Pesquisar
Close this search box.
/
/
Anatel quer consumo sustentável para as telecomunicações

Anatel quer consumo sustentável para as telecomunicações

Novo Grupo de Trabalho vai monitorar as ações das empresas de telecomunicações

Novo Grupo de Trabalho vai monitorar as ações das empresas de telecomunicações

Como quase todo o lixo das telecomunicações da América Latina não é descartado de forma sustentável, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) quer reverter, no Brasil, esse cenário.

Para isso, ela acaba de criar um Grupo de Trabalho (GT) que vai monitorar as ações das empresas de telecomunicações no tocante à agenda ESG (Environmental, Social and Governance), sigla em inglês para compromissos ambientais, sociais e de governança corporativa e desenvolvimento sustentável.

A portaria que instituiu o GT foi assinada no dia 9 de janeiro. O Grupo, conforme consta na normativa, “definirá índices de critérios e desempenho para classificar as prestadoras de telecomunicações com base em suas ações relacionadas aos compromissos ESG”.

Regulamento dos serviços de Telecomunicações

Importante destacar que tal medida já estava conjecturada no novo Regulamento Geral de Direitos do Consumidor de Serviços de Telecomunicações (RGC), aprovado no ano passado.

O Presidente do Conselho Superior do Centro de Altos Estudos em Comunicação Digital e Inovação Tecnológica da Anatel, Alexandre Freire, foi quem propôs a introdução do tema ESG. A intenção é alinhar a Agência aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU). O RGC menciona que 97% do lixo eletrônico da América Latina é jogado fora de forma insustentável.

A portaria que institui o GT, baseada nos instrumentos da Agenda 2030, expõe que a Anatel definirá indicadores de desempenho para classificar as empresas prestadoras. Tais critérios considerarão suas ações em relação aos compromissos sociais, ambientais e de governança corporativa.

Representantes das Superintendências de Relações com Consumidores (SRC), de Planejamento e Regulamentação (SPR), Executiva (SUE), de Outorga e Recursos à Prestação (SOR), de Fiscalização (SFI) e de Competição (SCP) compõem o grupo de trabalho.

O lado das empresas

Atualmente, o impacto das telecomunicações é tanto que chega a ser dramático imaginar nossas vidas sem a utilização das facilidades e recursos que ela nos oferece. Só que, seja por conta das repercussões positivas e negativas geradas no negócio, seja pela preocupação com a saúde do planeta, pensar em ESG está deixando de ser uma opção para se tornar um dever.

Primeiro pelos consumidores, que estão privilegiando produtos e serviços que não comprometam as próximas gerações. Segundo por conta dos investidores que vêm considerando, cada vez mais, a atuação socioambiental, provando que não estão mais dispostos em empregar dinheiro em quem quer progredir financeiramente a qualquer custo. E em terceiro lugar está o fato que de o Brasil ser membro da Coalização de Economia Circular para a América Latina e Caribe, a qual tem o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) na coordenação.

E tudo isso está contribuindo para que as empresas se comprometam com o desenvolvimento sustentável. A Vivo é um exemplo disso, se tornando a nova líder do ISE, o Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3, entre 78 empresas avaliadas.

Esse indicador analisa o desempenho médio das cotações dos ativos de empresas selecionadas pelo seu reconhecido comprometimento com a sustentabilidade empresarial.

A empresa vincula 20% do bônus executivo a métricas de sustentabilidade.

O Conselho de Administração compõe-se de 33% de mulheres em relação à diversidade. Ao todo, 32,5% que ocupam cargos de liderança são negros.

No âmbito ambiental, a empresa reduziu suas próprias emissões em quase 90%. Esse resultado veio de iniciativas como o uso de energia 100% renovável. Ademais, a Vivo mantém um programa para diminuir as emissões em colaboração com seus 125 fornecedores intensivos em carbono.

O que são os ODS da ONU?

A ONU estabeleceu os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) em 2015, com o propósito de alcançar um conjunto de 17 metas até 2030. Entre esses intuitos estão o desenvolvimento de infraestruturas resilientes, a promoção da igualdade de gênero, a industrialização inclusiva e sustentável, e o trabalho decente.

Sobre o RGC, trata-se de um instrumento que mudou as normas de suspensão do serviço em caso de inadimplência. Não será mais possível às prestadoras cobrarem quaisquer valores nos primeiros 30 dias do período de suspensão dos serviços.

O Regulamento também facilita a compreensão da oferta contratada ao criar a “Ferramenta Eletrônica comparadora de Ofertas de serviços de telecomunicações”, disponibilizada pela Anatel.

Além dessas medidas, a revisão traz maior clareza à redação de dispositivos sensíveis aos consumidores. Como exemplo, estão as regras de reajuste de preços e a contratação de ofertas com atendimento exclusivamente digital. O novo Regulamento também incorporou as disposições de combate às chamadas de telemarketing abusivas.

Houve ainda a necessidade de constituir um GT para definir índices de classificação comparativa entre as prestadoras de acordo com a Agenda ESG.



Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 285

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
Rhauan Porfirio | Nathalia Parra


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Angela Souto
[email protected] 

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head de Conteúdo e Comunicação
Verena Carneiro
[email protected]

Head de Conteúdo
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio
Nathalia Parra | Zootz Comunicação

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 285

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
Rhauan Porfirio | Nathalia Parra


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Angela Souto
[email protected] 

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head de Conteúdo e Comunicação
Verena Carneiro
[email protected]

Head de Conteúdo
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio
Nathalia Parra | Zootz Comunicação

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]