Pesquisar
Close this search box.
/
/
Como a inovação está reinventando a experiência do cliente

Como a inovação está reinventando a experiência do cliente

CEOs debatem limites entre contato humano e digital para resolver problemas com clientes, e como entender qual é o melhor momento para cada um nesse processo.

A inovação tem desempenhado um papel central na revolução da experiência do cliente nas últimas décadas. Em um mundo impulsionado pela tecnologia, as empresas estão constantemente buscando maneiras criativas de atender às crescentes expectativas dos consumidores, e isso foi amplamente discutido no painel “Como a inovação está transformando a experiência do cliente?”, do CONAREC 2023.

Mediado por Marcelo Nakagawa, professor de inovação do Insper, o painel abordou como cada um dos participantes enxerga e implementa as novidades de tecnologia em seus negócios para melhorar o CX. O debate iniciou com uma pergunta geral do professor: “O que vocês veem de tendências de tecnologia em CX?

“O que vejo acontecendo, principalmente no varejo da construção, é que a venda ainda acontece fisicamente na maioria das  vezes, e o desafio de atribuir a inovação tecnológica à jornada do cliente é ainda mais desafiador”, começa Jordana Barros, COO  da Saint-Gobain. Ela enfatiza que no ramo da construção não existe compra recorrente e, por isso, fidelizar o cliente e fazê-lo pensar na marca como referência é ainda mais difícil. “A jornada da construção é longa, causa tensão, momentos de fricção dos clientes. Usamos a tecnologia para prever esses momentos e entender esse caminho para fazer ofertas personalizadas”, adiciona.

Do cliente para trás

Na Amazon Brasil, qualquer mudança feita na CX veio diretamente do cliente. “Só implantamos tecnologias que percebemos que os clientes têm necessidade de automatização. A inovação tem que estar atrelada a uma necessidade dos clientes que compram no nosso site, o ‘client bakwards'”, explica Camile Alambert, head de Customer Experience da gigante. Para ela, o ponto que define o CX da empresa é a obsessão com o cliente, o que também traz benefícios para os parceiros que usam a plataforma para vendas. “Eles também têm acesso a essa tecnologia de personalização de ofertas, de produtos, que talvez por serem pequenas e médias empresas, não teriam acesso”, completa.

Alguns dos clientes não gostam do chat porque tem a impressão de falar com um robô, mas essa sensação pode ser evitada – ou pelo menos melhorada. “A IA é aliada na jornada do cliente porque traz uma cognição muito forte para o usuário, imitando aquela linguagem humanizada para tentar fugir daquelas interações duras” explica Rafael Bianchi, Chief Strategy Officer da Digitalk. “Isso contribui para tirar aquele problema de dentro daquela jornada, mas ainda precisamos da terceirização de dados para conseguir medir o pós-ação com o cliente”, completa.

Para Fabio Marques, vice-presidente de Clientes e Operações da Sem Parar, a chave do sucesso para a marca é trabalhar arduamente para encontrar novas necessidades e trazer esse diferencial para os clientes, usando IA ou não. “Temos estratégias muito fortes dentro do aplicativo, uma série de soluções e mais de 30 funcionalidades, focando o CX no uso da ferramenta.” Mas, para melhorar cada vez mais o CX, é indispensável investir em capacitação da mão de obra que vai trabalhar com isso. “Principalmente quem tem cargo de gestão para capacitar o time para aderir e testar a IA“, finaliza.

Equilíbrio entre digital e humano

No Japão, é comum entrar em restaurantes e não ter nenhuma interação humana. “Também existem lugares que tem zero digital, é tudo tratado com humanos”, diz Marcelo. Com esse gancho, ele pergunta aos convidados qual é o desafio em definir o limite entre resposta humana e digital.

“Acho que o limite dessa interação, quando falamos de compras que acontecem poucas vezes e que tem muita fricção, é ter a disponibilidade humana. Isso ainda é essencial, porque quando o cliente te aciona, ele está num momento de tensão absoluta, a obra dele parou”, explica Jordana Barros. “Então, para o nosso modelo de negocio, a interação humana ainda é muito presente e necessária, salvo para questões muito simples.”

Em outros nichos de venda, esse limite é mais tênue e, em geral, simplifica processos. “Ter o robô traz mais eficiência para o negócio. Isso melhorou muito a experiência do cliente“, conta Fabio Marques. “Usamos o humano para ser mais assertivo, cauteloso na área de atendimento. Isso inclusive muda a dinâmica do cliente com humano”, acrescenta, ressaltando que as novas profissões se adaptaram às novas tecnologias ao longo da história e que com a IA isso não será diferente.

Ainda há quem acredite que o melhor atendimento é nenhum atendimento. A frase parece não fazer sentido, mas se pararmos para pensar, é genial. “Tem um mindset de que se você não precisa ser atendido é porque o serviço atendeu suas expectativas iniciais”, explica Camile Alambert.

“Trabalhos para que você não precise entrar em contato com a gente, e, se precisar, tem uma série de ferramentas self service para isso.” Ela termina dizendo que a única parte do atendimento que é humano é a linha telefônica. “Se você ligou, é porque nenhuma das alternativas anteriores te ajudou e você quer falar com uma pessoa.”

Por fim, é importante medir o retorno de investimento, seja a curto, médio ou longo prazo. “Temos que ter visão de fidelização e de construção da imagem da marca. Então decisões serão medidas em anos e olhando sempre para agregar cadeia de valor para o cliente”, aconselha a executiva da Amazon. “Busquem sempre ficar ligados em planejamento e modelos preditivos de comportamento“, finaliza a COO da Saint Gobain.

 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]