Pesquisar
Close this search box.
/
/
Como o Design Thinking pode enfrentar problemas reais e contemporâneos?

Como o Design Thinking pode enfrentar problemas reais e contemporâneos?

A especialista Michelle Aguiar, aborda o Design Thinking em seu novo livro e traz reflexões e ferramentas importantes para profissionais interessados em compor soluções efetivas para a experiência do usuário

O esforço central em Design Thinking é a garantia da experiência ideal para o usuário de qualquer produto ou serviço, seja ele digital ou físico.

Recentemente, Michelle Aguiar, especialista no tema, e profunda conhecedora de design de interação, gamificação, usabilidade e UX, lançou o seu novo livro “Design de Serviços”. Nele, a autora se aprofunda na composição de soluções em design de serviços que efetivamente enfrentam problemas reais e contemporâneos.

“Independentemente do tipo de interação, as camadas da experiência do usuário afetam sua percepção acerca do serviço e, portanto, precisam ser direcionadas a uma interação que proporcione percepções favoráveis. É preciso filtrar as camadas de percepção do usuário a partir do comportamento, expertise do prestador de serviços, processos, sistemas e ferramentas oferecidas pelo serviço”, diz Michelle sobre a construção de uma experiência positiva a partir do Design Thinking.

A natureza dos serviços aliada a experiência do usuário

Michelle aponta que o estudo de projetos orientados a serviços ainda é uma abordagem muito recente dentro do design. “A natureza dos serviços envolve tanto ações intangíveis, que não apresentam evidências físicas e exigem a participação direta do usuário, como ações tangíveis, que se constituem a partir de evidências que podem ser fisicamente percebidas pelos usuários”, explica a autora.

Conheça o Mundo do CX

“A metodologia do Design Thinking está fundamentada em um pensamento sistêmico, em que o todo seja observado por diferentes perspectivas”. 

Design Thinking e a prática do pensamento sistêmico

No que tange a oferta de serviços, Michelle explica que o design integra o usuário como parceiro ativo e cocriador de valor no processo de entrega do serviço – tirando-o da posição de consumidor passivo. “Foco em inovação, observação, colaboração, cocriação e análise de diferentes realidades aliadas ao conceito de prototipação rápida são os passos iniciais para profissionais proporem soluções efetivas em Design Thinking”, diz a autora.

Para aprofundar um pouco mais o entendimento dessa ferramenta importante para a construção de experiências positivas nas relações de consumo, conversamos com a Michelle Aguiar. Confira!

CM- Com o avanço da digitalização e de novos comportamentos de consumo, sobretudo com as novas gerações, como é pensar o propósito do Design Thinking hoje?

MA –A metodologia do Design Thinking está fundamentada em um pensamento sistêmico, em que o todo seja observado por diferentes perspectivas. Com isso, todas as ferramentas e procedimentos que são utilizados em Design Thinking incentivam o time a sair da zona de conforto e promovem um processo disruptivo, em que experimentar e aprender são uma constante durante todas as etapas que devem conduzir a uma solução inovadora.

Ou seja, apesar de diferentes contextos e de diferentes comportamentos que venham a surgir com o tempo, esta metodologia também incentiva a observação e a empatia, além de um design participativo, em que as partes interessadas podem participar ativamente de todo o processo. Dessa forma, o propósito do Design Thinking acaba se moldando a diferentes situações e comportamentos.

design thinking

CM- Quais são os maiores desafios para profissionais e marcas que desejam prover a melhor experiência para seus clientes com o auxílio do Design Thinking?

MA –Um grande desafio ao profissional contemporâneo é estar preparado para atuar de forma interdisciplinar. Boa parte dos profissionais é muito competente em sua área de atuação e está cada vez mais especializada, porém, está despreparada para ir além de suas competências, atuando apenas de forma multidisciplinar, com cada um apenas realizando seu papel.

O ideal diante de nosso contexto e em constante transformação é que tenhamos profissionais competentes e especialistas em suas áreas, mas que sejam flexíveis e atentos para atuar além de suas competências de maneira transversal e interdisciplinar.

Outro desafio tanto para profissionais quanto para as marcas é a formação de times inteligentes, que possam explorar ao máximo a interdisciplinaridade da equipe, que saibam observar o contexto e extrair as informações necessárias para compor as soluções adequadas aos problemas e, principalmente, que tenham empatia para prover uma melhor experiência aos clientes.

CM- Design Thinking pode ser aplicado em todas as áreas do negócio?

MA – Sim. O Design Thinking promove um processo exploratório em que podemos nos organizar em três espaços e etapas básicas para promover a inovação: inspiração, ideação e implementação. Com isso, está metodologia pode ser aplicada em diferentes áreas do negócio e em outras áreas como educação, tecnologia, governo etc.

“Eu acredito que o Design Thinking não se transforma, mas promove a transformação”. 

CM – Personalização, pertencimento, decisões de compras orientadas por diferentes valores… tudo isso e outras características estão impactando o consumo e o relacionamento entre clientes e empresas. Nesse cenário, o Design Thinking também se transforma? Como ela se adapta sem que a marca perca relevância e contexto?

MA – Eu acredito que o Design Thinking não se transforma, mas promove a transformação. Um dos propósitos do Design Thinking é promover o pensamento disruptivo, tirando o time da zona de conforto. Isso somado às ferramentas, procedimentos e outras estratégias incentivadas por esta metodologia são essencialmente agentes de transformação e, quando bem aplicadas, tendem a compor soluções inovadoras e relevantes, uma vez que o todo foi considerado e as possibilidades foram amplamente testadas por meio do pensamento sistêmico.

CM – Como é pensar o “Design Thinking do Futuro”. Na sua visão para onde caminha esse conceito e ferramenta como vetor de novas experiências para o consumidor?

MA  – Acredito que não há como pensar o “Design Thinking do Futuro”, pois esta metodologia já foi concebida para pensar o futuro, para incentivar um pensamento fora do convencional e para promover soluções inovadoras. Como já disse, nosso contexto contemporâneo é bastante complexo e está em constante transformação. As bases do Design Thinking já vêm considerando isso desde a Revolução Industrial e, a partir do final da década de 1990 com a Internet bem mais presente em nosso cotidiano, o Design Thinking surge como metodologia de design para ser aplicada justamente para lidar com tantas transformações.

Com isso, percebemos que a cada transformação, a cada nova demanda, é inevitável a busca por novas formas de oferecer uma experiência realmente adequada às necessidades e às expectativas das pessoas. Assim, vejo o Design Thinking cada vez mais presente no dia a dia das pessoas e das instituições como forma de pensar, como meio de agir e projetar experiências.

Assine a nossa newsletter e receba as principais notícias da experiência do cliente  


+ Notícias

Quais são maiores erros que uma marca pode cometer em CX?

Saiba como a C&A expandiu conceitos em CX para seu marketplace 

 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 285

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
Rhauan Porfirio | Nathalia Parra


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Angela Souto
[email protected] 

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head de Conteúdo e Comunicação
Verena Carneiro
[email protected]

Head de Conteúdo
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio
Nathalia Parra | Zootz Comunicação

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 285

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
Rhauan Porfirio | Nathalia Parra


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Angela Souto
[email protected] 

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head de Conteúdo e Comunicação
Verena Carneiro
[email protected]

Head de Conteúdo
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio
Nathalia Parra | Zootz Comunicação

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]