Pesquisar
Close this search box.
/
/
iPhone 11 vale a pena? Confira um comparativo

iPhone 11 vale a pena? Confira um comparativo

Confira os principais features dos novos iPhones e quais deles são um ponto a considerar

Sempre que se lança um novo iPhone surge a pergunta: vale a pena? Vamos destrinchar as funcionalidades do novo modelo e compará-lo aos últimos modelos: 7, 8 e X. O iPhone 11 Pro é o primeiro telefone celular a possuir uma câmera com três lentes dedicadas. É também o primeiro da Apple que pode ficar submerso por até 2 metros de profundidade na água por 30 segundos.

Hardware: hiperpotente

No hardware, a gigante de tecnologia promete o chipset mais potente em um smartphone até hoje. Também é o primeiro com reconhecimento espacial – basta apontar um iPhone para o outro e o AirDrop mostrará como o primeiro telefone da lista. Tudo isso se deve ao novo chip U1 criado pela Apple com tecnologia de banda ultralarga. E essa parece ser a melhor parte do novo iPhone, que trará consigo o iOS 13. Quanto ao sistema operacional, a empresa garantiu ser “uma nova forma de viver”.
O processador é um A13 Bionic de terceira geração – continuação da mesma linha de processadores da Apple que entregam um ótimo desempenho desde o começo dos iPhones.

Sistema de som: comparável a outros smartphones

Os iPhones trazem ainda um novo sistema de som que conta com Dolby Atmos e áudio espacial. Tecnicamente o som surround se moverá ao redor do ambiente. De qualquer forma, essa não é uma grande funcionalidade comparada a outros dispositivos de outras marcas. A Samsung, por exemplo, oferece tecnologia semelhante no novo Note 10 e 10+ – o som dos dispositivos pode ser equiparado. O que resta descobrir em um teste físico é a potência no fone de ouvido, pois o software muda a qualidade de escuta.
A novidade mais excitante em termos musicais é o compartilhamento de som entre AirPods, dois pares podem ouvir a mesma música através de apenas um iPhone. O compartilhamento também será possível com fones da marca Beats.

Chip e banda de internet

Apesar do 5G já estar batendo na porta, os novos iPhones ainda são 4G LTE. Dessa vez, como diz a própria Apple, “Advanced”. Agora ele suporta até 30 bandas LTE para melhorar o roaming internacional. Não faz muita diferença, já que diversos dispositivos concorrentes entregam o mesmo e no uso diário isso não afeta a velocidade, nem entrega um desempenho de banda tão potente que justifique o preço.
O ponto positivo nesse tópico é a possibilidade de duas linhas em um só iPhone. Agora os iPhones terão um chip físico e a opção de um eChip virtual, que suportará outra linha telefônica.

Câmera: fotos cheias de detalhes

Esse parece ser o principal ponto forte dos novos iPhones. O 11 não se distancia tanto dos modelos anteriores, apenas com um design diferente, ele traz features semelhantes ao 7 Plus, 8 e X/XR: câmera dupla. A diferença aqui é que uma delas é grande angular e, agora, o software traz o modo noite, que reduz ruídos em fotos mais escuras. Nos modelos 11 Pro e Pro Max, os iPhones terão três câmeras, uma delas é ultra-angular, outra grande angular e uma teleobjetiva – essa, por sua vez, promete mostrar detalhes de fotos à distância com zoom. Como por exemplo shows em estádios e espetáculos.
Caso estivéssemos falando apenas do iPhone 11, o desempenho fotográfico entregue seria semelhante aos dispositivos anteriores, mas com algumas melhorias na lente, que agora é uma TrueDepth de 12MP. De qualquer forma, o Pro e Pro Max trazem um conjunto de câmeras ainda não vistas no mundo móvel. Ponto para a Apple.

Bateria

O iPhone 11 promete uma hora a mais de bateria em comparação com o XR, enquanto o Pro promete quatro horas a mais em relação ao XS e, o Pro Max, cinco horas a mais em relação ao XS Max. O 11 pode reproduzir até 17 horas de vídeo com fones de ouvido sem fio, o Pro 18 horas e o Pro Max, 20 horas. A estrutura continua a tradicional: interna feita de ion de lítio. De qualquer forma, alguns smartphones “gamers” como o último da ASUS, entregam um desempenho de bateria semelhante ou melhor dos novos iPhones. Definitivamente não é um highlight.

Tela

A nova tela segue os padrões de qualidade dos últimos iPhones: Super Retina XDR com OLED sem bordas. O 11 possui 6,1 polegadas, o Pro 5,8 e o Pro Max 6,5 Pro e Pro Max são HDR e os três possuem Dolby Vision para a reprodução de vídeos com uma resolução máxima de 1792 x 828 para o 11 e 2688 x 1242 para o 11 Pro Max. Outro ponto para a Apple. As telas desenvolvidas exclusivamente pela empresa são únicas no mercado e a evolução parece ser coerente em relação aos últimos modelos. Concorrentes possuem telas que chegam perto, como o S10, da Samsung, que também é sem bordas.

Conclusão final

E será que vale a pena comprar o iPhone 11? Se sua prioridade for a câmera e dar um upgrade, caso seja um ávido usuário Apple e dos aplicativos nativos: com certeza! Os outros features não são tão relevantes, a não ser pelo novo processador que, para quem procura velocidade, é outro motivo extremamente relevante. Quanto à ser a prova d’água, outros celulares podem entregar um nível de segurança maior.
Um ponto a se considerar na compra de um iPhone é a segurança. Até agora é o celular com maior dificuldade de invasão. A companhia paga prêmios constantes em concursos para quem encontrar falhas e as corrige em tempo recorde. Sem falar de seu sistema fechado e apps nativos que excluem a necessidade de downloads e transformam seu aparelho em um gadget ainda mais seguro.
O iOS 13 deve ser a maior novidade, pois como em todos os dispositivos da Apple, o software é o que faz a real diferença. Ele trará consigo o Apple TV+, novo serviço de streaming de vídeo da marca, por exemplo.

Ponto negativo para a integração

A Apple ainda não entendeu que nem todos possuem iPhones. Para se ter ideia, o AirDrop limita-se apenas à dispositivos Apple. Desta maneira o compartilhamento de arquivos é pouco funcional. Sem falar de outras funcionalidades que não fazem parte do ecossistema Google que, hoje, é presente na vida de todos que têm uma conta no YouTube ou Gmail.


LEIA MAIS

iPhone 11: As impressões que ficaram na internet após o lançamento do aparelho

Apple Business Chat: Uma nova experiência de comunicação digital


Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]