Pesquisar
Close this search box.
/
/
Employee Experience: Como e por que investir no colaborador?

Employee Experience: Como e por que investir no colaborador?

O investimento em EX pode envolver desde a realização de sonhos, até tecnologias com foco em produtividade. Entenda

O conceito de trabalho como conhecemos já faz parte da vida humana há séculos. Entretanto, algumas mudanças estruturais ocorreram nas últimas décadas – especialmente a partir da entrada dos Millennials no mercado – e trouxeram novos desafios para as empresas. Mais do que nunca, além de se dedicar ao Customer Experience (CX) e aos resultados a serem apresentados para o acionista, as organizações têm de pensar também no Employee Experience (EX), ou seja, na experiência do colaborador.

Mas quais são os elementos e recursos que afetam, de fato, a vivência de um colaborador em um ambiente de trabalho, presencial ou remoto? Para muitos, basta ter acesso às melhores ferramentas e um ambiente confortável. Outros, porém, consideram que isso é o mínimo que a empresa deve disponibilizar.

Na AeC, como conta Daniel Perdigão, executivo de Employee Experience da companhia, a busca por oferecer a melhor experiência para os colaboradores se dá a partir de valores, princípios e responsabilidades da empresa. Na prática, isso significa focar sempre nas necessidades cognitiva, emocional, social, comportamental e sensorial do colaborador. “Isso traz melhor experiência, mais felicidade e engajamento, e gera resultado”, revela. “Quando nossos colaboradores estão bem, isso reflete diretamente no atendimento ao cliente”.

Os dados corroboram o ponto de vista do executivo: 85% dos entrevistados em um estudo do International Data Corporation (IDC) relataram que uma melhor experiência e um maior envolvimento do funcionário se traduzem em melhor experiência do cliente, maior satisfação e maiores receitas.

Employee Experience: as iniciativas da AeC

A empresa desenvolveu diferentes iniciativas voltadas para Employee Experience. Um bom exemplo é a ação “AeC Sonha com você”, que funciona da seguinte forma: cada colaborador escreve uma carta sobre seus sonhos e, em seguida, a encaminha para uma equipe que analisa, avalia e escolhe sonhos a serem realizados. “Já fizemos casamentos, viagens e viabilizamos muitos outros momentos inesquecíveis”, lembra o executivo.

Outro exemplo é a “Caravana do Bem”, que ajuda pessoas em situação de vulnerabilidade – não apenas financeiramente, mas também com inclusão social e digital. O programa “Diversifica AeC”, por sua vez, aborda e acolhe a diversidade entre os colaboradores. “São ações que atestam nossa vontade de levar experiências satisfatórias para quem trabalha na empresa”, justifica Perdigão.

A tecnologia também é utilizada em prol do Employee Experience. Por meio da plataforma Robbyson, a AeC mede o desempenho de cada colaborador, além de ter uma visão do todo em termos de produtividade e bem-estar. “O engajamento gera resultados e melhora a experiência”, afirma o executivo.

Gamificação em prol da competição saudável

A aplicação da lógica dos jogos na realidade profissional e no relacionamento com clientes já ultrapassou o status de tendência e é uma realidade. Na AeC, a partir da plataforma Robbyson, essa estratégia é utilizada para aprimorar o Employee Experience e traz um grande diferencial: por lá, as pessoas “concorrem” com elas mesmas, não com outros colaboradores. Ou seja, os desafios são individuais e o objetivo é que o indivíduo seja cada dia melhor.

A gamificação, na AeC e na plataforma Robbyson, tem como base quatro pilares:

1. Autogestão

Com transparência, esse pilar visa possibilitar que cada colaborador alcance seus objetivos sem depender de seus gestores.

2. Comunicação com base no diálogo

Para a AeC, é fundamental ouvir os colaboradores. Por isso, utiliza um recurso da plataforma Robbyson que mapeia as necessidades de cada um a partir de um quiz.

3. Colaboração com base na cooperação

“Pessoas gostam e precisam ter a oportunidade de ajudar umas às outras – e a gamificação faz isso de forma espetacular”, defende Daniel Perdigão. Para isso, a AeC utiliza o recurso “Amigo Anjo”, também presente na plataforma Robbyson, em que as pessoas podem ajudar umas às outras e são recompensadas por isso.

4. Meritocracia

“O ser humano precisa da meritocracia como sentimento de justiça”, defende o executivo da AeC.

Home office: qual o impacto?

Na AeC, como revela Daniel Perdigão, o home office foi visto com bons olhos. “Perguntamos qual a nota que os colaboradores dariam para o modelo de home office, de 0 a 5. O resultado: 81% com nota de 4 a 5, com uma base de 30 mil respostas”, detalha. Além disso, 75% demonstraram interesse no trabalho remoto.

“O maior impacto é a cultura organizacional. Muitos colaboradores demonstram receio em estar longe de sua gestão para as necessidades mais urgentes”, diz. “Por isso, a nossa base é a comunicação, com o intuito de ouvir as pessoas, entender de fato o que elas precisam e obter excelentes resultados organizacionais e pessoais”.

 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]