Pesquisar
Close this search box.
/
/
Bots à beira de um ataque de nervos: o que fazer para não deixar o cliente sem saída?

Bots à beira de um ataque de nervos: o que fazer para não deixar o cliente sem saída?

Usar a inteligência artificial para aprimorar as assistentes virtuais é um trabalho contínuo, concordam panelistas no CONAREC 2022

O uso da IA para criar melhores jornadas para o atendimento é uma das grandes apostas do mercado, cada vez mais competitivo. Mas em busca da excelência, é mais do que necessário identificar os objetivos e mapear os processos para ter um atendimento automatizado e personalizado por meio de um assistente virtual.

Neste primeiro dia de Conarec, o painel Bots À Beira de um Ataque de Nervos debateu quais são as estratégias e desenvolvimentos possíveis para não deixar o cliente sem saída. A mediação foi de Melissa Lulio, Head de Conteúdo do Grupo Padrão, Laurent Delache, CEO Brasil e Head Global de Estratégia de Produtos e Serviços do Sitel Group; Rafael Bonjorno, Head of Consumer Care e Services Latam da Electrolux e Fabio Dragone, Diretor de Digital, CRM, Inovação e Customer Experience da Bradesco Seguros.

Assine nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Lulio começou com uma provocação, sobre quais os desafios em mapear as fricções e ser capaz de identificar os possíveis atritos que um atendimento ao cliente via BOTs pode trazer ao consumidor.

Como destacou Rafael Bonjorno, na vida de consumidor e executivo, todo dia é uma experiência diferente. “É um desafio entender como esses mecanismos tão fundamentais para redução de custos e experiência para transformar em algo tão fundamental para ter uma boa experiência”.

Leia Mais: É possível ser phygital e omnicanal ao mesmo tempo?

Para Laurent Delache, o bot precisa ser educado. “É como uma criança, é preciso monitorar o tempo todo como ele atende aos clientes”. Na Sitel Group, há uma curadoria que revisita e acompanha todos os dados e desempenho para garantir assertividade nas respostas. “Assim, buscamos assegurar que a resolutividade do bot está dentro do esperado”, pontua Delache.

Na Electrolux, que tem um formato de negócio D2C e lida com dúvidas e questões do consumidor final, o bot é uma ferramenta para o trabalho ser realizado, que é atingir os benefícios que o consumidor quer. “Nada mais é do que um assistente virtual, a razão de existência da tecnologia é ajudar em algo, de forma que traga acessibilidade e autonomia”, destaca Rafael Bonjorno.

Aprimorar a Inteligência Artificial

A Bia, assistente virtual da Bradesco, é uma das inteligências artificiais mais reconhecidas do mercado brasileiro. A experiência da assistente virtual começou em 2014, internamente. Para Fabio Dragone, esse período de desenvolvimento de maturidade foi essencial para o sucesso da assistente hoje. “O primeiro passo da Bia foi ajudar os gerentes a operar o banco da melhor possível. Com esse trabalho ela foi ganhando maturidade para ser lançada ao público em 2017”, relembra Dragone.

Um dos pontos de consenso no painel À Beira De Um Ataque De Nervos deste CONAREC foi a necessidade de curadoria constante dos assistentes virtuais. Isso porque se trata de um processo contínuo de evolução, tanto das habilidades, quanto de observar as avaliações dos clientes sobre o atendimento recebido.

Para a head de Conteúdo do Grupo Padrão, Melissa Lulio, um dos principais atritos que podem surgir com os bots é a necessidade de falar com um humano. Para não transformar o bot em uma prisão do atendimento, é necessário ter clareza e a finalidade de sobre o que são os objetivos para o atendimento virtual.

Leia Mais: Melhores práticas em branding experience

“O bot não tem vocação para resolver tudo. Tem muita estratégia por trás para determinar o grau de atrito para passar ao ser humano dar sequência. Estratégico é saber aproveitar esses dados para aprimorar o bot”, pontua Delache.

E a maturidade no investimento pra criar essa fluidez que leve à satisfação do cliente é o investimento essencial, avalia Bonjorno, da Electrolux. “Para entender o atrito é preciso entender o problema. A gente não pode forçar o consumidor a escolher um canal. Quanto mais natural, fluido o atendimento. Tudo tem que estar integrado para que o consumidor veja e sinta o benefício. É dever nosso saber como criar essa fluidez”, argumenta o Head of Consumer Care e Services Latam da Electrolux.

Um dos cases comentados foi da assistente vitual da Havaianas, desenvolvida pela Sitel. Assim como a marca, a Iana é brasileira, e tem alma de carioca. O desenvolvimento da persona foi tão bem-sucedido que foi exportado para outros países.

Conheça o Mundo do CX

“Foi acertada nossa decisão colocar no Brasil a expertise e o centro de resposta global. Gosto de pensar que estamos levando a resiliência do brasileiro”, explica Delache, francês radicado no país há 30 anos.

Essa personalização inclui adaptar o tom de acordo com o problema e o tipo de acesso das assistentes virtuais. Para Rafael Bonjorno, “Os bots tem diferentes níveis de maturidade. O primeiro nível é explorar bem as melhores formas de atendimento para resolver o problema do cliente. A partir daí é possível usar os dados para trabalhar melhor o analytcs”.


+ Notícias

Marketing digital personalizado: por onde começar?

Experiência tem que ser para todos: acessibilidade para 50+

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]