Pesquisar
Close this search box.
/
/
Afinal, o certo é techfin ou fintech?

Afinal, o certo é techfin ou fintech?

Essa dúvida foi levantada em um painel do CONAREC deste ano, que discutiu sobre as startups da área financeira. Entenda o motivo

A relação dos millennials com os bancos ou mesmo com todo o setor financeiro é mais uma dessas gigantescas transformações em curso na sociedade de consumo. É difícil abrir mão dos serviços em aplicativos, principalmente quando podemos pagar contas, fazer transferências em dinheiro, entre outras coisas. Nesse cenário quem ainda quer ir a uma agência bancária?

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

Esse foi o tema do painel Fintechs, Startups e outras disrupções: a inovação segundo o millennial, no CONAREC. O ponto de partida do bate-papo não poderia ser outro senão o olhar das financial technologies (fintechs) sobre o seu consumidor – o millennial, claro.

O mediador do painel, Pedro Waengertner, fundador da ACE, questionou os participantes sobre o papel de cada companhia no mercado. Em seguida, provocou: “Vocês se veem como uma ameaça aos bancos ou mesmo ao setor financeiro”, disse.

Marcelo Ciampolini, fundador e CEO da Lendico (plataforma de empréstimo), explicou que o seu público e os funcionários são formados quase que exclusivamente por millennials. Essa sintonia entre o cliente e consumidor é importantíssimo para os dois lados analisaram o atual modelo de empréstimo de dinheiro. “Penso que os millennials representam a geração da desintermediação. Por que eu preciso do banco para obter empréstimo? Por que eu preciso sair de casa?”, questionou.

Erros e acertos

Já Bernardo Carneiro, sócio da Stone (meio de pagamento), preferiu apontar o acerto das fintechs em vez de apontar os erros do setor financeiro. A jovem empresa não é apenas nova no mercado, mas amplamente millennial também da porta para dentro. Isso tem contribuído para a empresa acompanhar o ritmo de necessidades do consumidor. “Hoje, 82% das pessoas na empresa possuem menos de 29 anos. Veja: entramos em um mercado de um legado de monopólio e olha o que já construímos. Isso mostra a importância de olhar a experiência do cliente e verificar onde os erros estão sendo cometidos”, disse.

Outro mau amplamente comentado entre os painelistas e que aflige tanto consumidor quanto empresa é a famosa burocracia do setor serviço financeiro – algo que foge até mesmo do controle de bancos e financeiras, uma vez que há uma série de leis que regem o setor. Ricardo Kalichsztein, CEO do Bom Pra Crédito (um marketplace de serviços financeiros), afirma que é possível diminuir toda essa burocracia com tecnologia e Inteligência.

“Sinceramente? Não preciso fazer milhões de perguntas para oferecer um crédito. O millennial acha isso muito chato e ele tem razão. Por isso, reduzimos o número de perguntas de 50 para 7”, explica Kalichsztein.

Techfin ou Fintech?

Já José Prado, fundador da Conexão Fintech (um site de inteligência de mercado com foco nesse segmento), colocou em discussão o futuro das financeiras tecnológicas. Primeiro, ele afastou a ideia de bancos são inimigos das fintechs. “A grande maioria das startups ajudam essas instituições financeiras. Há cooperação e não rivalidade nos dias de hoje”.

No entanto, Prado afirma que há muitos enganos sobre o fintechs no Brasil. Uma delas é sobre o foco de cada uma das startups. Segundo ele, há empresas que vivem da prestação de serviços tecnológicos para bancos e outras que funcionam de maneira totalmente independente, ou seja, focam os seus esforços diretamente no consumidor. “Muitas empresas gostam do rótulo de fintech, mas é preciso deixar claro o papel de cada uma delas. Lá na empresa brincamos que existem as techfin (tecnologia para financeiras) e as fintechs (financeiras amparadas em tecnologia”, afirma.

Os painelistas afirmam que o tempo deixará claro o papel de cada um na rotina do consumidor. Até lá, o momento é de escalada para as temidas fintechs.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]