Pesquisar
Close this search box.
/
/
50 anos do homem na Lua: iremos novamente?

50 anos do homem na Lua: iremos novamente?

Em uma realidade em que já temos a SpaceX de Elon Musk, diversas startups e uma órbita completamente lotada de satélites fica a dúvida: é provável que voltemos à lua em breve?

No auge da Guerra Fria e da disputa tecnológica entre Estados Unidos e União Soviética, iniciou-se a corrida espacial. A premissa era: quem dominar o espaço primeiro também poderia dominar o mundo. A lógica partia do princípio de que quem chegasse à Lua teria tecnologia o suficiente para tomar o controle do planeta.

E assim começou a missão Apolo 11. A tentativa americana de levar o homem à Lua enviou três tripulantes que cravaram seus nomes na história. Neil Armstrong, Michael Collins e Buzz Aldrin são os lendários astronautas que fizeram os Estados Unidos vencedores da corrida espacial. Enquanto Buzz ficou na órbita, Neil e Michael desacoplaram a Eagle, cápsula de pouso do foguete lançado pela NASA.

LEIA TAMBÉM: Existe vida em marte? Brasileiro na Nasa responde

Um pouco de contexto para entender a situação

Foram várias tentativas de lançamentos espaciais. A Rússia estava à frente pois já havia obtido sucesso em enviar foguetes para o espaço, enquanto os Estados Unidos, um país “try-harder”, só colecionava tentativas fracassadas com foguetes que explodiam ainda na pista de lançamento.

Foi à partir da Missão Apollo 8 que viu-se a esperança em conseguir cumprir esta missão. O astronauta James Lovell disse em entrevistas que ao girar da nave foi possível ver o lado da Lua virado para a terra à apenas 60 milhas de distância.

Homem na Lua

A chegada à Lua foi um trunfo para os estadunidenses que contaram com o engenheiro alemão Wernher Von Braun. O europeu foi responsável pelo lançamento de foguetes nazistas e convocado para iniciar o programa de mísseis americanos. Na época, houveram críticas ao seu passado pró-hitler e mesmo assim ele continuou à frente do projeto.

Toda a história esquentou quando a Rússia conseguiu chegar na frente para o sobrevoo da órbita terrestre. Em 1961, Yuri Gagarin foi o primeiro a conseguir tal feito. Enquanto isso, os Estados Unidos estavam enviando Chimpanzés para o céu. Sim, a história é um tanto quanto bizarra.

Esse é um resumo do contexto histórico para que possamos entender os dias de hoje. É possível voltar à Lua? À época, esse era o objetivo principal do governo americano. O presidente Dwight D. Eisenhower investiu bilhões de dólares em toda a parafernália espacial. Ele foi responsável por fundar a Nasa, agência espacial americana. Naquela época essa era uma prioridade, tanto quanto necessidades sociais.

Homem na Lua: Missão cara, difícil mas provável

Em uma atualidade onde, além das mais diversas agências espaciais, temos a SpaceX de Elon Musk, diversas startups e uma órbita completamente lotada de satélite é provável que voltemos à Lua em breve? Essa é uma vontade do atual governo Trump. Porém, há vários obstáculos no caminho.

O presidente americano estabeleceu um prazo para a Nasa: 2024. Nesta semana, a agência lançou o que seria o projeto Àrtemis que promete, inclusive, levar a primeira mulher para a Lua. Na época do empoderamento e do feminismo e suas pautas, essa era uma prioridade.

Para um comparativo rápido, a ida à Lua custou aos EUA um montante de US$ 150 bilhões de dólares. Já é um fato que mesmo a SpaceX – excluindo as startups deste cenário – não tem a verba necessária para tal. E muito menos a NASA. A agência espacial agora conta com a ajuda do setor privado e do governo para que a missão se torne possível.

Módulo comercial em solicitação da NASA para o carregamento de suprimentos científicos e tecnológicos à Lua – Imagem: Divulgação (NASA)

Agora já se fala em uma jornada e a Lua é parte dela. O objetivo final dos astrônomos das principais agências espaciais é habitar Marte e explorar o planeta vermelho. Como isso se dará?

O projeto com nome de deusa grega precisa do desenvolvimento de um novo superfoguete que possa substituir o Saturno V – o maior lançado até hoje – e, só nisso, já foram gastos mais de US$ 10 bilhões desde 2011. Fora que o foguete não está concluído. A construção conta com a ajuda da Boeing, empresa clássica do desenvolvimento de jatos e aeronaves. Antiga parceira dos projetos americanos.

Quanto custará levar a primeira mulher à Lua?

A cápsula Órion será responsável por carregar os astronautas e está sendo desenvolvida em parceria com a ESA (Agência Espacial Europeia). A instituição será responsável por toda a energia e impulsionamento do foguete. Aqui são mais US$ 6 bilhões até o atual momento e este também não está nem um pouco perto da finalização.

De qualquer forma, o foguete e a cápsula precisam de um novo parceiro: um módulo lunar. Sim, uma base na Lua semelhante à ISS (Estação Espacial Internacional). Jim Bridenstine, administrador-chefe da agência americana, disse à imprensa que para isto, ele conta novamente com a ajuda da ESA.

Uma fabricante de satélites americana, a Maxar Technologies, foi contratada recentemente para desenvolver parte do que seria a nova estação lunar com um custo máximo de US$ 375 milhões. Tudo muito low-budget  – aqui entenda um toque de ironia – , é claro.

Falcon X, o foguete da SpaceX de Elon Musk

A responsável pelo carregamento da cápsula e de tudo o que é preciso para construir o módulo lunar, até agora, é uma concorrência. Sim, SpaceX (com seu foguete Falcon Heavy) e Blue Origin (que planeja seu primeiro lançamento para 2021) terão de competir ou escolher colaborar para ajudar a NASA. Com isso, a estatal americana espera diminuir custos e tornar o projeto sustentável. A expectativa é que os custos para levar a primeira mulher à Lua, nesta fase do processo, sejam de US$ 20 a 30 bilhões de dólares.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 284

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
YUCA | Estúdio Criativo

ILUSTRAÇÃO:
Midjorney


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

Fabiana Hanna
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head de Conteúdo e Comunicação
Verena Carneiro
[email protected]

Head de Conteúdo
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio
YUCA | Estúdio Criativo

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Líder de Marketing Integrado 
Suemary Fernandes 
[email protected]

Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 284

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
YUCA | Estúdio Criativo

ILUSTRAÇÃO:
Midjorney


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

Fabiana Hanna
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head de Conteúdo e Comunicação
Verena Carneiro
[email protected]

Head de Conteúdo
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio
YUCA | Estúdio Criativo

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Líder de Marketing Integrado 
Suemary Fernandes 
[email protected]

Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]