Pesquisar
Close this search box.
/
/
Cinco dicas para a criação de um CX nota 10

Cinco dicas para a criação de um CX nota 10

Entender e medir experiência do cliente é uma importante estratégia de sucesso. Confira cinco dicas da diretora de Soluções Avançadas da NICE

Para as empresas que dependem da experiência de seus clientes para fazer crescer e mesmo viabilizar seus negócios, entender e medir esta experiência é um assunto muito sério. No entanto, de acordo com uma pesquisa realizada recentemente pela NICE, pudemos observar uma distância significativa entre a visão de clientes e as empresas com as quais se relacionam. Em termos da satisfação com as ferramentas de autoatendimento fornecidas a eles hoje, apenas 15% dos consumidores expressaram um alto nível de satisfação, enquanto que 53% das empresas acreditam que seus clientes estão muito satisfeitos com o serviço que oferecem.

Ainda que 95% das companhias tenham relatado um grande aumento nas solicitações de autoatendimento em 2021, indicando um rápido crescimento na demanda por mais velocidade e conveniência, 81% dos consumidores dizem que ainda querem mais opções de autoatendimento.

Nesse aspecto, apenas 60% das empresas reconhecem a necessidade de expansão de suas ofertas. Essa lacuna de 21 pontos é um risco enorme, porque demonstra que as companhias não estão dando ênfase suficiente à necessidade de aumentar os recursos de autoatendimento. Reforçando essa demanda por parte dos consumidores, 34% deles citam a maior velocidade de resolução como o benefício mais esperado por eles ao optar por mecanismos de autoatendimento.

Para que esse gap entre o que as empresas acreditam estar oferecendo e o que o cliente espera receber possa ser equalizado precisamos ter em mente alguns fatos.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

1. A otimização do CX é um esforço de todos

A satisfação do cliente deve ser vista de forma holística pelas empresas e não ser tratada como responsabilidade de uma área específica.

O departamento de Customer Experience não existe para resolver todo o problema sozinho, ele identifica e prioriza as iniciativas que são executadas por outras áreas. Normalmente, este setor tem uma visão interdepartamental e o objetivo de entender todos os caminhos que o consumidor precisa passar em sua jornada de relacionamento, além de os componentes que afetam essa experiência.

O impacto pode vir de qualquer célula: suporte, logística, infraestrutura e até mesmo do próprio Contact Center. Para que haja êxito em uma iniciativa de Customer Experience, é necessário uma área que visualize as necessidades do cliente através de todos os departamentos e seja uma apoiadora e uma incentivadora das iniciativas internas que atingem o CX.

2. Para falar de CX precisamos conhecer
profundamente nosso cliente

A boa Customer Experience é diferente para cada um. Ela vai depender do perfil e da compreensão do que o consumidor deseja e isso significa que as empresas devem atuar tanto com dados transacionais quanto com a mensuração da experiência. Nesse caso temos algumas formas para obter as métricas de CX:

Pesquisas de satisfação e recomendação: capturam a experiencia pela voz do cliente através do feedback direto. Uma pergunta é feita ao cliente e, a partir da resposta, a classificação da experiência é realizada.

Ferramentas de análises de interação: análise inferida da experiência através do processamento das interações com o cliente, tanto em texto quanto por voz. Em boa parte das interações é possível obter uma avaliação do sentimento ao longo do diálogo entre clientes e agentes. Com este tipo de tecnologia temos um modelo preditivo da nota de satisfação que teria sido dada pelo próprio cliente ao final da interação. E isso pode ser feito em todas as interações, sem depender da disposição do cliente em responder a uma pesquisa.

Ouvir e entender as necessidades e prioridades dos clientes, de forma automatizada e massiva, vai aumentar a capacidade das empresas para resolver de forma satisfatória as demandas e fidelizar a sua base.

3. A otimização de CX é um esforço contínuo

Todas as iniciativas de Customer Experience executadas pelas empresas, a partir da voz do cliente e da análise da experiência, têm um tempo de planejamento e de construção e a partir daí é necessário continuar a medição para acompanhar a evolução e os impactos de múltiplas iniciativas e eventos que afetam a relação com os clientes.

Caso seja detectado que existem processos com problemas e que causam insatisfação ou muito esforço por parte do cliente, é preciso entender como realizar a mudança: será a partir um comitê interno, com diversas áreas da empresa para resolver a questão? E depois? Qual é o resultado? Houve melhora? Apareceram outros problemas? Teriam a ver com a mudança dos processos ou são novos processos sendo colocados em prática?

Se a empresa realiza uma medição esporádica isso não permite transformar a experiência do cliente. Medições eventuais fazem fotografias instantâneas que podem até capturar um cenário, mas não permitem sequenciar eventos em uma trajetória que se possa associar com iniciativas bem ou malsucedidas. O risco de as ações não gerarem impacto é grande. Por isso, o esforço para garantir uma experiência satisfatória para os clientes deve ser perene.

4. A otimização da CX exige tecnologia de ponta

Em um mundo digital, a tecnologia mais atualizada é necessária para oferecer uma experiência adequada. Ter uma cobertura omnicanal e conseguir captar os dados de todas as interações vai viabilizar análises mais rápidas e precisas e fornecer os insights que as companhias precisam para uma série de ações. Além da garantia de um atendimento de excelência, informações essenciais para produtos, promoções e marketing, por exemplo.

Outra área cada vez mais valiosa é o autoatendimento. A sua amplitude e profundidade vai permitir a disponibilização do tempo dos agentes para a solução de questões mais estratégicas e complexas. Para que o self-service traga uma experiência bem-sucedida, é necessário garantir que os clientes poderão realizá-lo da maneira mais natural e fluida possível e conectar facilmente um profissional quando não conseguirem resolver suas questões por si mesmos.

Já sabemos que é uma preferência do cliente ter autonomia na busca dos produtos e serviços que deseja. Se ele encontra informação nos mecanismos de busca ou através do autoatendimento, certamente sua jornada será mais satisfatória.

5. A otimização da experiência do cliente
traz retorno ao investimento

95% dos clientes dizem que o serviço de atendimento tem impacto na fidelidade à marca, citando como fatores importantes o fácil acesso a canais digitais, autoatendimento online e agentes profissionais, enquanto 41% dizem que procuram a concorrência depois de apenas duas interações digitais ruins, de acordo com nossa pesquisa. Existe uma relação fortíssima entre o resultado financeiro e o incremento de vendas com a qualidade do atendimento ao cliente. Isso ocorre porque o consumidor que tem uma boa experiência compra mais e influencia outras pessoas a comprarem.

Cuidar da experiência do cliente resulta em mais credibilidade a marcas e empresas. Confirmando essa hipótese, as empresas que superam a expectativa do cliente têm crescimento médio 17 pontos percentuais maior que aquelas com notas baixas de satisfação. Ainda que seja a observação de uma correlação, empresas que fornecem uma melhor CX estão comprometidas de maneira ampla com esse objetivo. Estas instituições tendem a abordar aquilo que fornecem e em que investem com uma visão de prazo mais extendido e sustentável, compatível com um resultado baseado em satisfação desde o início até o final do processo.

Para finalizar, é importante lembrar que um ombudsman atencioso e gentil não garante a excelência da jornada dos clientes. A reversão da insatisfação é necessária, mas não resolve o problema de fundo. A gestão da experiência do cliente não deve se basear em fazê-lo feliz imediatamente, mas em entender profundamente suas necessidades para atuar desde a origem e de forma preventiva.

*Por Ingrid Imanishi, diretora de Soluções Avançadas da NICE.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente


+ Notícias

Employee experience e a importância de plataformas digitais na sua evolução

A empresa adaptável: habilidade para ler e antecipar tendências

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]