Pesquisar
Close this search box.
/
/
50 anos de Atari Jogos: do console ao cassino de criptomoedas

50 anos de Atari Jogos: do console ao cassino de criptomoedas

Entenda como a empresa atravessou a história do videogame e ainda gera renda baseada na nostalgia

Em 1972, uma empresa chegava no mercado com uma revolução inovadora: transformar a forma como os jogos eram consumidos. A Atari Jogos foi pioneira na invenção de maquinário e experiências que, à época, eram a tradução do futuro. E se hoje a maior parte dos gamers se divertem com os jogos de console — e até mesmo de computador —, isso significa que a Atari foi um grande ponto de partida.

Há quem diga que foi ela a responsável pela criação do videogame, mas isso não é verdade: o pai dos jogos digitais foi Ralph Baer, que lançou, em 1969, o console Magnavox Odyssey. No entanto, sem dúvidas foi a Atari Jogos a responsável pela popularização desses games, bem como a criação de outros jogos icônicos, como Pong, Pitfall e Space Invadors.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente 

Mesmo que inovadora e pioneira, a Atari não teve tanto tempo de vivência no mercado — ainda que seus consoles tenham ficado famosos em todo o mundo, com vendas até o início dos anos 1990. Em 1 de julho de 1984, 12 anos após seu lançamento, a empresa encerrou suas atividades e foi transformada em outras duas, após aquisição, alguns anos antes, pela Warner Communications: a Atari Jogos, que hoje é a atual NetherRealm Studios e a Atari Corporation Games, comprada pela Infogrames Entertainment S.A., tornando-se Atari S.A.

Desde então, ainda que tenha passado por inúmeros percalços, a empresa ainda segue relevante e, atualmente, entrou para o ramo das criptomoedas, com a Atari Token, que opera na rede Etherum.

Um vislumbre da permanência dos negócios ao longo do tempo

Atari lançou uma série de consoles, sendo o Atari 2600 o mais popular e Pong um dos jogos mais aclamados. Mas a empresa, pouca gente sabe, não começou direto com o tênis de mesa eletrônico, e sim com a construção do arcade Computer Space, no qual o jogador tinha um foguete para lutar contra duas naves espaciais.

Mas mesmo com toda a história de glória e prestígio, até mesmo a Atari Jogos passou por “poucas e boas” em seu processo de ascensão. Um deles foi o prejuízo de 100 milhões de dólares, em 1982 — um dos caminhos que levou à empresa a falência em 1984, após a “crash dos videogames”, em 1983 —, consequência do “pior jogo do mundo”: o E.T. the Extra-Terrestrial, um fracasso de vendas.

Leia mais: Jogar videogame é tão bom quanto ter uma aula de storytelling

A repercussão foi tão grande que a própria Atari teve que retirar os cartuchos das lojas, dada a quantidade absurda de pedidos de reembolso. Visando não piorar ainda mais a imagem da empresa, os cartuchos foram descartados (e enterrados) no deserto de Alamogordo, no Novo México (EUA).

Evidentemente, mesmo depois da crise e do dissolvimento da empresa em outras duas, a Atari Jogos ainda seguiu com relevância do mercado, muito pelo fator histórico de sucesso nos anos 1980. E ainda hoje, ela segue no mundo tecnológico com nítidos passos em direção às criptomoedas.

Atari Jogos: vivendo com base na nostalgia

atari token
Foto: Reprodução Atari Token

Hoje, boa parte do tráfego e sucesso da Atari Jogos é resultado da nostalgia. Em 2022, a empresa entrou com força no mercado de NFTs e, em parceria com a Republic Realm, lançou loot boxes, que continham 10 tipos de “GFTs” — Gifts Fungible Tokens, em alusão a presentes —, com NFTs descobertos somente após a venda.

Conheça o Mundo do CX

A empresa também tem corrido para adentrar de vez no mercado de criptoativos, com a criação da Atari Token no segundo semestre de 2021. No mesmo ano, a Atari também anunciou a criação de um cassino de criptmoedas, com temática de jogos retrô, mas cancelou os planos antes do início deste ano.


+ Notícias

Sua marca conversa com o público geek, o mais consumista do Brasil?

Big techs, gigantes do varejo e o público geek: conheça a fórmula do sucesso 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]