Pesquisar
Close this search box.
/
/
Como 2020 impulsionou o uso da Inteligência Artificial

Como 2020 impulsionou o uso da Inteligência Artificial

Corrida pela digitalização durante a pandemia aumentou o investimento em IA nas empresas; veja tendências no uso da tecnologia

A pandemia acelerou a adoção de tecnologias como a Inteligência Artificial por diversos segmentos empresariais. O crescimento foi impulsionado para permitir atividades econômicas com procedimentos remotos, de modo a driblar as medidas de isolamento social para deter o avanço do novo coronavírus.

Segundo a projeção da IDC, o mercado de Inteligência Artificial deve crescer 12,3% em 2020, em comparação com o ano passado. Com uma taxa de crescimento anual estimada em 17,1%, o investimento global nesse tipo de tecnologia deverá ser da ordem de US$ 300 bilhões até 2025.

E não é para menos, o uso da IA virou uma necessidade dentro das empresas, auxiliando processos e serviços – como o atendimento ao cliente – e aumentando a eficiência. Muitas organizações, inclusive, perceberam uma redução nos custos a partir do uso da tecnologia.

Evolução da Inteligência Artificial

Para chegar a importância que ganhou atualmente, a IA percorreu um longo caminho. Ela já foi apenas a ideia de ensinar máquinas a aprenderem. Isso só foi possível pelo desenvolvimento de algoritmos. Eles têm a capacidade de receber dados, processá-los, aprender e tomar decisões.

O Teste de Turing, proposto pelo “pai da computação” e cientista Alan Turing (1912-1954) deve ser a experiência mais famosa. A ideia é que uma máquina seja capaz de demonstrar uma inteligência equivalente à de um humano. Isso é feito por meio de um exercício interrogatório à máquina e foi pensado em 1950.

Depois, em 1956, aconteceu a Conferência de Inteligência Artificial, na Darthmouth College. O evento consolidou essa área de conhecimento, reunindo cientistas e pesquisadores de várias áreas para discutir o tema.

Na ocasião, foi cunhado o termo Inteligência Artificial. E, além disso, foram discutidas redes neurais, interações humanas com robôs, linguagem e cognição, entre outros. A conclusão dos cientistas foi que a Inteligência Artificial poderia beneficiar muito os humanos.

Já em 1958, o psicólogo Mark Rosenblatt construiu uma rede neural artificial que hoje é conhecida como perceptron. Essa estrutura eletromecânica foi uma das bases para os computadores modernos, que possuem bilhões de perceptrons.

Através do que o cientista chamou de Algoritmo Perceptron, a rede neural se ajustava até identificar objetos de maneira correta. Assim surgiu o Aprendizado de Máquina (Machine Learning), pois as informações de entrada e saída permitiam que o perceptron aprendesse.

Os algoritmos e a Inteligência Artificial evoluíram a ponto de fazer parte do nosso dia a dia. Assim como a computação e outras tecnologias da mesma época.

 Exemplos de usos da Inteligência Artificial

A IA está presente em diversos setores. Na automação industrial, por exemplo, as máquinas produzem e conferem sozinhas os produtos nas esteiras. Seu uso também tem efeitos em plataformas de computação, sistemas bancários, middleware, monitoramento e gerenciamento e desenvolvimento de outras tecnologias.

No nosso cotidiano, ela está bem na palma da mão, presente em aplicativos de celular. Veja alguns usos e aplicações:

  • GPS e rotas recomendadas: uma Inteligência Artificial interpreta os dados das ruas, o tráfego e indica os melhores caminhos para dirigir.
  • Carros autônomos: sensores e tecnologias transmite dados para os algoritmos executarem o movimento e direcionarem os automóveis;
  • Atendimento ao usuário: os chatbots e os atendimentos eletrônicos por voz já fazem a triagem dos atendimentos;
  • Segmentação de anúncios: as plataformas de mídia utilizam Inteligência Artificial para entender o padrão de consumo dos usuários e o comportamento do público-alvo e direcionam os anúncios;
  • Análise de dados de mercado: instituições financeiras e bancos podem utilizar algoritmos para esta tarefa, criar relacionamento com clientes e gerenciar finanças;
  • Assistentes virtuais: os comandos por voz que damos ao smartphone e a resposta que escutamos também são IA. Esta área é chamada de compreensão ou processamento de linguagem natural.

Big Data e outras tendências

A IA já vem sendo usada para melhorar outras tecnologias e uma das grandes tendências é unir Inteligência Artificial ao Big Data. Esta é considerada a união mais importante pois tem o potencial de modificar a forma como as empresas utilizam dados e análises para agregar valor aos seus negócios.

Tais inovações tecnológicas têm grande valor de mercado. Elas permitem o processamento de grandes volumes de dados, inclusive aqueles que não estão estruturados. A partir dessa evolução, as grandes empresas podem desenvolver novas soluções e tornar estes dados mais acessíveis e mais compreensíveis.

As iniciativas internas de Inteligência Artificial nas empresas devem ser estimuladas na execução de tarefas ligadas à ciência de dados. Confira algumas aplicações:

Software as a service (Saas)

O mercado de aplicativos de IA, como análise preditiva e processamento de linguagem natural, deve ser tomado por fornecedores de SaaS. Da mesma forma, devem tomar o ramo de serviços e Desenvolvimento Ágil (DevOps) de plataformas.

Com isso, tem crescido o espaço do AI-as-a-Service (AIaaS), que oferece mais opções para utilizar os recursos de Inteligência Artificial. Alguns exemplos são serviços gerenciados e microsserviços.

Governança e segurança jurídica

Políticas de governança dentro das empresas e controle da Inteligência Artificial são algumas tendências. Implementação de padrões nos procedimentos em diferentes setores e atividades de monitoramento, ajudam a manter a confiança na instituição e a transparência.

Além disso, o monitoramento de riscos, desempenho e valor ajudam também a criar senso de responsabilidade na prestação de contas. A possibilidade de uma governança minimizar erros e reduzir custos já é realidade através da IA. Aumento de performance, maior produtividade, otimização são outros impactos positivos a partir da adoção dessa tecnologia.

Com um mercado cada vez mais inovador e de olho nas soluções mais avançadas, a IA se torna estratégica para o crescimento do negócio, conquista de novos mercados e até mesmo visibilidade.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]