Pesquisar
Close this search box.
/
/
Você se sente representado na publicidade dos bancos?

Você se sente representado na publicidade dos bancos?

Comunicação inacessível contribui para distanciar consumidores e instituições financeiras se as pessoas não se sentem representadas e incluídas

Os brasileiros sentem-se excluídos das propagandas bancárias e isso afeta também a sua relação com o dinheiro. Cerca de 60% dos entrevistados não se identificam e nem se sentem representados em campanhas publicitárias veiculadas por instituições financeiras nas redes sociais, sejam elas tradicionais ou digitais. Esses são dados do estudo “Dismorfia Financeira” lançado pelo will bank.

Atualmente, os bancos ocupam apenas o sexto lugar na lista de setores mais representativos, com uma taxa de resposta de 24,95%. Essa preocupação ganha ainda mais relevância diante do cenário econômico do país, onde aproximadamente 78,3% das famílias estão endividadas, conforme a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic). Diante desses desafios, é necessário repensar estratégias para encontrar uma abordagem que se adapte a esse público e estabelecer uma conexão genuína com a realidade financeira dos brasileiros.

Comunicação inacessível

Uma constatação preocupante da pesquisa é que quase metade dos entrevistados, ou seja, 49%, consideram a linguagem utilizada pelos bancos como difícil de entender. Porém, a situação se agrava ainda mais quando observamos que esse número aumenta para 54% entre pessoas pretas e alcança 57% para a classe C.

A dificuldade em compreender os termos financeiros cria uma barreira na relação entre os brasileiros e as instituições financeiras, dificultando a inclusão financeira e impossibilitando que as instituições se aproximem de seu público. Dessa forma, é essencial que os bancos repensem suas estratégias comunicacionais, adotando uma abordagem mais acessível e compreensível, a fim de construir pontes com os clientes.

Leia mais: Brasil é o país onde bancos digitais conquistam mais clientes

“Na volta a gente compra”

Outro dado revelado pelo estudo é que cerca de 8 em cada 10 brasileiros (79%) desejam adquirir bens e serviços que anteriormente estiveram fora de seu alcance, como uma forma de buscar uma melhoria em sua situação financeira. Esse impulso de recuperar o que foi perdido na infância exerce uma influência significativa na percepção desses indivíduos em relação ao dinheiro, gerando sentimentos de inadequação e comparação.

Além disso, a pesquisa aponta que muitas dessas pessoas sentem-se em desvantagem quando comparam sua realidade com a de outras, alimentando um ciclo constante de insatisfação e busca incessante pela realização financeira. Impulsionados por esse desejo de superação, os brasileiros moldam seu comportamento de consumo.

Algo está sempre faltando

A dismorfia financeira transcende as barreiras socioeconômicas e afeta diversos segmentos da sociedade. Mesmo quando atingem um certo nível financeiro, muitas pessoas ainda têm a sensação de que algo está faltando, pois o padrão ideal, constantemente reforçado pela publicidade, parece estar sempre além do alcance.

Esse conflito entre a realidade e as expectativas criadas contribui para uma relação distorcida com o dinheiro, resultando em sentimentos de inadequação e ansiedade. A dismorfia financeira impacta diferentes camadas da sociedade e suas consequências para o bem-estar financeiro são significativas.

Assine nossa newsletter!
Fique atualizado sobre as principais novidades em experiência do cliente

Pessoas compram de quem elas confiam

Afinal, por que é importante para os bancos melhorarem essa comunicação com os clientes? Porque os consumidores são mais propensos a se identificar e permanecer fiéis a marcas que se assemelham a eles em termos de personalidade. É nesse contexto que a personificação da marca se torna essencial. O relacionamento bancário de um cliente inclui jornadas importantes que vão desde a integração e transação até a manutenção e resolução de problemas.

Ao adotar uma abordagem autêntica e personalizada, os bancos podem estabelecer conexões emocionais com seu público-alvo, fortalecendo a confiança e a lealdade. Essa comunicação alinhada com a identidade dos clientes cria relacionamentos duradouros e vantajosos para ambas as partes. Portanto, aprimorar essa comunicação é fundamental para fortalecer a imagem da marca e garantir a preferência dos clientes em um mercado altamente competitivo, onde a confiança é o diferencial na hora de escolher com quem fazer negócios.

Conheça o Mundo do CX

A imagem dos bancos e a experiência do cliente

A falta de identificação dos clientes com a propaganda dos bancos pode também estar relacionada à experiência que eles vivenciam ao interagir com essas instituições. Enquanto as propagandas em geral buscam transmitir uma imagem positiva, ressaltando os valores e benefícios oferecidos, a realidade nem sempre corresponde às expectativas criadas.

Processos de conformidade mal projetados e burocráticos podem prejudicar a experiência, causando frustração e insatisfação. Além disso, a falta de personalização e agilidade no atendimento também contribui para a desconexão entre o que é prometido e o que é entregue aos clientes. Para reverter essa situação, os bancos devem focar em aprimorar a experiência do cliente, desde os processos de conformidade até a oferta de soluções financeiras personalizadas, a fim de estabelecer uma identificação genuína com sua marca.

Inclusão financeira

Em um cenário desafiador, as instituições financeiras estão diante da necessidade premente de reavaliar suas estratégias de comunicação e publicidade, a fim de estabelecerem uma conexão mais profunda com seu público. É imprescindível investirem em uma linguagem clara e acessível, capaz de descomplicar os jargões financeiros e promover a inclusão de todos os segmentos da sociedade.

Além disso, é fundamental promover uma educação financeira eficaz, que capacite os indivíduos a lidarem de forma mais saudável com o dinheiro. Isso ajudará a superar a dismorfia financeira e construir uma relação mais equilibrada e consciente.



+ NOTÍCIAS
8 melhores práticas para criar uma experiência do cliente eficiente
Como as marcas podem se conectar com o crescente mercado das pessoas que moram sozinhas

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]