Pesquisar
Close this search box.
/
/
Como as empresas devem pensar o serviço ao consumidor para 2021

Como as empresas devem pensar o serviço ao consumidor para 2021

A transformação digital impulsionada pela pandemia mudou o comportamento do consumidor e a forma como as empresas se relacionam com ele

A pandemia fez com que o ano de 2020 ficasse caracterizado por grandes mudanças, tanto no comportamento das pessoas quanto no relacionamento das empresas com elas. A forma como o atendimento e o serviço ao consumidor era realizada foi adaptada rapidamente, ganhando muito em tecnologia. Mas o que de fato é visto como tendência para 2021? Esse foi o assunto de mais um webinar exclusivo da Consumidor Moderno em parceria com a Connvert.

“As tendências cristalizam um comportamento devidamente consolidado ou uma mudança de comportamento muito evidenciada. Com a grande imersão digital ocorrida neste ano, podemos pensar na forma como as tecnologias acabaram influenciando o comportamento”, disse Jacques Meir, diretor-executivo de conhecimento do Grupo Padrão, ao iniciar o debate que contou com a participação de Kleber Bonadia, diretor-geral da CXdzain – Connvert, e Juliana Sandano, superintendente-executiva de ciclo de vida do cliente do Banco Original.

Uso de tecnologias

Durante os meses de isolamento social o que se viu foi uma grande corrida das empresas para os canais digitais. Quando se trata do atendimento ao cliente, Kleber Bonadia acredita que as ferramentas de texto passaram a ser protagonistas. “O uso de tecnologias diferentes foi acelerado a partir do momento em que se reduziu ou quase zerou o presencial porque a voz foi dificultada. As empresas não estavam totalmente preparadas para a estrutura do home office. Então os canais alternativos à voz na visão da multicanalidade – chat, chatbot, WhatsApp – foram muito fortalecidos”, diz.

Essa disponibilidade traz autonomia para o cliente, que pode escolher o canal que faça mais sentido para ele naquele momento. O objetivo é, com a ajuda da tecnologia, atender ao que o consumidor está buscando. É o que conta Juliana Sandano: “Temos muitas ferramentas disponíveis, mas é preciso saber usá-las da forma certa e no momento certo. Ninguém estava preparado para o timing da pandemia e foi preciso criar soluções com muita rapidez para que o cliente pudesse se auto servir. A pandemia trouxe a maturidade da empresa ter agilidade para colocar uma solução no canal certo. Só a tecnologia em si não resolve o problema”.

Além disso, para conseguir ter eficiência no processo é preciso ter estratégia e saber onde usar a tecnologia. Kleber alerta para a inteligência de saber o que automatizar. “As empresas devem automatizar o mais simples, aquilo que tem volume e o funcionamento é dominado. Os recursos ficam reservados para o que é mais complexo.”

O é automatizado precisa ser entendido rapidamente pelo cliente. “O esforço das empresas tecnológicas é entender como fazer para o cliente entender o que que está vendo na tela, que é a mesma para todo mundo. A informação precisa ser democrática”, ressalta Juliana.

Dessa forma, não baste ter a tecnologia, é preciso garantir que a empresa saiba usá-la, mas acima de tudo, que ela traga uma boa experiência para o cliente.

Leia também: Inovação e interatividade: as apostas das marcas para fisgar o consumidor

Principais desafios

Toda essa mudança impacta diretamente nas características de atendimento das empresas. O relacionamento é cada vez mais complexo e as empresas precisam estar preparadas para isso. Não basta colocar diversos canais à disposição, é preciso pensar em como personalizar a jornada e dar condições para o cliente resolver o que deseja; é preciso identificar pessoas e comportamentos e desenhar a linguagem.

“Em organizações tradicionais isso passa pelo legado, geralmente legados complexos impactam as priorizações de tecnologia. Também há o processo de mudança de cultura, as pessoas são resistentes e o envolvimento do time é essencial no processo. Um time resistente ao processo de inovação gera mais desafios para viabilizá-lo”, afirma Kleber.

A visão é corroborada por Juliana, que completa: “O cliente se transforma em protagonista quando ganha autonomia, e isso dá medo. A empresa perde o controle, quem se torna o protagonista da tomada de decisão é o cliente. Antigamente não se explicava tanto, mas quando você vai para o digital, tudo tem que ser muito transparente”.

O que é tendência?

O consumidor está muito mais digital, ele não só foi apresentado a soluções mais tecnológicas durante a pandemia, ele aprendeu a usá-las e entendeu o que é comodidade e facilidade. Mas as pessoas têm necessidade de se relacionar – e a tentativa de retomada para uma certa normalidade por parte de alguns mesmo sem o fim da pandemia mostra isso. “Quando a situação acalmar e a gente puder voltar para a rua vamos ver uma redução dos canais digitais. Vamos ter um meio termo do que é hoje e do que era no pré-pandemia”, diz Kleber.

Os próximos passos serão de adaptação e evolução da tecnologia que foi implementada e da organização das empresas para lidar com elas. Mas, em paralelo, será necessário entender o comportamento do consumidor e trabalhar com análise preditiva para saber o que oferecer para ele.

“A palavra-chave é personalização sobre a lógica da inteligência, do uso de Analytics, Big Data, Inteligência Artificial e todo o aparato de tecnologias que está a nosso favor se sabemos usá-lo. Se tivermos a capacidade de prever o momento em que o cliente está junto a todo o ecossistema, conseguimos personalizar atendimentos e serviços da forma mais aderente”, afirma o diretor-geral da CXdzain.


Assista ao webinar na íntegra:

 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]