Pesquisar
Close this search box.
/
/
Se quiser melhorar a vida de alguém, comece servindo uma boa refeição

Se quiser melhorar a vida de alguém, comece servindo uma boa refeição

A importância da alimentação para a qualidade de vida é inquestionável, mas é possível ver essa questão por uma perspetiva que vai além da ausência de fome

De algum tempo para cá, tornou-se impensável começar um novo negócio sem um propósito. Essa perspectiva marcou o começo de “um tempo mais fácil para os sonhadores” – e peço licença para discordar do filme O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, que cita um momento complicado para quem sonha.

Contudo, tudo ficou mais complicado para quem buscava a inovação pela inovação, o lucro pelo lucro ou a tecnologia pela tecnologia. Já não é possível pensar apenas no que foi feito durante o dia e no quanto será ganho com isso pois, de repente, alguns malucos resolveram fazer perguntas: Por que? Por quem? Para que?

São muitas as questões do dia de hoje – e também são muitos os stakeholders, os propósitos, as demandas. Para quem já nasceu nesse cenário, as coisas não são tão difíceis assim – exemplos disso são algumas empresas ou startups que nasceram a partir do desenvolvimento de tecnologias focadas em solucionar problemas sociais. Para quem nasceu em outro tempo e ainda não encontrou um propósito, fica a recomendação: corra e encontre um.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

Mas há também companhias que nasceram em uma época diferente e que, mesmo assim, já tinham uma ideia maior sobre aquilo que queriam criar – mais do que um resultado puro e simples. A Natura é um exemplo claro disso: a empresa foi criada em 1969, mas carrega em sua história o símbolo da natureza. Quando ainda não se falava tanto em sustentabilidade, quando esse termo se resumia ao “ecologicamente correto”, a Natura se destacava de forma automática – e tem se esforçado para se manter como referência depois das mudanças da sociedade.

O case da Natura foi citado, inclusive, pelo fundador do Sistema B, como uma referência positiva, durante a II Conferência Sodexo de Qualidade de Vida. No evento também foi dito que não é suficiente ter um propósito, mas é fundamental demonstrá-lo, colocá-lo em prática. Curiosamente, foi isso o que aconteceu durante a própria conferência.

O propósito da empresa está ligado à qualidade de vida e, não por acaso, à alimentação. O tema, identificado inclusive como um direito básico do ser humano, esteve presente desde o começo na empresa e continua sendo fundamental. Para os presentes no evento, contudo, isso ganhou uma dimensão muito maior. O assunto se tornou palpável, literalmente: do começo ao fim, clientes da Sodexo serviram os mais variados pratos aos convidados. Um dos presentes foi o Lenôtre – restaurante francês reconhecido mundialmente, que conta inclusive com uma escola de gastronomia.

Comida = interação

A presença dos alimentos causou – como costuma causar – um efeito curioso: de repente, o diálogo se torna mais fácil, as pessoas se tornam mais abertas ao contato. O clássico “networking” se torna uma agradável conversa entre colegas. Esse aspecto foi observado inclusive por um dos chefs da Sodexo, durante um almoço com o CEO da empresa, Michel Landel. O especialista contou que muitos dos chefs jamais haviam se encontrado mas, ao se posicionarem diante dos alimentos, tornaram-se amigos, parceiros na arte da culinária – a arte que une todos os povos. De fato, tivemos acesso a refeições do mundo todo – e, enquanto isso, fomos cidadãos do mundo.

Mesmo com toda essa oferta, é preciso dizer que a preocupação da Sodexo com o desperdício de alimento – uma triste realidade global – esteve presente também por lá. E toda a experiência gastronômica tornou real a questão da qualidade de vida, da preocupação com os indivíduos ao redor do mundo e, é claro, com aqueles que produzem esses alimentos.

Não por acaso, a preocupação com o estado das pessoas foi discutida no mesmo painel em que Sophie fez o seu discurso final, na conclusão da Conferência. Quem falou sobre o tema foi Angel Gurría, secretário-geral da OECD. Para eles, empresas precisam ser baseadas em pessoas e na forma como desejam impactá-las. “Com isso em mente, é preciso pensar na qualidade de vida que está sendo entregue a todos os indivíduos”, argumenta. Ele acredita, ainda, que o trabalho é um dos fatores que afetam o envolvimento cívico das pessoas – e, hoje, ele não vê esse aspecto com bons olhos, julgando que estamos pouco engajados, em nível global.

Engajamento

“As pessoas não sentem que estão compartilhando a situação econômica”, defende. “Colocar as pessoas no centro, inclusive por meio de políticas públicas, é uma estratégia que se refletiria no trabalho e que é fundamental para a qualidade de vida”. Como exemplo, ele cita a votação do Brexit – a separação do Reino Unido da União Europeia –, da qual 60% dos jovens não participaram. O sinal, para o secretário-geral, é de que as pessoas estão desencantadas.

Sophie comentou que a Sodexo, como outras empresas globais, tem um papel que envolve a realização das pessoas. Afinal, a empresa emprega pessoas de muitos países e movimenta a economia de diversas formas – inclusive porque conta com fornecedores e colaboradores, envolvendo as mais diversas áreas de negócio.

Por fim, ela agradeceu pela presença de pessoas apaixonadas pela causa da qualidade de vida e lembrou que a Sodexo tem lutado para fazer com que seu crescimento tenha um sentido – justamente para se manter alinhada ao mundo de hoje. Por fim, diz que investir em qualidade de vida é a visão e a meta de empresa, porque essa é a única forma de obter evolução em negócios, sustentabilidade e na humanidade. “Minha visão é de que vamos precisar de pessoas para cuidar de pessoas – e é isso o que nossos funcionários são orientados a fazer hoje e é o que eles farão cada vez mais”, conclui.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]