Pesquisar
Close this search box.
/
/
CX data driven: fácil de fazer o slide, mas difícil de colocar em prática

CX data driven: fácil de fazer o slide, mas difícil de colocar em prática

Organizar os dados é o primeiro passo para implementar estratégias assertivas de CX data driven.

No universo do atendimento ao cliente, a abordagem “data driven” (orientada por dados) tornou-se um mantra. A ideia é simples e atraente: colete dados, analise-os e use os insights para melhorar a experiência do cliente (CX).

No entanto, a implementação prática é onde muitas empresas tropeçam. Transformar montanhas de dados em ações concretas, que realmente elevem a experiência do cliente, exige mais do que apenas ferramentas analíticas.

Requer uma cultura organizacional que valorize os dados, equipes treinadas para interpretá-los e a agilidade para adaptar-se com base nos insights obtidos. O desafio é complexo, e as empresas que conseguem superá-lo, não apenas elevam o CX, mas também se posicionam à frente em um mercado cada vez mais competitivo e orientado pelo cliente.

Diante de tudo isso, Jacques Meir, Diretor de Conhecimento, do Grupo Padrão, mediou o debate sobre essa temática no Conarec 2023 com grandes nomes do mercado brasileiro:

  • Daniel Marques, Diretor de Dados e Analytics, da Natura;
  • Guilherme Kolberg, Head CX e Atendimento, da XP Inc;
  • Pablo Rio, CEO da Noovi;
  • Rodrigo Cavalcanti, Sócio e Vice-Presidente de Experiência e Sucesso do Aluno, da Cogna;
  • Vinicius Ramos, Chief Data Officer, da 99jobs.

Os obstáculos para uma estratégia 100% CX data driven

Rodrigo Cavalcanti iniciou o painel evidenciando os principais impasses observados no setor educacional para a implementação de estratégias de CX totalmente data driven, que são o cadastro e o sistema de coleta.
“Devemos conseguir mapear tudo e trazer soluções para os problemas que podem surgir, sempre lembrando que, para ter uma boa fundação, é necessário acompanhar a jornada do dado e ter uma visão life long learning do relacionamento com o aluno”, diz.
Já Vinicius Ramos, da 99jobs, problematiza o fato de a companhia obter mais de 10 milhões de usuários, todos com perfis repletos de informações vastas. Ou seja, o desafio estaria em reduzir o volume de dados.
No ramo financeiro, Guilherme Kolberg comenta que a XP Inc. identificou que sua dificuldade estava na otimização do canal de triagem e na personalização de ofertas para a carteira do cliente.

Pablo Rio, CEO da Noovi, empresa de soluções em CX que oferece atendimento via IA humanizada, conta que o grande percalço é se organizar para medir dados corretamente. “Ter informações estruturadas voltadas a um objetivo de negócio é fundamental para se vencer o desafio de produção de dado coerente”, expõe.

Por fim, Daniel Marques, Diretor de Dados e Analytics, da Natura, ressaltou a magnitude, complexidade e autonomia das empresas Natura e Avon na América Latina: cada país possui seus sistemas, processos e modus operandi quando o assunto é CX e atendimento ao cliente. “No Brasil, a companhia leva em consideração que o dado é a pegada (footprint) deixada por aqueles que entram em contato com o negócio e que nada mais é também do que o resultado das decisões dos processos”, afirma.

Leia mais:
Você já entrou nessa dança? O TikTok como parte da experiência do cliente

A cultura organizacional deve mudar

Jacques Meir aproveitou a temática para interagir com a plateia, formada majoritariamente por executivos do varejo, e a resposta foi praticamente unânime: as pessoas sentem que não aproveitam os dados em sua totalidade e é possível aprimorar.

“O dado tem que estar próximo do negócio como um todo e não adianta jogarmos toda a responsabilidade para um único setor. Isso influencia o comportamento de quem está na ponta. É hora de investir em Structured Query Language (SQL)”, reforça Daniel Marques.

Já pensando em como as empresas podem iniciar nessa onda, Pablo Rio revela que a Noovi normalmente realiza estudos de maturidade nas organizações a fim de entender como ela lida com dados e realiza protocolos de produção de informação via IA.

Na XP Inc., Guilherme Kolberg salienta a culpabilidade da análise de dados como uma questão de mindset da companhia em geral.

“Focamos na recomendação baseada na inteligência. Temos dois approaches: o que seria a carteira ideal para o cliente e uma comparação “look like”. Ou seja, se para aquele consumidor funciona e eles possuem gostos parecidos, pode funcionar para mais pessoas”, detalha.

“O processo de dados está na nossa cabeça e pode (deve) ser melhorada com a máquina”, completa Vinicius Ramos. A Cogna aplica essas técnicas utilizando dados de aprendizagem quando seus alunos encontram dificuldades e acabam desengajando: aí entra o ensino adaptativo com significado.


CONAREC 2023
Acompanhe a cobertura completa!


A dedicação para atender as altas expectativas

CX data driven: fácil de fazer o slide, mas difícil de colocar em prática” foi um dos painéis mais aguardados do Conarec 2023 devido à relevância do mote, que traz consigo insights, obstáculos e expectativas.

Mas antes de começar a projetar grandes ideias, os especialistas questionaram: o que se espera dos dados? Afinal, como bem alertou Jacques Meir, é muito fácil ficar preso aos vieses de confirmação. “O dado é parte integrante do resultado. Por isso, devemos nos apaixonar pelo problema: precisamos ter dados melhores e lidar com eles”, reflete Pablo Rio.

Guilherme Kolberg aposta na intuição validada por dados. Vinicius Ramos investe na diferenciação do que é fato e do que é inferência pessoal. “O dado é direcionador. O humano é o condutor para mudanças futuras”, finaliza.



+ NOTÍCIAS
O mecanismo da XP Inc. para encantar clientes VIPs
Cobrança 4.0: como a inteligência artificial e a automação estão transformando o setor

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]