Pesquisar
Close this search box.
/
/
Uma executiva brasileira no maior evento de consumo da China

Uma executiva brasileira no maior evento de consumo da China

A diretora de marketing da Sonae Sierra visita o Retail Congress Asia Pacific, um dos maiores da Ásia, e conta o que viu para a CM

Principal executiva de comunicação da Sonae Sierra Brasil, empresa especializada em desenvolvimento e gestão de shoppings centers, Laureane Cavalcanti decidiu ir ao maior evento de varejo e consumo da Ásia, o Retail Congress Asia Pacific. Com exclusividade à CM, ela preparou dois artigos para contar sobre a sua experiência. Confira a seguir o primeiro deles:

Antes de começar a falar do que mais me chamou atenção no primeiro dia do Retail Congress Asia Pacific, é importante fazer uma observação: não foi para ser a “diferentona” que eu quis vir até aqui enquanto todo mundo vai para a NRF (Nova Iorque) ou RECON (Las Vegas).

Foi porque sempre achei – pelo que leio e escuto de quem trabalha com o mercado asiático – que o comportamento do consumidor é muito parecido com o do brasileiro. Talvez por sermos todos do tal “terceiro mundo”, por termos demorado um pouco mais a engatar a marcha do progresso.

Foto: Divulgação

A questão é que toda vez que falo que estou na China, a primeira coisa que me perguntam é sobre as inovações tecnológicas. Sempre! Mas aqui em Hong Kong, o destaque vai para a Experiência do Consumidor/Usuário – tecnologia de ponta está na China “de verdade”. A impressão que dá é que tudo, absolutamente tudo, foi testado previamente sob a ótica do usuário, cidadão e/ou consumidor.

Experiência do Cliente

Esse é o tema destaque do Congresso. Escutamos vários profissionais, de diversas empresas, falarem de jornada do Cliente, engajamento, motivações, experiências sem atrito e fluídas. Fomos apresentados a um cargo que eu, particularmente, desconhecia: CCO (Chief Customer Officer).

Todos os palestrantes por aqui falam em busca por respostas, transformação e na habilidade de controlar o que e como os clientes querem comprar. A realidade é que pouca gente sabe por onde começar com tantas revoluções acontecendo ao mesmo tempo.

Matt Shay, CEO da NRF (EUA), referiu que, há cerca de cinco anos, as empresas se perguntavam sobre “mudar ou não mudar?” Pouco depois, chegaram à conclusão que sim, precisavam se adequar.

Desde então, estudaram a jornada do consumidor e identificaram onde ele está para, então, atuarem. A resposta é: o consumidor está em todo lugar, no on e no offline – e é lá que devemos estar!

Com base nisso, as empresas se planejaram e desenharam suas estratégias, que agora estão sendo implementadas: Amazon (on), com a compra do Whole Foods (off); Macy’s (off), com o t-Mall do Alibaba (on) e Walmart (off), com a compra de sites de e-commerce (on) e empresas de logística (on-off).

O global managing director do Alibaba Group, Guru Gowrappan, além de vender o seu “peixe” – a plataforma Alibaba de serviços para varejistas – mostrou a novidade do seu Hema Supermarket, que trouxe uma experiência de compra completamente homogênea (seamless) com seu app, criado para proporcionar um serviço sem precedentes de entrega de produtos frescos (pescados, carnes, etc), em até 30 minutos.

Este vídeo deixou todo mundo morrendo de inveja e de vontade de experimentar. Um show quando o assunto é Customer Experience no mundo Online!

Questão cultural

Ninguém pensava que o assunto viria à tona quando Suzanne Santos (dona do cargo CCO, que mencionei anteriormente), da Aesop, abordou o tema empregados. “Cultura é tudo!”, disse ela. A executiva defende uma cultura em que o colaborador passa a ser um “ativista” pela satisfação do cliente.

Rebecca Chan, VP da Shell Retail, fez coro ao discurso de Suzanne. Segundo a executiva, os colaboradores de linha de frente da Shell e das suas marcas de varejo passaram a ser chamados de “Service Champions” e receberam mais autonomia para resolver questões cotidianas.

A empresa também criou o prêmio “Champion of the Year”, a fim de reconhecer o “campeão do atendimento ao cliente”. Questionada sobre o custo de manter um departamento de RH mais qualificado, Rebecca diz que “a classe média gosta de ser tratada com distinção no mundo todo, independentemente do preço final do produto”.

Shoppings centers

Em relação ao segmento de shopping centers, foi possível concluir com o painel “Reviving the Mall” que as discussões internacionais seguem pela mesma linha do que vem sendo discutido no Brasil.

Os empreendimentos devem encontrar um lugar na vida dos consumidores millennials que atenda às suas necessidades de entretenimento, sociabilização e consumo e, ao mesmo tempo, remunerem satisfatoriamente (leia-se pague a conta e ainda sobre “algum” para) os investidores. Sim, investidores! Eles colocaram o seu dinheiro em um negócio chamado Real State e querem ROI…O desafio é enorme!

E as lojas de departamento? Pois é… A Macy’s resolveu usar a China para experimentar seu novo modelo “salva-vidas”, e, aproveitando a aceitação quase irrestrita do e-commerce pelo consumidor chinês, colocou o Digital em primeiro lugar: unindo sua experiência de 150 anos em varejo tradicional à expertise do Alibaba, criou o Macy’s t-Mall (macys.tmall.com). S

egundo Dustin Jones, vice-presidente executivo da Macy’s China, a plataforma de e-commerce da marca tem sido um sucesso absoluto desde o recente lançamento e proporciona uma experiência de compra super completa.

O futuro passa pelos dados

Um dos atalhos óbvios e mais exaustivos (e caros!) para o varejo do futuro é o dos dados… “That’s all about data!”, disse Guillaume Bacuvier, CEO da Dunnhumby, empresa líder em personalizar a experiência de compras para indústrias e varejistas.

Ele mostrou o longo caminho que as marcas têm percorrido para otimizar dados e personalizar a experiência do consumidor, deixando claro que os dados on e offline são o principal combustível para o novo ecossistema do varejo – apesar de a maior parte deles ainda estar inexplorada.

Por fim, Daniel Hagos, regional client success director (já tinha ouvido falar? Pois é, mais um cargo da nova era da ressignificação de “cliente em primeiro lugar”) da Emarsys, falou sobre personalização em escala com os serviços de marketing de inteligência artificial, um assunto que ainda dará muito o que falar, visto que, das ferramentas existentes, apenas 30% funciona com total êxito (os chatbots, por exemplo, ainda têm muito o que aprender).

Assim, a solução para cuidar dos dados e personalizar a mensagem ao cliente, de modo que ele não perceba que o relacionamento está sendo feito por um robô, ainda deverá passar por algum investimento em software e bastante em pessoas.

Para aqueles que estavam preocupados com o fim do “brick and mortar”, ainda vai rolar muita água por baixo dessa ponte, mas só para quem começar a atuar nessa nova agenda da Experiência do Consumidor desde já, utilizando das ferramentas tecnológicas disponíveis e adequadas, sem deixar para trás a necessidade social do cliente de ter uma relação “face to face”.

* Laureane Cavalcanti é diretora de marketing e comunicação corporativa da Sonae Sierra Brasil

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]