Pesquisar
Close this search box.
/
/
Empresas digitais têm olhar cuidadoso sobre as necessidades do cliente

Empresas digitais têm olhar cuidadoso sobre as necessidades do cliente

Sucesso de negócios digitais está em aprender com os clientes e conseguir se adaptar às mudanças de comportamento do consumidor

Executivos da Loft, da Dafiti, da AeC, da Whirlpool e da Avaya discutiram em um dos painéis da Conarec 2022 os aprendizados que os negócios digitais trazem para engajar o cliente mais exigente. Dessa conversa, podemos destacar algumas palavras que se repetiram com frequência: velocidade, personalização e conexão. Os debatedores também falaram sobre as mudanças de cultura de consumo da população com a pandemia, que acelerou o processo de digitalização.

“Uma das principais lições é aprender sempre. Sem inteligência analítica para saber o que priorizar em meio às inúmeras possibilidades, não se consegue bons resultados”, constatou Renato Cerri, diretor de Consumer Care da Whirlpool. Segundo ele, o mundo digital deixa rastros e as empresas precisam saber colher os insights deles. Além disso, Cerri falou sobre a importância das marcas estarem conectadas com os clientes e serem capazes de saber priorizar de acordo com o que eles desejam em cada momento.

Renato Cerri deu como exemplo o comportamento do consumidor durante a pandemia. Se antes não havia dúvida de que o produto essencial para o cliente era o refrigerador, com a pandemia isso mudou. Para muitas pessoas o produto essencial passou a ser o microondas, para aquecer a comida pronta que ele pedia em casa para não ir ao mercado, ou a lavadora de louça, a cervejeira, a adega de vinhos. “A pandemia ensinou que o essencial é personalizado. Não tem que prender no que era prioridade e sim no que cada cliente está te mostrando hoje”.

Na mesma linha, Ricardo Pena, diretor de Pré-Vendas da Avaya, reforçou que para captar esses insights e colocar em prática o que você apreendeu se conectando com o consumidor, é preciso investir no atendimento ao cliente. “Hoje é possível criar um projeto e colocar a solução de atendimento em prática em poucos dias. Antes, para construir um novo modelo de atendimento, demorava até 9 meses. É preciso entender o rastro, quem é o cliente de fato, saber o que ele quer, pegar um monte de dados e entender o que significa. Saber usar a tecnologia a seu favor”, explicou Ricardo.

Velocidade e imediatismo

Ao mesmo tempo em que a tecnologia possibilita desenvolver e tirar do papel soluções a curto prazo, as pessoas que vivem nesse mundo digitalizado estão exigindo cada vez mais imediatismo das empresas. Francisco Faulhaber, Chief Strategy & Customer Officer da Dafiti, afirmou que a pandemia não só acelerou o processo de digitalização como obrigou que os consumidores se adaptassem. A consequência disso são sentimentos como medo e ansiedade.

“Muitas vezes essa agilidade extrema exigida do consumidor é fruto dessa ansiedade. Uma boa parcela desses consumidores não se preparou para esse processo de digitalização e chega com uma expectativa, ansioso para que ela seja consolidada. Esse cliente precisa de velocidade e de cuidados”, analisou Francisco.

De acordo com o executivo, a Dafiti, mesmo já tendo nascido 100% digital, precisou se adaptar à pandemia. Como se gerencia essas novas pessoas que estão migrando para o digital? E mesmo com essas pessoas comprando na internet, como enfrentar os desafios característicos da “moda online” como a vontade das pessoas de experimentar as peças?

Segundo Francisco, a empresa tem buscado soluções com foco em aumentar a eficiência e a agilidade no atendimento do consumidor, colocando ele no centro de todas as operações. “A gente optou por internalizar o setor de atendimento ao cliente, porque criamos a cultura de trabalharmos conectados com as pessoas, oferecendo uma melhor experiência em um tempo reduzido”.

A Loft também é uma empresa 100% digital e percebeu que a pandemia acelerou o processo de digitalização. Hoje, o consumidor não só compra, mas vende online. “Tudo aconteceu muito rápido e para a gente o principal desafio tem sido desburocratizar o nosso setor, o mercado imobiliário”, explicou Fernanda Celeste, diretora de sucesso e experiência do cliente da Loft.

A diretora deu alguns exemplos durante o painel que mostraram que sim, a velocidade é importante, mas que isso não pode comprometer a personalização da experiência. No caso do mercado da Loft, que como ela explicou envolve uma jornada mais longa e um cliente que não é tão recorrente, estar atento às dores e necessidades do consumidor é fundamental. Às vezes, o cliente não vai estar familiarizado com esse universo digital. Saber perceber isso e dar à ele as informações, a segurança e o atendimento que ele precisa é, sem dúvidas, determinante para se conectar com ele.

O desafio do home office para o atendimento humanizado

A pandemia trouxe muitos desafios também para o mercado de contact center. O atendimento no modelo de home office foi um deles, talvez o principal. Jackson Bruno, diretor de Customer Experience da AeC, disse que apesar do modelo ter sido estudado por décadas, quando a pandemia acelerou esse processo foi difícil imaginar uma empresa de gente, que lida com pessoas, com 20 mil colaboradores em home office em cidades, estados diferentes. Mas, a AeC conseguiu não só implementar o modelo em tempo recorde, como também crescer a partir dele.

“Apesar dos desafios de adotar um novo modelo de gestão, de cultura, a AeC conseguiu implantar o home office no Brasil inteiro em 30 dias. E fomos surpreendidos pelo quanto deu certo. Em dois anos dobramos o número de funcionários para 40 mil pessoas. Melhoramos os índices de experiência do cliente e dobramos de tamanho em plena pandemia”, explicou Jackson.

O diretor de Customer Experience da AeC afirmou que a empresa tem trabalhado para criar uma conexão cada vez maior entre os atendentes e cada marca que eles representam. Jackson acredita que transformando os atendentes em defensores das marcas a AeC garante um atendimento cada vez mais personalizado para os clientes.


+ Notícias

Para além dos índices: o consumidor deixa sinais ao longo da jornada

Inteligência Artificial domina ações voltadas para CX no Brasil

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]