Pesquisar
Close this search box.
/
/
3 pontos que apresentam risco de fraude para instituições financeiras

3 pontos que apresentam risco de fraude para instituições financeiras

Segurança cibernética é essencial para pessoas e empresas, mas bancos e financeiras estão na mira e devem investir mais em se proteger de ataques

Golpes, fraudes e outros tipos de crimes cibernéticos se popularizaram nos últimos anos com a modernização tecnológica. O fácil acesso à internet, computadores e smartphones possibilitou que as pessoas se comunicassem imediatamente, mas também deixou mais dados pessoais mais acessíveis a criminosos. 

O grande desafio das empresas hoje em dia é proteger dados não só de seus clientes, mas delas mesmas. A inteligência artificial, backups em nuvem e até servidores físicos podem sofrer ataques de pessoas mal intencionadas, mas existem formas de aumentar a segurança e dificultar – podendo até evitar – tais invasões. 

Pensando nisso, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) lançou a terceira edição da campanha de prevenção a fraudes “Pare e Pense: Pode ser Golpe”. O foco é instruir não só o consumidor, mas as instituições financeiras como um todo, sobre segurança cibernética. A KPMG, organização global de firmas independentes que prestam serviços profissionais nas áreas de Audit, Tax e Advisory, elencou os principais pontos que essas instituições devem ficar de olho para evitar fraudes. 

“A rápida transformação digital dos últimos anos afetou significativamente a forma como os criminosos virtuais operam e essas mudanças terão um impacto ainda maior no panorama da proteção bancária no futuro”, conta Leandro Augusto, sócio líder de segurança cibernética da KPMG.

Maiores riscos para bancos e financeiras

• Phishing – Considerado o mais utilizado pelos criminosos. Ele consiste em enganar os usuários da internet para que revelem informações pessoais, financeiras ou confidenciais. Os bancos precisam se atentar a esta técnica, uma vez que hackers estão utilizando-a cada vez mais para atacar os usuários e os colaboradores das empresas, principalmente, pessoas com privilégios elevados nos sistemas da instituição.

Você já deve ter ouvido falar ou até mesmo recebido e-mails iguais aos do seu banco, operadora de celular, dentre outros, mas que parecem suspeitos por um detalhe ou outro. Para os desavisados um link ou até um arquivo malicioso podem fazer estragos no celular ou computador, baixando vírus ou aplicativos espiões que roubam informações pessoais. 

• Ransomware – Durante este ataque, os criminosos bloqueiam o acesso da vítima ao computador, criptografando-os com vírus. Os invasores usam várias técnicas de extorsão para pressioná-la a pagar um “resgate”. Se bem-sucedido, esse tipo de ataque pode ter implicações mais amplas nos padrões de conformidade regulatória das instituições.

• Cadeia de fornecedores – São ataques realizados por meio de um fornecedor terceirizado comprometido. Nesse caso, os criminosos contornam os controles de segurança, criando caminhos para recursos confidenciais de clientes através de um fornecedor terceirizado, o que poderia impactar centenas de empresas. 

O famoso entregador de delivery que passa um valor exorbitante na maquininha sem que você perceba é um desses. O aplicativo de comida te cobra na hora da compra, mas ao chegar na porta de casa o criminoso, que se passa por motoboy, afirma que você terá que pagar mais um valor para retirar a compra. Muitas empresas já avisam na hora do pedido que não cobram nenhum valor a mais na hora da entrega, avisando os consumidores de que, se a prática acontecer, se trata de um golpe

A inteligência artificial é uma das tendências crescentes de proteção cibernética observadas no setor bancário este ano para prevenção de fraudes e contenção de ataques. Os principais bancos têm utilizado técnicas de detecção de anomalias e inteligência artificial para detectar desvios e comportamentos de risco, detecção de fraudes de pagamento, de empréstimos, de integração de clientes.

“A segurança cibernética no setor bancário tem um valor crítico. Com o avanço dos pagamentos digitais e da digitalização do ecossistema financeiro, os bancos têm se tornado um dos principais alvos de ataques cibernéticos”, adiciona Cláudio Sertório, sócio líder de serviços financeiros da KPMG. “Além disso, a mudança contínua nas tecnologias também implica em uma mudança na cibersegurança no setor bancário, o que tem demandado mais investimentos por parte do setor bancário pela complexidade e velocidade do assunto”, finaliza.



Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]