Pesquisar
Close this search box.
/
/
Cibersegurança: entenda o momento que atravessa o setor no Brasil

Cibersegurança: entenda o momento que atravessa o setor no Brasil

Tecnologia aliada à proteção de dados é o caminho para a cibersegurança eficiente e pode beneficiar a experiência do cliente

Nos últimos dois anos, devido à pandemia de Covid-19 e às medidas de isolamento social, os canais digitais concentraram nove em cada 10 contratações de crédito e oito em cada 10 pagamentos de contas, segundo a Pesquisa de Tecnologia Bancária 2021 (ano-base 2020) realizada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Além disso, o mobile banking tornou-se a plataforma dominante, responsável por 51% das transações bancárias. Com essa expansão acelerada da tecnologia na economia, como o pagamento de contas, transferência de valores e demais operações, o momento exige uma análise de qual patamar está a cibersegurança no Brasil.

Um dado interessante trazido pelo levantamento da Febraban mostra que o aporte de recursos em tecnologia aumentou 8% em 2020, chegando a R$ 25,7 bilhões. Desse total, 10% do valor foi destinado à cibersegurança. Outras prioridades foram inteligência artificial e trabalho remoto.

A pesquisa ainda aponta que depois dos governos, o setor bancário é o maior investidor em tecnologia no Brasil e no mundo. Isso mostra que os bancos são geradores de inovações para o oferecimento de serviços com mais valor agregado, eficiência e redução de custos.

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das novidades sobre a experiência do cliente

Em consonância com essa cultura de segurança da tecnologia, a legislação vem avançando ao longo dos últimos anos com sua política de segurança da informação. Para a construção de uma cultura de segurança e comunicação clara do papel do governo foram aprovados:

● Lei nº 13.709 – Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD);
● Decreto nº 9.573 – Aprova a Política Nacional de Segurança de Infraestruturas Críticas;
● Decreto nº 9.637 – Institui a Política Nacional de Segurança da Informação;
● Decreto nº 10.222 – Aprova a Estratégia Nacional de Segurança Cibernética (E-Ciber).

Com essas normas, o Brasil passou da 71ª posição para a 18ª no Índice Global de Segurança Cibernética 2020, ranking realizado pela União Internacional de Telecomunicações (UIT), agência especializada em tecnologia da informação e comunicação da Organização das Nações Unidas (ONU).

O índice mede as iniciativas dos países para enfrentar os riscos cibernéticos. A pontuação obtida para o ranqueamento avalia cinco aspectos: jurídicos, técnicos, cooperativos, organizacionais e de capacitação. O objetivo é ampliar a conscientização sobre os compromissos das nações em relação à cibersegurança, identificar os pontos fortes e as áreas que precisam de melhorias.

Esse avanço deixa o país como terceiro colocado da América, ficando atrás somente dos Estados Unidos e Canadá. A posição conquistada pelo Brasil demonstra que mesmo diante de um cenário desafiador como a pandemia de Covid-19, o país tem o compromisso de reduzir as ameaças à cibersegurança.

Por que investir no setor de cibersegurança?

Com uma legislação sólida que prevê os cuidados com a informação e com os dados animadores expostos pelos estudos, investir em cibersegurança parece ser uma boa alternativa. Contudo, como isso pode impactar diretamente na atuação, imagem e credibilidade da marca? Ou seja, quais são os efeitos práticos da digitalização da economia nos negócios?

Para Hélio Cordeiro, sócio diretor e líder de cibersegurança na Daryus Consultoria, plataformas, aplicações e sistemas habilitam novos produtos e serviços e propiciam agilidade no atendimento às expectativas de clientes e consumidores.

“Uma experiência do cliente digital segura é uma extensão natural da marca e de tudo aquilo que ela representa. Segurança é a antessala para a credibilidade e confiança no uso de produtos e serviços pelo consumidor e pelas empresas que compõem o ecossistema de negócios. Violações de dados e vazamento de informações da base de consumidores e dos titulares de dados têm sido o maior desafio enfrentado pelas empresas e suas equipes de tecnologia, sejam elas de pequeno, médio, ou grande porte”, afirma.

Além disso, é possível que a clientela perceba algumas lacunas em termos de investimento em tecnologia, tanto que isso é capaz de afetar a experiência desejada com a marca.

“Canais de atendimento com lentidão, indisponibilidade durante a compra de um produto ou serviço, publicação de dados pessoais e sensíveis decorrentes de um ataque cibernético e consequente exposição dos dados sem autorização geram uma percepção bastante comum: o cliente optar instantaneamente por outra empresa que possua a segurança e credibilidade necessárias para atender suas necessidades e expectativas”, exemplifica o especialista.

Inovações e experiência do cliente: é necessário se manter em constante atualização

Em termos de tecnologia aliada às marcas, é primordial diferenciar inovação de novidade. Segundo o sócio diretor e líder de cibersegurança da Daryus Consultoria, inovações geram novos modelos de negócio, propiciam novas experiências, geram fidelização por parte dos consumidores e criam reações positivas. Projetos desenvolvidos considerando a segurança durante o ciclo de design da experiência antes de seu lançamento, garantem a resiliência necessária para a marca e todas as plataformas tecnológicas envolvidas.

“Quando a tecnologia e segurança são repensadas e providas com foco no cliente e sua experiência, estamos mais próximos do potencial da marca. Experiências digitais mais interconectadas e com a resiliência necessária refletem positivamente todo este potencial”, comenta o profissional.

O Ingrupo, a holding operacional das empresas In Mais Prêmios, do Programa de Fidelidade In Mais, segue no processo de adequação à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Com apoio da Consultoria Visum já foram concluídas as fases de preparação e estruturação. Em setembro, a fase de desenvolvimento de ações será encerrada e até o mês de outubro será finalizado o processo com a implementação das atividades de governança e proteção de dados.

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das novidades sobre a experiência do cliente

Novos procedimentos para validação no cadastramento das informações de clientes foram instituídos – In Mais e In Mais Prêmios. A partir de agosto, passou a ser solicitada a gravação de documentos pessoais (por meio da tecnologia OCR), checagem via Token enviado ao celular cadastrado, confirmação de CPF e nome junto à Receita Federal do Brasil e validação de outros dados pessoais. Essas medidas proporcionam mais segurança às transações financeiras e melhoram a qualidade dos aplicativos.

E para complementar as medidas de prevenção à lavagem de dinheiro e segurança dos processos, está em finalização a instalação do Sistema e-Guardian, que vai permitir o monitoramento das transações dos clientes do Bank10, In Mais e In Mais Prêmios. O sistema gerará informações sobre movimentações que sejam enquadradas fora de padrões estabelecidos na legislação, para avaliação e tomada de providências.


+ Notícias

Qual é o custo dos ciberataques para as empresas?

Brasil tem a internet mais estável do mundo, mas a acessibilidade ainda é deficitária: como isso influencia o consumo digital?

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]