Pesquisar
Close this search box.
/
/
Como os aplicativos estão impulsionando as vendas no varejo?

Como os aplicativos estão impulsionando as vendas no varejo?

Os apps são vistos como complemento à estratégia física das empresas. 85% dos brasileiros que possuem um smartphone já fazem compras online

Um dilema que os varejistas sempre enfrentaram é que o cliente do aplicativo não é tão fiel quanto o da loja física. No mundo físico, o consumidor vai à loja que gosta e compra tudo o que quiser lá. No mundo virtual, o consumidor vai em várias lojas e compra onde estiver mais em conta, ou com mais vantagens, como entrega grátis, ou desconto no primeiro uso.

O impasse é verdadeiro, mas isso não significa um problema e sim um cenário de oportunidades, já que o perfil de consumo nas plataformas mobile pode ser completamente diferente do mix de consumo em lojas físicas e nos sites desktop.

O último estudo realizado pelo Panorama do Comércio Mobile (2019) reforçou o que o varejo online já sente: os produtos mais comprados por apps no Brasil são roupas, eletrodomésticos, alimentos e itens de farmácia (remédios e estética). Para se ter ideia, nos Estados Unidos, 65% dos varejistas admitem que a tecnologia móvel está aumentando suas receitas.

Além disso, o número de pessoas que consomem (produtos, serviços, informações) por aplicativos, ainda segundo a pesquisa, vem crescendo regularmente. 85% dos brasileiros que possuem um smartphone fazem compras online por meio do aparelho.

Grandes empresas de marketplace estão efetivamente investindo em estratégias para seus apps, com o objetivo de conquistar mais clientes ou aumentar o ticket médio. Um exemplo de sucesso é a Magazine Luiza, que divulgou no ano passado a conquista de 12 milhões de clientes no aplicativo.

Para entender melhor como funciona o comércio via app, como ele impulsiona vendas e quais são as tendências desse mercado, a Consumidor Moderno conversou com Marcus Imaizumi, diretor de operações da Applift — multinacional de estratégias para marketing mobile. Confira:

Como os aplicativos potencializam vendas?

Há alguns anos os canais mobile, mobile sites e apps, eram mais usados para a pesquisa e busca de informações de produtos que os consumidores estavam interessados. A compra efetiva acabava acontecendo fisicamente na loja. Acreditava-se então que os canais mobiles serviriam apenas como um pré-venda.

Entretanto, com o amadurecimento dos hábitos de compra online juntamente com o avanço da tecnologia e melhoria de navegação, o volume de transações já no smartphones começaram a ganhar força.

Segundo Imaizumi o ponto principal dessa tendência é que os apps possibilitaram que os varejistas pudessem estar mais próximos do consumidor por mais tempo.

“Naturalmente, isso favorece o aumento de chances de uma pessoa fazer uma compra. Pesquisas diversas mostram o quanto o brasileiro está conectado com seus smartphones, em horas de navegação. Sendo assim, nada mais óbvio do que esperar que uma pessoa acesse mais vezes o app da loja do que vá visitá-la fisicamente”, explica.

Para ele é importante lembrar que em datas comemorativas o volume de compras dos brasileiros por apps já é maior que em mercados estrangeiros. “Na Black Friday, por exemplo, os brasileiros realizaram 4,5 milhões de compras através de aplicativos, contra 3 milhões feitas pelos americanos”, ressalta o diretor com base na pesquisa da Appsflyer.

Aplicativos serão realmente tendência?

“Mais do que tendência, é um complemento à estratégia física. Em pesquisas recentes vimos que um dos fatores mais relevante para o cliente em comprar por um aplicativo é poder retirar o produto na loja física. O app é um caminho fácil para ele, que está a todo momento com o celular em mãos e a compra por ali já é vista como segura e prática”, afirma Imaizumi.

O objetivo dos aplicativos não deve ser a substituição de canais de venda (físico pelo mobile), mas sim utilização potencial de engajamento que um app oferece para alavancar as vendas do portfólio de produtos em geral e melhorar a experiência de compra dos consumidores.

Vantagens dos apps

  • De forma complementar, promove categorias de produtos que vendem pouco nas lojas, mas possuem boa saída pelo canal mobile.

 

  • Promoções específicas para compras por meio do app, oferecendo preços diferenciados, descontos, na medida que o custo de venda em canais digitais comprova-se menor que o custo de venda de lojas físicas;

 

  • Um canal mobile pode expandir do dia para a noite a base de potenciais consumidores. Uma rede varejista regional consegue expandir seu alcance para níveis nacionais e até internacionais.

 

  • Se o varejista identificar que o canal mobile gera um tícket e recorrência maiores, poderá simplesmente aumentar seu foco de investimentos de marketing e produto nesse canal e melhorar seus KPI’s de faturamento.

 

Resultados da utilização de apps no setor, segundo a Applift

  • Redução do custo de vendas e logística;

 

  • Aumento dos canais e formas de pagamento mais acessíveis para os consumidores;

 

  • Maior facilidade de expansão geográfica de atuação;

 

  • Possibilita investimentos em marketing em modelos de performance mais eficientes, pois a rede consegue fazer uma análise de retorno de investimento mais precisos.

 

  • Permite novos modelos de parcerias em etapas estratégicas do funil de conversão. Por exemplo, parcerias com novos meios de pagamento como as carteiras virtuais (Mercado Pago, PicPay, entre outros), parcerias com empresas de fidelidade que podem oferecer pontos e cashbacks, etc.

Consumidores gastaram US$ 195 milhões em aplicativos de meditação em 2019

Conhece os Superapps? Saiba como vão revolucionar o mercado dos aplicativos

Baby Boomers e suas relações com aplicativos e jogos de celular

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]