digitalmente e para quem está em uma situação de vulnerabilidade maior. O que percebemos são algumas iniciativas para aculturar essas pessoas”, explicou o advogado em Direito do Consumidor e professor da PUC-SP Vitor Morais de Andrade.

Leia mais: Entra em vigor Decreto do SAC: veja o que mudou

Ele explica que cabe às empresas identificarem o público e criar mecanismos de orientação, que vão além da otimização dos serviços e aplicativos. É ideal também a criação de um alerta de segurança para evitar golpes. São deveres de cuidados para evitar danos aos consumidores, principalmente para os idosos.

“Seria um dever de cuidado com as pessoas em seus diferentes graus e níveis de dificuldade. Essa é uma regra geral que temos nesse cenário. Quando olhamos os dados do PNAD e IBGE é possível perceber que a população idosa está crescendo. Parece que essa será uma preocupação cada vez mais presente nas empresas, até mesmo na formação da sociedade, que começa a ter pessoas mais velhas. Então, será necessário um cuidado não só do atendimento, mas na venda e na orientação das características do serviço”, finalizou.



+ NOTÍCIAS
Uma ótica diferente para os idosos: SXSW 2023 repensa o modo como envelhecemos
De terceiro pai a cuidador de idosos: novas funções da tecnologia digital

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]