Pesquisar
Close this search box.
/
/
Teoria do desvio produtivo do consumidor: como as empresas devem se adaptar?

Teoria do desvio produtivo do consumidor: como as empresas devem se adaptar?

Para evitar prejuízos causados por demandas judiciais, as empresas devem investir em experiência e relacionamento com o consumidor

Com a evolução da sociedade e da vida urbana, o tempo tornou-se cada vez mais valioso. Deslocar-se e/ou investir horas do dia para solucionar questões simples transformou-se em uma tarefa árdua e indesejada para a maior parte das pessoas.

Associado a isso, o alto custo de vida tem levado as pessoas a dedicar mais horas ao trabalho e menos ao lazer, o que levou o fator tempo a ganhar outro status.

Some-se a isso o fato de que o atual cenário pandêmico trouxe o distanciamento social como nova necessidade. O trabalho remoto passou a ser a realidade de muitos, com acumulação de tarefas e modificação da dinâmica das famílias, o que não somente amplificou tal cenário, mas evidenciou a importância da simplificação do cotidiano para a redução dos níveis de estresse.

Perder tempo não é aceitável

Ainda no cenário pré pandêmico, horas perdidas em filas de caixas em bancos, longas esperas ao telefone junto aos serviços de atendimento ao consumidor e a demora de retorno em assistências técnicas são exemplos de situações corriqueiras que contribuíram para o surgimento de uma nova modalidade de dano moral, conhecida como “desvio produtivo”, relacionada aos direitos do consumidor.

A teoria do desvio produtivo do consumidor foi criada em 2017, pelo advogado Marcos Dessaune, e tem como finalidade penalizar o fornecedor que transfere ao consumidor a administração das repercussões causadas por sua má gestão.

Essa teoria tem aplicação nos casos em que o consumidor se vê obrigado a empregar seu tempo, que poderia ser investido em atividades de lazer ou até mesmo de trabalho, para solucionar um problema relacionado a um produto ou serviço por si adquirido. A esse tempo gasto foi atribuído valor econômico e nossos Tribunais têm se posicionado no sentido de que o consumidor deve ser indenizado em razão desse dispêndio.

Leia também: Como a escuta ativa pode melhorar o relacionamento com o cliente 

A importância de investir na experiência

Diante de tal sistemática, não tão recente, cabe às empresas se adequarem, reavaliando e aprimorando a forma de prestação de serviço, em especial, o atendimento pós-venda.

A adoção de medidas como o treinamento adequado e constante do quadro de colaboradores e a capacitação das equipes para lidar com as situações desfavoráveis, a ampliação dos canais de atendimento ao consumidor, com foco em soluções rápidas e na comodidade do cliente, e o mapeamento de problemas recorrentes visando o saneamento dos fatores que os desencadeiam, evitando-se a judicialização de questões que podem ser solucionadas na fase pré litigiosa, contribuem sobremaneira para o afastamento ou a redução da condenação nessa modalidade de dano moral.

É importante que as empresas compreendam a necessidade da implementação de um plano de ação com o objetivo de aprimorar o relacionamento com o consumidor, o que traz como resultados não apenas a mitigação dos prejuízos causados por demandas judiciais desnecessárias, mas outros tipos de retornos benéficos, tais como a fidelização à marca, a manutenção do cliente mesmo após algum episódio desfavorável, a exposição positiva do produto ou serviço. É preciso ter em mente que as empresas não estão livres de erros e problemas, e que a forma como os episódios adversos são administrados é muito relevante.

Novas abordagens a respeito do dano moral surgem de tempos e tempos e representam a evolução do direito sobre as relações de consumo, fazendo com que as empresas enfrentem novos dilemas e sejam desafiadas a melhorar a qualidade do relacionamento com seus clientes e dos produtos e serviços ofertados. Uma forma positiva de enfrentar novas realidades é sempre encarar tais situações como oportunidades de evolução.

*Maíra Alvim Mansur e Rodrigo Forlani são advogados do Machado Associados.


+ Notícias 

Respeito ao cliente: Insights de um ano de pandemia 

Tendências para 2021: experiência do consumidor em primeiro lugar 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]